Terça-feira, 18 de outubro de 2011

São Lucas (Evangelista), Festa, 1ª do Saltério (Livro III), cor Litúrgica Vermelha.

 

 

Hoje: Dia do Médico

 

Santos: Lucas (Evangelista, Antioquia), Renato, Cirila, Atenodoro (séc. III),  franciscano espanhol), Julião Sabas (380), Amável e Inês de Jesus

 

Antífona: Como são belos sobre os montes os passos daquele que anuncia a paz, trazendo a boa nova e proclamando a salvação! (Is 52,7)

 

Oração: Ó Deus, que escolhestes São Lucas para revelar em suas palavras e escritos o mistério do vosso amor para com os pobres, concedei aos que já se gloriam do vosso nome perseverar num só coração e numa só alma, e a todos os povos do mundo ver a vossa salvação. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito santo.

 

I Leitura: 2ª Carta de Paulo a Timóteo (2Tm 4, 10-17b)

Lucas, o grande apoio de Paulo

 

Caríssimo, 10Demas me abandonou por amor deste mundo, e foi para Tessalônica. Crescente foi para a Galácia, Tito para a Dalmácia. 11Só Lucas está comigo. Toma contigo Marcos e traze-o, porque me é útil para o ministério. 12Mandei Tíquico a Éfeso. 13Quando vieres, traze contigo a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos. 14Alexandre, o ferreiro, tem-me causado muito dano; o Senhor lhe pagará segundo as suas obras! 15Evita-o também tu, pois ele fez forte oposição às nossas palavras. 16Na minha primeira defesa, ninguém me assistiu; todos me abandonaram. Oxalá que não lhes seja levado em conta. 17bMas o Senhor esteve a meu lado e me deu forças, ele fez com que a mensagem fosse anunciada por mim integralmente, e ouvida por todas as nações. Palavra do Senhor!

 

 

Salmo: 144(145), 10-11.12-13ab.17-18 (R/.12a)

Ó Senhor, vossos amigos anunciem vosso reino glorioso!

 

Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, e os vossos santos com louvores vos bendigam! Narrem a glória e o esplendor do vosso reino e saibam proclamar vosso poder!

 

Para espalhar vossos prodígios entre os homens e o fulgor de vosso Reino esplendoroso. O vosso reino é um reino para sempre, vosso poder, de geração em geração.

 

É justo o Senhor em seus caminhos, é santo em toda obra que ele faz. Ele está perto da pessoa que o invoca, de todo aquele que o invoca lealmente.

 

 

Evangelho: Lucas (Lc 10, 1-9)

Não só doze, mas setenta e dois são enviados em missão

 

Naquele tempo, 1o Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e os enviou dois a dois, na sua frente, a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir. 2E dizia-lhes: "A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita. 3Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. 4Não leveis bolsa, nem sacola, nem sandálias e não cumprimenteis ninguém pelo caminho! 5Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: `A paz esteja nesta casa!' 6Se ali morar um amigo da paz, a vossa paz repousará sobre ele; se não, ela voltará para vós. 7Permanecei naquela mesma casa, comei e bebei do que tiverem, porque o trabalhador merece o seu salário. Não passeis de casa em casa. 8Quando entrardes numa cidade e fordes bem recebidos, comei do que vos servirem, 9curai os doentes que nela houver e dizei ao povo: `O Reino de Deus está próximo de vós'". Palavra da Salvação!

 

Leituras paralelas: Mt 9, 37-38; Mt 10,16; Mt 10, 9-15; Mc 6, 8-11; 1Tm 5, 18.

Comentário o Evangelho

Como cordeiros entre lobos

A metáfora da condição dos discípulos é uma forma de descrever o futuro da missão. Ser cordeiros entre lobos não dá margem para dúvidas: a missão está destinada a ser uma batalha desigual, onde toda prudência é pouca. Nada de ilusões!


