Terça-feira, 11 de outubro de 2011

28ª Semana do Tempo Comum, Ano Impar,  4ª do Saltério (Livro III), cor Litúrgica verde

 

 

Hoje: Dia do Combate à Dor

 

Santos: Paulino de York, Gereão e seus companheiros (mártires na Alemanha), Victor, Malosso, Cássio, Florêncio e seus Companheiros (Bonn, Alemanha), Francisco de Bórgia, Bem-Aventurado Daniel Comboni, Pinto (Séc. II, Ilha de Creta), Cernóbio (Séc. VI, Etrúria), Paulino (644, monge beneditino romano), Telquida (670, França), Daniel e seus companheiros (1227, Calábria, Itália, presbítero, mártir franciscano da Ordem I), Telcida.

 

Antífona: Senhor, se levardes em conta as nossas faltas, quem poderá subsistir? Mas em vós encontra-se o perdão. Deus de Israel. (Sl 129, 3-4)

 

Oração: Ó Deus, sempre nos preceda e acompanhe a vossa graça, para que estejamos sempre atentos ao bem que devemos fazer. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

I Leitura: Romanos (Rm 1, 16-25)
Culpa dos gentios por não reconhecerem a existência de Deus

 

Irmãos, 16eu não me envergonho do evangelho, pois ele é uma força salvadora de Deus para todo aquele que crê, primeiro para o judeu, mas também para o grego. 17Nele, com efeito, a justiça de Deus se revela da fé para a fé, como está escrito: O justo viverá pela fé.

 

18Por outro lado, a ira de Deus se revela, do alto do céu, contra toda a impiedade e iniqüidade dos homens que em sua iniqüidade oprimem a verdade. 19Pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto aos homens: Deus mesmo lho manifestou.

 

20Suas perfeições invisíveis, como o seu poder eterno e sua natureza divina, são claramente conhecidas através de suas obras, desde a criação do mundo. Assim, eles não têm desculpa 21por não ter dado glória e ação de graças a Deus como se deve, embora o tenham conhecido. Pelo contrário, enfatuaram-se em suas especulações, e seu coração insensato se obscureceu: 22alardeando sabedoria, tomaram-se ignorantes 23e trocaram a glória do Deus incorruptível por uma figura ou imagem de seres corruptíveis: homens, pássaros, quadrúpedes, répteis.

 

24Por isso, Deus os entregou com as paixões de seus corações a tal impureza, que eles mesmos desonram seus próprios corpos. 25Trocaram a verdade de Deus pela mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do criador, que é bendito para sempre. - Amém. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a I Leitura

Tendo os homens conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus

 

Contaminação, focos de infecção, desequilíbrio biológico, degradação, poluição ambiental, poluição sonora... Estes termos nos são familiares. Multiplicam-se as palestras sobre ecologia. Os brados de alarme chamam nossa atenção para a ruptura de equilíbrio do planeta, em todos os níveis. Até nos níveis mais profundos do homem e da sociedade. "Nós, homens, acreditávamos poder desprezai; superar todas as regras de Deus em qualquer campo, criar nossa vida com livre decisão, exatamente segundo nosso modo de pensar. Mas Deus segura o homem pelo punho... Se violar­mos os seus mandamentos, interrompemos o fio de nossa vida, destruímos nossa felicidade” (Madre Basiléia). É uma presença de Deus "em negativo”. [MISSAL COTIDIANO, ©Paulus, 1997]

 

 

Salmo: 18(19A), 2-3.4-5 (R/.2a)

Os céus proclamam a glória do Senhor!

 

Os céus proclamam a glória do Senhor, e o firmamento, a obra de suas mãos; o dia ao dia transmite esta mensagem, a noite à noite publica esta notícia.

 

Não são discursos nem frases ou palavras, nem são vozes que possam ser ouvidas; seu som ressoa e se espalha em toda a terra, chega aos confins do universo a sua voz.

 

Evangelho: Lucas (Lc 11, 37-41)

Limpar o interior, não apenas a aparência

 

Naquele tempo, 37enquanto Jesus falava, um fariseu convidou-o para jantar com ele. Jesus entrou e pôs-se à mesa. 38O fariseu ficou admirado ao ver que Jesus não tivesse lavado as mãos antes da refeição. 39Senhor disse ao fariseu: "Vós fariseus, limpais o copo e o prato por fora, mas o vosso interior está cheio de roubos e maldades. 40lnsensatos! Aquele que fez o exterior não fez também o interior? 41Antes, dai esmola do que vós possuís e tudo ficará puro para vós". Palavra da Salvação!

 

Comentando o Evangelho

A caridade é que purifica

 

A admiração do fariseu surpreso porque Jesus sentou-se á mesa para comer sem ter lavado as mãos não passou despercebido pelo Mestre. Ele conhecia muito bem a mentalidade de seu anfitrião e seu apego escrupuloso á tradição da pureza ritual. Igualmente tinha consciência da reação que sua atitude causaria. No entanto, apesar de ser hóspede, não perdeu a ocasião de denunciar a hipocrisia de quem o convidara para almoçar.

 

A pureza exterior do fariseu não correspondia à do seu interior. Limpo por fora, estava cheio de sujeira por dentro. A contaminação provinda dos roubos e de sua malícia era muito pior do que a eventual impureza de um copo ou prato. Grande insensatez perder tempo com coisas secundárias, olvidando o essencial! Jesus apresentou a caridade como a melhor forma de garantir e conservar a verdadeira pureza. Quando a pessoa abre seu coração e se torna sensível para com o irmão carente, partilhando com ele seus bens, tudo se torna puro para ela. Esta é a melhor forma de eliminar o egoísmo, único fator de contaminação do coração humano. Quando o coração é puro, tudo o mais se torna puro.

