Terça-feira, 17 de agosto de 2010

Vigésima Semana do Tempo Comum, 4ª do Saltério (Livro III),  cor Litúrgica Verde

 

Hoje: Dia do Patrimônio Histórico

 

Santos: Anastácio de Terni (bispo), Beatriz da Silva (virgem, fundadora das Concepcionistas), Carlomano (765), Clara da Cruz de Montefalco (virgem), Elias de Enna (monge), Estrato, Eusébio (papa), Felipe e Eutíquio (queimados vivos na Ásia Menor, por testemunharem sua felicidade em Cristo), Jacinto de Cracóvia (1257,presbítero), Joana Delanoue de Saumour (fundadora), João de Montemarano (bispo), Liberato e Companheiros (monges, mártires), Mamnés (274, Palestina), Mamede (mártir, filho dos mártires Santa Rufina e São Teodoro), Miro (sacertote grego), Nicolau Politi (eremita na Sicília), Servo.

 

Antífona: Ó Deus, nosso protetor, volvei para nós o vosso olhar e contemplai a face do vosso ungido, porque um dia em vosso templo vale mais que outros mil. (Sl 83, 10-11)

 

Oração: Ó Deus, preparastes para quem vos ama bens que nossos olhos não podem ver; acendei em nossos corações a chama da caridade para que, amando-vos em tudo e acima de tudo, corramos ao encontro das vossas promessas que superam todo desejo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Ezequiel (Ez 28, 1-10)
A profecia de Ezequiel denuncia o reio de Ciro

 

1A palavra do Senhor foi-me dirigida nestes termos: 2"Filho do homem, dize ao príncipe da cidade de Tiro: Assim fala o Senhor Deus: Porque o teu coração se tornou orgulhoso, tu disseste: 'Eu sou um deus e ocupo o trono divino no coração dos mares'. Tu, porém, és um homem e não um deus, mas pensaste ter a mente igual à de um deus. 3Sim, tu és mais sábio do que Daniel! Segredo algum te é obscuro. 4Com talento e habilidade adquiriste uma fortuna, acumulaste ouro e prata em teus tesouros. 5Com grande tino comercial aumentaste tua fortuna, e com ela teu coração se tornou soberbo. 6Por isso, assim diz o Senhor Deus: Por teres igualado tua mente à de um deus, 7vou trazer contra ti os povos mais violentos dos estrangeiros. Eles puxarão suas espadas contra a tua bela sabedoria e profanarão o teu esplendor. 8Eles te farão baixar à cova, e morrerás de morte violenta no coração dos mares. 9Porventura, ousarás dizer: 'Sou um deus!' na presença de teus algozes, tu que és um homem e não deus, nas mãos dos que te apunhalam? 10Morrerás da morte dos incircuncisos, pela mão de estrangeiros, pois fui eu que falei - oráculo do Senhor Deus". Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a 1ª Leitura

Tu és um homem e não um Deus

 

Página de universalidade: Deus fala também a quem está fora de seu povo, fora da Igreja. Tiro, já aliada de Jerusalém, após a queda desta torna-se imbatível... e tornar-se-á “rocha nua, estendedouro de redes” (Ez 26, 14). A história nos faz conhecer pavorosos desmoronamentos de déspotas soberbos e desumanos; poderosos, ricos, temidos, em breve tudo perderam. Em toda parte são seres que se pavoneiam de super-homens e têm fim infra-humano. E nós, tomados de orgulho, não nos contrapomos e sobrepomos aos demais? Por isso fomos ou seremos humilhados (Lc 14, 11; 18,14). Salvação contra humilhação é a verdadeira e sincera “humildade”; reconhecer o domínio de Deus, não presumir de forças que não temos, recorrer confiadamente a ele, saber pedir ajuda e perdão aos outros. A missa mostra a verdadeira grandeza na humildade de Jesus, sabedoria e poder na loucura e fraqueza da cruz; e faz-nos participar em sua atitudes e comportamentos. [Liturgia Cotidiana, Paulus, 1997]

 

 

Cântico: Dt 32, 26-27ab.27cd-28.30.35cd-36ab (R/.39c)
Sou eu que tiro a vida; sou em quem faz viver!

 

Pensei: "Vou espalhá-los pela terra, farei cessar sua memória inteiramente". Mas receava a reação dos inimigos, a má interpretação dos adversários.

 

Eles diriam: Nossa mão prevaleceu, não foi o Senhor Deus que isto fez. Porque meu povo é gente sem juízo, é gente que não tem discernimento.

 

Como pode um homem só perseguir mil, como dois podem fazer fugir dez mil? Não é porque sua rocha os vendeu, não é porque o Senhor os entregou?