Humanamente falando, as orientações dadas por Jesus deixavam os discípulos numa situação de fragilidade. A pobreza material levava-os a depender da caridade alheia. Como se sabe, nem todo mundo está disposto a ajudar. Quem depende de esmolas, está sujeito a toda sorte de ironia, gozações e humilhações, sem contar o risco de sofrer agressões físicas. A recomendação de não escolher casa ou cidade onde entrar - os discípulos deveriam ir a toda cidade e lugar por onde Jesus passaria - obrigava-os a visitar até mesmo povoados hostis, especialmente os situados na região da Samaria. Se a hospitalidade em uma cidade lhes fosse recusada, eles não teriam o direito de fazer uso da força ou da violência. Bastava-lhes sacudir o pó das sandálias, e seguir adiante. Falando na perspectiva do Reino, a ação missionária oferecida aos setenta e dois discípulos exigia deles serem testemunhas do mundo novo proclamado por Jesus. Aí os bens materiais deveriam ser relativizados, não tendo primazia no coração humano. A solidariedade seria um imperativo, e a violência, banida. Por conseguinte, a reação dos apóstolos diante de situações adversas já seria uma ação evangelizadora. [O EVANGELHO DO DIA. Jaldemir Vitório. ©Paulinas, 1998

 

 

A palavra se faz oração (Liturgia Diária)

Senhor, dai perseverança aos que se põem a serviço do evangelho.  Concedei-nos, Senhor, a vossa graça.

Despertai corações generosos para trabalharem pelo vosso reino.

Socorrei e animai os doentes já sem esperança.

Cumulai de força e coragem as famílias vítimas da violência.

Abençoai e iluminai os médicos em sua vocação a serviço da saúde.

(outras intenções)

 

Oração sobre as Oferendas:

Por estes dons celestes, concedei-nos, ó Deus, a graça de vos servir alegremente, para que as oferendas que apresentamos na festa de são Lucas nos tragam a saúde nesta vida e a glória eterna. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Antífona da comunhão:

O Senhor mandou seus discípulos anunciarem de cidade em cidade: Chegou para vós o reino de Deus (Lc 10, 1.9)

 

Oração Depois da Comunhão:

Ó Deus onipotente, a comunhão no vosso altar nos santifique e nos faça abraçar, firmes na fé, o evangelho anunciado por são Lucas. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Para sua reflexão: Uma e outra leitura indicam o número de nações pagãs, tal como o judaísmo o via em Gn 10 (segundo o texto hebreu, 70, ou o texto grego, 72). A missão aos gentios começará após a Páscoa e Pentecostes, mas Lucas procura mostrar já uma prefiguração dessa missão. É o único a referir esta missão, para mostrar que a missão não é reservada aos Doze e ela simboliza, na Palestina, a missão aos pagãos. Só a imagem da messe, os profetas do Antigo Testamento descreviam muitas vezes o juízo de Deus. Para João Batista, a messe é obra de Deus. Jesus associa os discípulos, pela oração e pela pregação, à sua obra. Ao contrário de Mt 10, 11-14, Lucas distingue o comportamento dos discípulos numa casa e numa cidade. Paz: saudação usual no Antigo Testamento, que inclui votos de bem-estar, prosperidade, saúde. Aqui trata-se da bênção, dom messiânico que acompanha o Evangelho. A regra do salário também é indicada por Paulo, como lei pertinente à missão, embora ele renunciasse a beneficiar dela. (Bíblia dos Capuchinhos)

 

São Lucas

Lucas nasceu em Antioquia e exerceu a profissão de médico (Cl 4, 14), depois da conversão, esteve a serviço de Paulo (Fm 24; 2Tm 4,11; At 16, 10-17; 20, 21; 28) e encontrou-se provavelmente a seu lado em seus últimos dias (2Tm 4, 11). Sua origem grega, sua procedência do paganismo e a colaboração com a obra apostólica de Paulo aparecem sob muitos aspectos em toda ação evangelizadora e nos escritos paulinos.

