Terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Segunda Semana do Advento e do Saltério, Livro I, Cor Litúrgica  Branca

 

Dia: Dia do Casal

 

Santos: Abraão de Cratia (bispo), Apolinário de Trieste (mártir), Asela de Roma (virgem), Bassa de Jerusalém (abadessa), Dionísia, seu filho Majórico, Bonifácio, Dativa, Leôncia, Tércio e Companheiros (mártires da África), Geraldo de Bayeux (bispo), Geraldo de Braga (arcebispo), Gertrudes de Hamay (abadessa), Pedro Pascásio (bispo de Braga, mártir), Policrônio de Ganfanetis (prebítero, mártir), Benevenuto de Piticchio (bem-aventurado), Francisco Catalano (bem-aventurado).

 

Santos: Eis que o Senhor virá e com ele todos os seus santos, e haverá uma grande luz naquele dia. (Zcf 14,5.7)

 

Oração: Deus, que manifestastes o vosso Salvador até os confins da terra, dai-nos esperar com alegria a glória do seu natal. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

Leitura: Isaías (Is 40, 1-11)
Mensagem de consolação aos exilados

 

1Consolai o meu povo, consolai-o! – diz o vosso Deus. 2Falai ao coração de Jerusalém e dizei em alta voz que sua servidão acabou e a expiação de suas culpas foi cumprida; ela recebeu das mãos do Senhor o dobro por todos os seus pecados. 3Grita uma voz: "Preparai no deserto o caminho do Senhor, aplainai na solidão a estrada de nosso Deus. 4Nivelem-se todos os vales, rebaixem-se todos os montes e colinas; endireite-se o que é torto e alisem-se as asperezas: 5a glória do Senhor então se manifestará, e todos os homens verão juntamente o que a boca do Senhor falou". 6Dizia uma voz: "Grita!" E respondi: "O que devo gritar?" A criatura humana é feno, toda a sua glória é como flor do campo; 7seca o feno, murcha a flor ao soprar o Senhor sobre eles. Sim, o povo é feno. 8Seca o feno, murcha a flor, mas a palavra de nosso Deus fica para sempre.

 

9Sobe a um alto monte, tu, que trazes a boa nova a Sião; levanta com força a tua voz, tu, que trazes a boa nova a Jerusalém, ergue a voz, não temas; dize às cidades de Judá: "Eis o vosso Deus, 10eis que o Senhor Deus vem com poder, seu braço tudo domina: eis, com ele, sua conquista, eis à sua frente a vitória. 11Como um pastor, ele apascenta o rebanho, reúne, com a força dos braços, os cordeiros e carrega-os ao colo; ele mesmo tange as ovelhas-mães". Palavra do Senhor!

 

Comentando a I Leitura
Deus consola o seu povo

 

Descreve o profeta aquele que está para vir e ao mesmo tempo exorta os homens a preparar-lhe o caminho. Não é mais tempo de tristeza e desânimo; mesmo os que perderem a confiança devem crer novamente: o Senhor vem de verdade! Mas têm os homens esta sensação? Num mundo cheio de misérias e maldades a visão de Deus é muitas vezes deformada. Há quem pretenda que Deus intervenha sempre com um toque mágico para sanar as chagas da humanidade; há quem veja nele apenas o juiz inexorável que nos espiona para punir todas as iniquidades. E, no entanto, as palavras de Deus são sobretudo palavras de paz. É um Deus que vem com poder, mas poder que se apresenta sob as imagens mais afáveis e carinhosas, como a do pastor que apascenta o seu rebanho e traz ao ombros os cordeirinhos. Jesus assumirá esta imagem, e toda a sua vida e todos os seus atos revelarão o amor do Pai, a sua verdadeira face. [MISSAL COTIDIANO. ©Paulus, 1997]

 

 

Salmo Responsorial: 95 (96), 1-2.3 e 10ac. 11-12.13 (R/.cf.Is 40, 9-10)
Olhai e vede: o nosso Deus vem com poder!

 

1Cantai ao Senhor Deus um canto novo, cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! 2Cantai e bendizei seu santo nome! Dia após dia anunciai sua salvação.

 

3Manifestai a sua glória entre as nações, e entre os povos do universo seus prodígios! 10aPublicai entre as nações: "Reina o Senhor!" 10ce os povos ele julga com justiça.

 

11O céu se rejubile e exulte a terra, aplauda o mar com o que vive em suas águas; 12os campos com seus frutos rejubilem e exultem as florestas e as matas.

