Terça-feira, 16 de novembro de 2010

33º do Tempo Comum (Ano “C”), 1ª Semana do Saltério (Livro III), cor Litúrgica Verde

 

 

Santos: Adelaide (imperatriz da Alemanha, viúva), Ageu (profeta bíblico do Antigo Testamento), Aitala e Apseu (mártires), Albina de Formies (virgem, mártir), Ananias, Azarias e Misael (jovens do Antigo Testamento, citados em Dn 3, 88), Beano de Aberdeen (bispo), Elias de Al-Muharraq (bispo), Irenião de Gaza (bispo), Jacó (patriarca bíblico do Antigo Testamento), Memnon de Éfeso (bispo), Nicolau Crisoberge (patriarca de Constantinopla), Valentim, Concórdio, Nadal e Agrícola (mártires), Bartolomeu de Florença (bem-aventurado), Guillerme de Fenol (monge, bem-aventurado), José Manyanet (presbítero, bem-aventurado), Maria dos Anjos (virgem, bem-aventurada), Reinaldo de Cîteaux (abade, bem-aventurado), Sebastião Maggi (presbítero, bem-aventurado).

 

Antífona: Meus pensamentos são de paz e não de aflição, diz o Senhor. Vós me invocareis, e hei de escutar-vos, e vos trarei de vosso cativeiro, de onde estiverdes. (J. 29, 11.12.14)

 

Oração: Senhor nosso Deus, fazei que a nossa alegria consista em vos servir de todo o coração, pois só teremos felicidade completa servindo a vós, o criador de todas as coisas. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

 

Leitura: Apocalipse (Ap 3, 1-6.14-22)
Se não estiveres vigilante, eu virei como um ladrão

 

Eu, João, ouvi o Senhor que me dizia: 1"Escreve ao anjo da Igreja que está em Sardes: 'Assim fala aquele que tem os sete espíritos de Deus e as sete estrelas: - Conheço a tua conduta. Tens fama de estar vivo, mas estás morto. 2Acorda! Reaviva o que te resta, e que estava para se apagar! Pois não acho suficiente aos olhos do meu Deus aquilo que estás fazendo. 3Lembra-te daquilo que tens aprendido e ouvido. Observa-o! Converte-te! Se não estiveres vigilante, eu virei como um ladrão, sem que saibas em que hora te vou surpreender! 4Todavia, aí em Sardes existem algumas pessoas que não sujaram a roupa. Estas vão andar comigo, vestidas de branco, pois merecem isso. 5O vencedor vestirá a roupa branca, e não apagarei o seu nome do livro da vida, mas o apresentarei diante de meu Pai e de seus anjos. 6Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às Igrejas'.

 

14Escreve ao anjo da Igreja que está em Laodicéia: 'Assim fala o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus: 15Conheço a tua conduta, não és frio nem quente. Oxalá fosses frio ou quente! 16Mas, porque és morno, nem frio nem quente, estou para vomitar-te da minha boca. 17Tu dizes: 'Sou rico e abastado e não careço de nada', em vez de reconhecer que és infeliz, miserável, pobre, cego e nu! 18Dou-te um conselho: compra de mim ouro purificado no fogo, para ficares rico, e vestes brancas, para vestires e não aparecer a tua nudez vergonhosa; e compra também um colírio para curar os teus olhos, para que enxergues. 19Eu repreendo e educo os que eu amo. Esforça-te, pois, e converte-te. 20Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa e tomaremos a refeição, eu com ele e ele comigo. 21Ao vencedor farei sentar-se comigo no meu trono, como também eu venci e estou sentado com meu Pai no seu trono. 22Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às Igrejas"'. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a Leitura

Se alguém ouvir minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa

 

Sardes e Laodicéia, duas Igrejas da Ásia Proconsular romana, não completamente pelo juízo de Deus. Que exame de consciência para cada uma de nossas cristandades de hoje! Na cidade de Sardes existia de nome uma "igreja". Parecia viver; mas na realidade estava morta, e naquele ambiente de morte espiritual os poucos verdadeiros cristãos estava expostos a perigo mortal (vv. 1-6). A igreja da cidade de Laodicéia em achava-se em condições ainda piores: iludida numa aparência de vida, vê-se compelida pelo Senhor a não confundir bens materiais e espirituais. Na realidade ela é pobre mesmo tendo tantos bancos; nua, mesmo tendo tantas fábricas de tecidos; cega, mesmo possuindo laboratórios que fabricam colírios exportar em todo o Império Romano (vv. 14-22).

 

Aceitar um apelo à conversão pressupõe a convicção de não estar no caminho certo. Quem está seguro, quem se sente em boa situação, não pensa em conversão. Converter-se quer dizer mover-se, dar o primeiro passo; ver claro, portanto, o ponto de chegada, que se encontra sempre além do ponto em que nos encontramos. Converter-se não é um ato, é um estado. Exige constante revisão de vida. De nossa vida, naturalmente, porque é frequente em nós estudar belos planos de conversão para os outros, publicar documentos e permanecer bem estabelecidos no próprio lugar. Sobretudo quem por ofício admoesta os demais deveria aceitar, por sua vez, reparos também fortes, como esta página de João. Não nos esqueçamos de que quem escreve estas expressões duras é o próprio apóstolo da caridade. O servilismo é traição da caridade. [Trechos do COMENTÁRIO BÍBLICO, ©Edições Loyola, 1999 e BÍBLIA DE JERUSALÉM, ©Paulinas, 1991]

 

 

Salmo Responsorial: 14 (15), 2-3ab.3cd-4ab.5 (R/.Ap 3, 21)
Ao vencedor, dar-lhe-ei o direito de sentar-se comigo no meu trono

 

2E aquele que caminha sem pecado e pratica a justiça fielmente; 3aque pensa a verdade no seu íntimo 3be não solta em calúnias sua língua.