 

O Evangelho de Lucas tem como tema fundamenta a admissão de todos os povos à salvação (Lc 3, 6; 7, 1-9; 13, 28-30) e a participação no Reino de todas as categorias de pessoas que a antiga Lei excluía do culto: os pobres, os pecadores, os fracos, as mulheres, os pagãos (Lc 5, 29-32; 7, 36-50; 8, 1-3; 10, 21-22). É todo um “alegre anúncio” de que Jesus é o Salvador, todo bondade, misericórdia, doçura, alegria. Sua vida e ministério são apresentados como uma “viagem” de subida a Jerusalém, ao Calvário, à glória.

 

Médico e Padroeiro

 

A data 18 de outubro foi escolhida em homenagem a São Lucas, padroeiro da medicina, e consta como dia do santo pela tradição litúrgica.

 

São Lucas exercia a profissão de médico e também tinha vocação pela pintura. Escreveu o terceiro evangelho e o "ato dos apóstolos" da Bíblia Sagrada. Acredita-se que veio de família abastada pelo seu estilo literário.

 

Nasceu na Turquia no século I, quando esta ainda se chamava Antioquia. Discípulo de São Paulo, o seguiu em missão, sendo chamado por este de "colaborador" e "médico amado".

 

Hipócrates, o pai da medicina

 

Hipócrates, considerado o Pai da Medicina, nasceu na ilha de Cos, 460 anos a.C., tendo pertencido ao ramo de Cos da família Esculápio (ou Asclepíades) por descendência masculina.

 

O termo esculápio é igualmente empregado para designar os médicos em geral, na medida em que praticam a arte de Esculápio (ou Asclepios), o Deus da medicina na época clássica. Na sua origem, o termo restringe-se aos filhos de Esculápio, Podalira e Machaon, personagem famosos, ambos médicos, e seus descendentes.

 

Fundador da família, Esculápio era conhecido por seu grande saber médico e, de acordo com algumas biografias, Hipócrates era seu décimo nono descendente e o vigésimo a partir de Zeus.

 

O avô de Hipócrates, também médico, chamava-se Hipócrates, mas nunca alcançou a fama daquele que tornou-se conhecido como o pai da medicina.

 

Até hoje os recém-formados fazem o juramento de Hipócrates no dia da colação de grau, no qual prometem exercer a medicina com ética, seriedade e respeito aos pacientes.

 

Um pouco de história da medicina

 

A medicina é a ciência que investiga a natureza e a origem das doenças do homem de modo a preveni-las, controlá-las e curá-las, preservando assim a saúde das pessoas. A palavra deriva do verbo latino mederi que significa curar e tratar.

 

A ciência surge de forma experimental, como resultado de experiências com técnicas ainda rudimentares (como tomar banho frio para baixar a febre, por exemplo). Desenhos rupestres mostram que na pré-história o homem já reconhecia algumas doenças e o efeito terapêutico de plantas curativas, além do calor, frio e luz solar.

 

Somente no final do século é que se inicia a medicina moderna com o estudo da anatomia humana. Em 1543, o médico André Vesálio publica "A organização do corpo humano" com descrições e detalhes do corpo humano, representando um grande avanço na medicina ainda incipiente. Para conceber a obra, André usou a técnica de dissecação de cadáveres, tendo sido, por isso, condenado à morte pela Inquisição.

 

O dia 18 de outubro foi escolhido como "dia dos médicos" por ser o dia consagrado pela Igreja a São Lucas. Como se sabe, Lucas foi um dos quatro evangelistas do Novo Testamento. Seu evangelho é o terceiro em ordem cronológica; os dois que o precederam foram escritos pelos apóstolos Mateus e Marcos.