 

13Na presença do Senhor, pois ele vem, porque vem para julgar a terra inteira. Governará o mundo todo com justiça, e os povos julgará com lealdade.

 

 

Evangelho: Mateus (Mt 18, 12-14)
Deus à procura da ovelha perdida

 

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 12"Que vos parece? Se um homem tem cem ovelhas, e uma delas se perde, não deixa ele as noventa e nove nas montanhas, para procurar aquela que se perdeu? 13Em verdade vos digo, se ele a encontrar, ficará mais feliz com ela, do que com as noventa e nove que não se perderam. 14Do mesmo modo, o Pai que está nos céus não deseja que se perca nenhum desses pequeninos”. Palavra da Salvação

 

Leituras paralelas: Lc 15, 4-7

 

 

Comentando o Evangelho

Abra o seu coração de deixe Ele encontrá-lo

 

Este texto é visto na segunda semana do Advento e na terça-feira, 19ª semana do tempo comum. A ovelha perdida é símbolo das pessoas que Jesus vem procurar e salvar. São os chamados pequeninos na fé (fracos, pobres e humildes). O profeta Ezequiel já dizia: “eu não sinto prazer na morte de ninguém que morre” (Ez 18,32). A ovelha perdida representava os membros da comunidade com risco de se perderem pela falta de amor e de justiça entre os grandes em relação às pessoas menos importantes. Horrorizados com tantos escândalos e falta de justiça, os pequeninos desistem e vão embora. Jesus deixa a comunidade representada por noventa e nove ovelhas e parte na busca daquela que se perdeu (10%). Ele fica mais alegre ao encontrá-la do que com as noventa e nove, que não foram perdidas. Eis que a vontade do Pai é essa: mandar o seu Filho ao mundo para salvar aos que se perderam na vida aqui em nosso meio.

 

E hoje, quem está perdido: os outros, nós mesmos? Vejamos esta realidade presente:

 

·    Muitos se perdem pelas drogas líticas e ilícitas por pura fraqueza, por falta de base familiar, por falta de emprego, por tantas outras fraquezas latentes;

·    Outros se perdem por falta de diálogo, de amor ao próximo. Buscamos a piedade de Deus, mas não somos piedosos com o outro; guardamos mágoas, temos dificuldades em perdoar;

·    Há um vazio de Deus no coração das pessoas. Muitos perdem o sentido da vida e Deus só é buscado nas dores, nos sofrimentos;

·    Os pequeninos não são apenas os pobres e humildes, se referirmos à periferia, por exemplo. Eles estão nas mansões, nas grandes rodadas sociais, nos círculos acadêmicos, no mundo empresarial e competitivo. Às vezes vivemos apenas de fachada, de aparências, sepulcros caiados. Para usarmos uma expressão brasileira da época: “a ficha não caiu” para muitos ainda, estão perdidos e não sabiam;

·    Os grandes escândalos, os crimes mais horríveis, as grandes injustiças sociais, a grande concentração de renda encima de poucos, tudo parece convergir para que um mundo de perdidos surja cada vez mais.

 

Só a justiça de Deus pode nos fazer enxergar as coisas. O advento nos convida a sairmos dos 10% e voltarmos para a comunidade do Salvador, que veio a mais de dois mil anos atrás e sempre está para vir na sua “data natalícia” para nos salvar. Para sairmos do time dos perdidos precisamos fazer a nossa parte, na busca incessante por Jesus como nosso porto seguro. Abramos o nosso coração e deixemos que Ele nos encontre, caso estejamos fora do caminho da santificação, pois Deus quer que sejamos santos assim como Ambrosio entre tantos! [Everaldo Souto Salvador, ofs]

 

Oração da Assembleia (Liturgia Diária)

Para que o papa e o nosso bispo contem com a benção e a proteção de Deus, rezemos: Senhor, atendei nosso prece.

Para que as pessoas desanimadas e tristes encontrem ânimo e alento no amor do Pai, rezemos.

Para que a Igreja sempre se preocupe com os pobres e abandonados, rezemos.

Para que saibamos preparar o coração para acolher o Senhor, rezemos.

Para que as famílias superem os conflitos internos mediante o diálogo, rezemos.

(outras intenções)

 

Oração sobre as Oferendas:

Acolhei, ó Deus, com bondade nossas humildes preces e oferendas e como não podemos invocar os nossos méritos, venha em nosso socorro a vossa misericórdia. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Antífona da comunhão:

O Senhor, justo juiz, dará a coroa da justiça aos que esperam com amor a sua vinda. (2Tm 4,8)

 

Oração Depois da Comunhão:

Alimentados pelo pão espiritual, nós vos suplicamos, ó Deus, que, pela participação nesta Eucaristia, nos ensineis a julgar com sabedoria os valores terrenos e colocar nossas esperanças nos bens eternos. Por Cristo, nosso Senhor.