 

Já vem o dia em que serão arruinados e o seu destino se apressa em chegar. Porque o Senhor fará justiça ao seu povo e salvará todos aqueles que o servem

 

Evangelho: Mateus (Mt 19, 23-30)
Jesus vem para restaurar as relações entre as pessoas

 

Naquele tempo, 23Jesus disse aos discípulos: "Em verdade vos digo, dificilmente um rico entrará no Reino dos Céus. 24E digo ainda: é mais fácil um camelo entrar pelo buraco de uma agulha, do que um rico entrar no Reino de Deus". 25Ouvindo isso, os discípulos ficaram muito espantados, e perguntaram: "Então, quem pode ser salvo?" 26Jesus olhou para eles e disse: "Para os homens isso é impossível, mas para Deus tudo é possível".

 

27Pedro tomou a palavra e disse a Jesus: "Vê! Nós deixamos tudo e te seguimos. O que haveremos de receber?" 28Jesus respondeu: "Em verdade vos digo, quando o mundo for renovado e o Filho do Homem se sentar no trono de sua glória, também vós, que me seguistes, havereis de sentar-vos em doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel. 29E todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos, campos, por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e terá como herança a vida eterna. 30Muitos que agora são os primeiros, serão os últimos. E muitos que agora são os últimos, serão os primeiros". Palavra da Salvação!

 

Leituras paralelas para a passagem Mt 19, 27-30: Mc 10, 28-31; Lc 18, 28-30

 

 

 

 

Comentando o Evangelho

A sorte dos ricos

Pode soar chocante ouvir de Jesus que um rico dificilmente entrará no Reino dos Céus. Ele que foi sempre tão misericordioso, teria preconceito contra os ricos? Por que, então, fecha-lhes as portas do Reino?


Rico, no pensar de Jesus, é quem transforma os bens deste mundo em autênticos ídolos e fecha seu coração para Deus e para os irmãos; quem ama suas propriedades sobre todas as coisas, e, para protegê-las e fazê-las multiplicar, não hesita em lançar mão de qualquer artifício, mesmo injusto, desonesto, ilegal. A penúria do irmão necessitado não chega a sensibilizá-lo. Só pensa em si mesmo, em suas necessidades e em seus prazeres. Por conseguinte, não existe espaço para a graça atuar em seu coração. Neste caso, tornar-se impossível Deus chegar a ser, de algum modo, senhor de sua vida. Nele, o Reino de Deus não pode acontecer. Seu coração está bloqueado.


Não é Deus quem fecha as portas do Céu para o rico. É este quem se recusa a entrar no Reino e assimilar sua dinâmica. Os apelos de Deus tornam-se inúteis e ineficazes. Embora Jesus deseje que o rico abra mão de seu projeto de vida egoísta e acolha o Reino, ele persiste em sua idolatria. O amor de Jesus não chega a tocá-lo.


É por esta razão que é mais fácil um camelo atravessar o buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino dos Céus.
[Evangelho Nosso de Cada Dia, Pe. Jaldemir Vitório, ©Paulinas, 1997]

 

Para sua reflexão: Jesus lembra o obstáculo das riquezas para quem quer alcançar a vida eterna, mas não impõe a pobreza como regra para ser seu discípulo. Ele chama mesmo pessoas de elevada condição social, sem exigir delas o abandono total da sua posição. Quando o “mundo for renovado” no v.28 significa a renovação da humanidade e do universo já iniciada por Cristo, e de que os Apóstolos serão os principais agentes, como alicerce do novo povo, no lugar das doze tribos do Antigo Testamento. Essa renovação é apresentada em forma de julgamento. Será o trunfo da justiça que eles representam, apesar das perseguições. Por fim, Jesus pretende dizer que os critérios de Deus e dos seres humanos são muito diferentes, como acontece nas bem-aventuranças. (cf. comentários da Bíblia dos Capuchinhos)

 

 

 

São Jacinto

 

 

Celebrado por alguns em dia 15 de agosto, Jacinto é considerado o Apóstolo da Polônia, país onde nasceu. Foi o grande anunciador do Evangelho a povos que ainda o desconheciam, e levou a influência dominicana a diversas regiões, como a Rússia, os Bálcãs, a Prússia e a Lituânia. Ingressou na Ordem Dominicana por volta de 1218, em Roma. Depois, de volta a sua cidade natal, fundou diversos conventos na Polônia, como o convento de Breslau, Sandomir e Dantziga: mais trinta conventos só na Polônia. Em 1228, criou a Ordem Dominicana Polonesa.

 

Logo cai por terra o orgulho do que, tendo nascido homem, se julga super-homem. (Sófocles)