 

Lucas não conviveu pessoalmente com Jesus e por isso a sua narrativa é baseada em depoimentos de pessoas que testemunharam a vida e a morte de Jesus. Além do evangelho, é autor do "Ato dos Apóstolos", que complementa o evangelho. [MISSAL COTIDIANO, ©Paulus, 1997 e IBGEteen]

 

 

Por que 18 de outubro é o "Dia dos médicos"

Joffre M. de Rezende

Segundo a tradição, São. Lucas era médico, além de pintor, músico e historiador, e teria estudado medicina em Antióquia. Possuindo maior cultura que os outros evangelistas, seu evangelho utiliza uma linguagem mais aprimorada que a dos outros evangelistas, o que revela seu perfeito domínio do idioma grego. [1][2][3]

 

São Lucas não era hebreu e sim gentio, como era chamado todo aquele que não professava a religião judaica. Não há dados precisos sobre a vida de S. Lucas. Segundo a tradição era natural de Antioquia, cidade situada em território hoje pertencente à Síria e que, na época, era um dos mais importantes centros da civilização helênica na Ásia Menor. Viveu no século I d.C., desconhecendo-se a data do seu nascimento, assim como de sua morte.

 

Há incerteza, igualmente, sobre as circunstâncias de sua morte; segundo alguns teria sido martirizado, vítima da perseguição dos romanos ao cristianismo; segundo outros morreu de morte natural em idade avançada. Tampouco se sabe ao certo onde foi sepultado e onde repousam seus restos mortais. Na versão mais provável e aceita pela Igreja Católica, seus despojos encontram-se em Pádua, na Itália, onde há um jazigo com o seu nome, que é visitado pelos peregrinos. [1]


Não há provas documentais, porém há provas indiretas de sua condição de médico. A principal delas nos foi legada por São Paulo, na epístola aos colossenses, quando se refere a "Lucas, o amado médico" (4.14). Foi grande amigo de São Paulo e, juntos, difundiram os ensinamentos de Jesus entre os gentios.

 

Outra prova indireta da sua condição de médico consiste na terminologia empregada por Lucas em seus escritos. Em certas passagens, utiliza palavras que indicam sua familiaridade com a linguagem médica de seu tempo. Este fato tem sido objeto de estudos críticos comparativos entre os textos evangélicos de Mateus, Marcos e Lucas, e é apontado como relevante na comprovação de que Lucas era realmente médico. Dentre estes estudos, gostaríamos de citar o de Dircks, [4] que contém um glossário das palavras de interesse médico encontradas no Novo Testamento.

 

A vida de São Lucas, como evangelista e como médico, foi tema de um romance histórico muito difundido, intitulado "Médico de homens e de almas", de autoria da escritora Taylor Caldwell. Embora se trate de uma obra de ficção, a mesma muito tem contribuído para a consagração da personalidade e da obra de São Lucas.[5]

 

A escolha de São Lucas como patrono dos médicos nos países que professam o cristianismo é bem antiga. Eurico Branco Ribeiro, renomado professor de cirurgia e fundador do Sanatório S. Lucas, em São Paulo, é autor de uma obra fundamental sobre São Lucas, em quatro volumes, totalizando 685 páginas, fruto de investigações pessoais e rica fonte de informações sobre o patrono dos médicos. Nesta obra, intitulada "Médico, pintor e santo", o autor refere que, já em 1463, a Universidade de Pádua iniciava o ano letivo em 18 de outubro, em homenagem a São Lucas, proclamado patrono do "Colégio dos filósofos e dos médicos".[1]

 

A escolha de São. Lucas como patrono dos médicos e do dia 18 de outubro como "dia dos médicos", é comum a muitos países, dentre os quais Portugal, França, Espanha, Itália, Bélgica, Polônia, Inglaterra, Argentina, Canadá e Estados Unidos. No Brasil acha-se definitivamente consagrado o dia 18 de outubro como "dia dos médicos". [www.portaldafamilia.org]

 

Referências bibliográficas

1. RIBEIRO, E.B. - Médico, pintor e santo. São Paulo, São Paulo Editora, 1970.
2. STERPELLONE, L. - Os santos e a medicina (trad.) São Paulo, Paulus, 1998,
p. 13-20.
3. FREY, E.F. - Saints in medical history. Clio Med. 14:35-70, 1979.
4. DIRCKS, J.H. - Scientific and medical terms and references in the writings of St. Luke. Am. J. Dermatopathol.
5:491-499, 1983.
5. CALDWELL, T. - Médico de homens e de almas.(trad.). 31. ed. Rio de Janeiro, Ed. Record, 2002.