 

A pureza, fruto da caridade, é agradável a Deus e garante a salvação. Ele julga as pessoas a partir do interior. Aí ele verifica se elas, de fato, estão puras. [O EVANGELHO NOSSO DE CADA DIA, Ano B, ©Paulinas, 1996]

 

 

 

 

Santo Alexandre Sauli

 

 

 

 

De família Genovesa, aos 17 anos entrou para a Congregação dos Barnabitas Professor de Filosofia e Teologia na Universidade de Pavia e grande pregador e apóstolo do confessionário, dirigia espiritualmente comunidades inteiras. Sabia de cor as Suma Teológica de São Tomás. Aos 31 anos de idade passou a ser superior geral dessa família religiosa. Nomeado no ano de 1570, pelo Papa São Pio V bispo de Aleria, na Córsega para cooperar na diocese, percebeu que esta se encontrava extremamente decadente, abandonada, sem um capacitado clero, locais de culto decente, enfim, um "rebanho" perdido nas trevas da ignorância e da superstição. Era uma ilha selvagem e paupérrima, invadida pela malária onde faltava quase tudo. Mas o santo dizia: "Mas ao menos Deus não me faltará". À custa de extremados esforços que se prolongaram por 21 anos, conseguiu reformar a diocese inteiramente, transformando-a num modelo de organização e fervor. Nomeado pelo Papa Gregório XIV bispo de Pavia, começou imediatamente a visitação de sua nova diocese, mas faleceu logo após. Sua obra apostólica deixou imensos frutos e recordações. É venerado como o Apóstolo da Córsega.

 

 

 

A arte de viver

Dom Anuar Battisti, Arcebispo de Maringá - PR

 

A vida é um projeto a ser completado. Nascemos para buscar a perfeição. Somos o que somos por presente de Deus. Somos um presente não para fazer o que nós queremos, como se fôssemos um brinquedo na mão de uma criança. A criatura é a imagem viva do Criador.

 

Assim, o primeiro dever de cada homem e mulher é ser santo, cuidar da vida pessoal e do outro, desde a concepção até a morte natural. Por causa da promoção e defesa da vida a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em agosto de 2005, institucionalizou o dia oito de outubro como o Dia do Nascituro.

 

Mas quem é o Nascituro? É aquele ser humano que está no ventre materno antes que a mãe lhe dê à luz. Este possui o direito de ser respeitado na sua integridade. Já possui dignidade como qualquer pessoa. A semana que precede este dia é a Semana da Vida.

 

É uma ocasião especial para colocar em evidência o valor e a beleza desse Dom precioso que de Deus recebemos. De modo especial salientamos o valor sagrado da Vida Humana, sem nos esquecermos de todas as demais dimensões que esta abrange.

 

Diante de tantos ataques que a Vida vem sofrendo em nossos dias é nossa missão reafirmar sua importância inalienável e inegociável. Ela é o fundamento sobre o qual se apoiam todos os demais valores.

 

Mas quem é o Nascituro?

 

Entre as afirmações que servem de orientação está uma expressão retirada da Exortação Apostólica Familiaris Consortio, do Beato João Paulo II, na qual se verifica que Família e Vida são os dois grandes pilares da Igreja: "A Igreja é chamada a manifestar novamente a todos, com uma firme e mais clara convicção, a vontade de promover, com todos os meios, e de defender contra todas as insídias a vida humana, em qualquer condição e estado de desenvolvimento em que se encontre".

 

"Padre Rafael Fornasier, assessor nacional da Comissão, considera que o tema da Semana, de algum modo, prepara os cristãos para o iminente debate que deverá surgir no país com a retomada da discussão e votação que serão realizadas no Supremo Tribunal Federal sobre o aborto de crianças anencéfalas. ‘Há uma expectativa a respeito da análise do STF que vai fazer e que pode ser uma abertura para a legalização do aborto no Brasil’, adverte Padre Rafael. Segundo ele, poderá voltar o costumeiro embate entre a o conflito de direitos. ‘Não se nega o direito da mulher, mas que não seja em detrimento do direito da vida nascente’, lembra.

 

O assessor da CNBB frisa que por mais que seja uma vida curta – como ocorre com as crianças anencéfalas – é sempre uma vida humana e a Igreja sempre defendeu sua inviolabilidade desde a concepção até o seu termo natural" (CNBB).

 

"Como se aprende a arte de viver? A maior pobreza é a incapacidade de alegria, o tédio da vida considerada absurda e contraditória. A incapacidade de alegria supõe e causa a incapacidade de amar, inveja, avareza, todos estes são vícios que devastam a vida dos indivíduos e o mundo. Mas esta arte não é objeto da ciência, esta arte só pode ser comunicada por quem tem a vida aquele que é o Evangelho em pessoa (...): Jesus Caminho, verdade e vida" (Discurso do Cardeal Joseph Ratzinger durante o Congresso dos Catequistas e dos Professores de Religião - 10 de dezembro de 2000).

 

Fora desta escolha, continuaremos assistir a prepotência e a autonomia de grupos arrogando-se o direito de decidir sobre a consciência de cada um. Viver não é fazer o que se quer da vida, é querer a vida custe o que custar. Que Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, proteja este país e suas crianças. Assim, desejamos que também as que estão no ventre de suas mães sejam defendidas e tenham o direito de viver.

 

Maria, dê e afeto aos esposos, docilidade aos filhos, paciência e laboriosidade a todos. (Bv Tiago Alberione)