 

3cQue em nada prejudica o seu irmão, 3dnem cobre de insultos seu vizinho; 4aque não dá valor algum ao homem ímpio, 4bmas honra os que respeitam o Senhor.

 

5Não empresta o seu dinheiro com usura, nem se deixa subornar contra o inocente. Jamais vacilará quem vive assim!

 

 

Evangelho: Lucas (Lc 19, 1-10)
O filho do homem veio procurar e salvar o que estava perdido

 

Naquele tempo, 1Jesus tinha entrado em Jericó e estava atravessando a cidade. 2Havia ali um homem chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores de impostos e muito rico. 3Zaqueu procurava ver quem era Jesus, mas não conseguia, por causa da multidão, pois era muito baixo. 4Então ele correu à frente e subiu numa figueira para ver Jesus, que devia passar por ali. 5Quando Jesus chegou ao lugar, olhou para cima e disse: "Zaqueu, desce depressa! Hoje eu devo ficar na tua casa". 6EIe desceu depressa, e recebeu Jesus com alegria. 7Ao ver isso, todos começaram a murmurar, dizendo: "Ele foi hospedar-se na casa de um pecador!" 8Zequeu ficou de pé, e disse ao Senhor: "Senhor, eu dou a metade dos meus bens aos pobres, e se defraudei alguém, vou devolver quatro vezes mais". 9Jesus lhe disse: "Hoje a salvação entrou nesta casa, porque também este homem é um filho de Abraão. 10Com efeito, o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido".  Palavra da Salvação!

 

 

 

 

Comentando o Evangelho

As etapas da salvação

 

O encontro de Zaqueu com Jesus mostra como a conversão acontece em etapas. De certo modo, esta revela como a salvação acontece na vida de quem se torna discípulo do Reino.


O primeiro passo consiste no desejo de ver Jesus. No caso de Zaqueu, o Evangelho não esclarece os motivos deste anseio. Sabemos, apenas, ter sido tão forte que nada deteve o homem até vê-lo realizado. O segundo passo exige a superação de todos os obstáculos. Para Zaqueu, um empecilho era sua baixa estatura. O problema foi resolvido: subiu numa árvore.

 

O terceiro passo comporta deixar-se amar por Jesus, sem restrições nem desconfiança, abrindo-lhe as portas do coração. Zaqueu desceu depressa da árvore, para receber Jesus em sua casa, com alegria.


O quarto passo é uma mudança radical de vida. Radical significa deixar de lado os esquemas e mentalidades antigos, para adequar-se às exigências do Reino. Isto não se faz com palavras ou com boas intenções, mas com gestos concretos. Zaqueu dispôs-se a dar metade de seus bens aos pobres e a ressarcir, quatro vezes mais, aquilo que havia roubado. Desta forma, ele provou que, realmente, a salvação tinha entrado em sua casa. [O EVANGELHO NOSSO DE CADA DIA, Ano C,  ©Paulinas, 1996]

 

Para Sua Reflexão:

No fim da viagem de Jesus a Jerusalém, a conversão de um cobrador de impostos manifesta Jesus como aquele que vem procurar e salvar o que estava perdido (v.10). O episódio de Zaqueu é próprio de Lucas, que é particularmente sensível ao tema da salvação. Segundo o costume judaico, comunicar com pecadores implicava impureza legal. A decisão de Zaqueu exprime a sua conversão, em termos que ultrapassavam as exigências da lei judaica (Ex 22, 3.6; Lv 5, 21-24; Nm 5,6-7). Os seus gestos são sinal do seu amor. Zaqueu é assim chamado, não obstante a sua profissão, pela qual era considerado pecador. A conclusão (v.10) sublinha o lugar de Jesus nesta conversão.  [Bíblia dos Capuchinhos]

 

Santa Margarida da Escócia

 

 

 

Santa Margarida, a princípio, era costumeiramente olhada com certo olhar de desentendimento, pois contava ao confessor, o monge Teodorico, muitas passagens místicas que lhe ocorrera, como um livro que caiu no rio e foi retirado somente após muitas horas sem se ter deteriorado o mínimo. Mas o milagre real de santa Margarida foi ter se santificado como esposa do rei Malcom, como mãe e como rainha. Caridosa, alimentava e servia com suas próprias mãos, mais de cem pobres e diariamente, chegando a lavar-lhes os pés e a beijar-lhe as úlceras. Vendia suas joias para socorrer os mais necessitados. Os últimos dias de sua vida foram muito sofridos, pois o esposo e seu filho vieram a falecer durante um assalto ao castelo de Aluwick. Mesmo diante de tanto sofrimento, exclamou: "Graças Vos dou, Senhor, porque me concedeis paciência para suportar tantas desgraças juntas".

 

 

Senhor, só necessito de uma coisa neste mundo: me conhecer e te amar. (Papa João XXIII)