 

Cruz peregrina e Ícone de N. Senhora em Bauru

Dom Caetano Ferrari, Bispo de Bauru - SP

 

Segundo os noticiários da ocasião, a Jornada Mundial da Juventude reuniu mais de dois milhões de jovens com o Papa Bento XVI, em Madri. Milhares de brasileiros estiveram lá, inclusive, jovens de Bauru, representando nossa Diocese.

 

Com muita alegria recebemos da boca do Papa o anúncio de que a próxima JMJ acontecerá no Rio de Janeiro, em 2013. Seguindo o costume adotado pelo bem-aventurado Papa João Paulo II, Bento XVI entregou, ao final da Jornada, a cruz peregrina e o Ícone de Nossa Senhora à delegação brasileira, símbolos que, na peregrinação pelo Brasil afora, ajudarão a nos prepararmos para o grande evento em julho de 2013, no Rio. João Paulo II foi quem deu início às Jornadas; idéia e realização dele. Desde o primeiro encontro ele fazia a entrega de uma cruz missionária a cada jovem e a todos, dizendo: Jovens, sejam vocês os evangelizadores dos jovens!

 

Pouco tempo depois, o saudoso Papa passou a entregar uma grande cruz à delegação do país escolhido para acolher a Jornada Mundial seguinte. Anos depois, ele mesmo incluiu na entrega da cruz, o ícone de Nossa Senhora. Ao fazer a entrega desses símbolos, ele explicava com estas ou outras palavras: Jesus é o grande amigo de vocês, queiram bem a Ele, levem-no no coração e em todo o seu ser, deem testemunho dEle, porque Ele é bom e os ama. Maria é a mãe de Jesus e a mãe de vocês, queiram bem a ela também, eu a confio a vocês como Jesus a confiou aos cuidados de João, para que vocês a amem como João e os discípulos a amaram; ela olha por vocês, guarda vocês no coração e cuida bem de todos. O lema do bem-aventurado Papa João Paulo II era “Totus Tuus, ó Maria. E, por Maria, todo de Jesus, todo de Deus e todo para todos. Assim queria dizer aos jovens: Sejam vocês também todos de Maria e de Jesus!

 

A Diocese de Bauru tem o privilégio de ser uma das primeiras a receber a cruz peregrina e o Ícone de Nossa Senhora. É o início da peregrinação por todo o Brasil, levantando a fé de jovens, adultos e crianças, no rumo do Rio de Janeiro, em julho de 2013, para mais uma Jornada Mundial da Juventude com o nosso querido Papa Bento XVI. Os jovens adotaram este slogan: “Bote Fé Brasil”!

 

A cruz peregrina e o Ícone de Nossa Senhora chegam, hoje, a Bauru. Nossos jovens nos convidam a participar, chamando-nos com o mesmo refrão: “Bote Fé Bauru”!

 

Você também, prezado leitor e leitora, junte-se a nós. Venha hoje acolher a cruz peregrina e o Ícone que ficarão expostos na USC até amanhã à noite. Em carreata esses símbolos chegarão à USC. Haverá Missa e em seguida os jovens farão vigília. Confira a programação de segunda-feira, e venha você também manifestar seu amor a Jesus e a Nossa Senhora. A cruz é o símbolo do amor de Cristo por nós e o maior símbolo de nossa fé. E o Ícone é um sinal que nos aproxima do amor da Mãe da Divina Graça, que nos acolhe, nos abençoa e nos leva a Jesus, seu Filho amado.

 

Todos nós esperamos que a passagem, por nossa cidade e Diocese, destes símbolos abençoados pelo bem-aventurado Papa João Paulo II nos preparem tanto para a JMJ no Rio, em 2013, quanto também nos ajudem na preparação do Jubileu de ouro de nossa Diocese, em 2014.

 

Eis o lenho da cruz, com Maria, adoremos a Jesus! [CNBB]

 

 

As pessoas que mais precisam de ajuda, mais temem de ser ajudadas. ( Fr. Prudente Neri)