 

São Nicolau Bari

São Nicolau: foi ele quem deu origem ao Papai Noel, a personificação do bom velhinho, sempre ajudando as pessoas com seus milagres. Na juventude realizou uma peregrinação rumo ao Egito e à Palestina e logo depois foi eleito bispo de Mira. Foi mantido um bom tempo na prisão durante as perseguições do imperador Diocleciano. Um de seus milagres foi a ressurreição de três meninos que haviam sido assassinados por um açougueiro. Outro de inumeráveis fatos, foi a ajuda que deu a três moças, que devido a miséria, choravam por não ter dotes e assim se casar com um bom moço, como era o costume da época. Secretamente são Nicolau depositou três sacos de moedas de ouro na porta da casa, as quais vieram a servir como dotes. Conta-se também que mesmo após sua morte aparecia a marinheiros durante tempestades, acalmando-a.

 

 

Pai, começa o começo!

Dom Anuar Battisti, Arcebispo de Maringá, PR

 

"Quando eu era criança e pegava uma tangerina para descascar, corria para meu pai e pedia: `Pai, começa o começo!´. O que eu queria era que ele fizesse o primeiro rasgo na casca, o mais difícil e resistente para as minhas pequenas mãos. Depois, sorridente, ele sempre acabava descascando toda a fruta para mim. Mas, outras vezes, eu mesmo tirava o restante da casca a partir daquele primeiro rasgo providencial que ele havia feito.

 

Meu pai faleceu há muito tempo (e há anos, muitos, aliás) não sou mais criança. Mesmo assim, sinto grande desejo de tê-lo ainda ao meu lado para, ao menos, "começar o começo" de tantas cascas duras que encontro pelo caminho. Hoje, minhas `tangerinas´ são outras. Preciso `descascar´ as dificuldades do trabalho, os obstáculos dos relacionamentos com amigos, os problemas no núcleo familiar, o esforço diário que é a construção do casamento, os retoques e pinceladas de sabedoria na imensa arte de viabilizar filhos realizados e felizes, ou então, o enfrentamento sempre tão difícil de doenças, perdas, traumas, separações, mortes, dificuldades financeiras e, até mesmo, as dúvidas e conflitos que nos afligem diante de decisões e desafios.

 

Em certas ocasiões, minhas tangerinas transformam-se em enormes abacaxis...

 

Lembro-me, então, que a segurança de ser atendido pelo papai quando lhe pedia para `começar o começo´ era o que me dava certeza que conseguiria chegar até o último pedacinho da casca e saborear a fruta. O carinho e a atenção que eu recebia do meu pai me levaram a pedir ajuda a Deus, meu Pai do Céu, que nunca morre e sempre está ao meu lado. Meu pai terreno me ensinou que Deus, o Pai do Céu, é eterno e que Seu amor é a garantia das nossas vitórias.

 

Quando a vida parecer muito grossa e difícil, como a casca de uma tangerina para as mãos frágeis de uma criança, lembre-se de pedir a Deus: `Pai, começa o começo!´. Não sei que tipo de dificuldade eu e você estamos enfrentando ou encontraremos pela frente neste ano. Sei apenas que o Amor Eterno de Deus nos acolhe sempre que for preciso: `Pai, começa o começo!´. (Autor desconhecido)

 

Ao ler esta mensagem anônima que recebi de um amigo, pensei em partilhar com você! Porque ela tem tudo a ver com o Natal. Foi Ele que começou primeiro. Obrigado amigo, por fazer entender de forma tão simples o segredo do amor do Pai Deus. Foi o nosso Pai do céu que começou a amar apaixonadamente cada um de nós que enviou o seu Filho, assumindo a nossa natureza, para romper o cascão que nos separava do infinito amor do Pai Eterno. É Ele que começou a me amar, sem que eu pedisse. Por isso hoje não tenho medo de enfrentar corajosamente os abacaxis, e descascar, tirar as cascas e máscaras que nos impedem a amar de verdade e construir entre nós relacionamentos verdadeiros. Quero que este natal seja para todos nós uma oportunidade para redescobrir na simplicidade de uma manjedoura, na frieza de um estábulo, a grandeza de nosso Deus, o calor do amor do menino de Belém, que veio para dar a vida e a vida em abundância! Tudo começou, no começo!

 

Uma coisa falou Deus e muitas são as que foram ouvidas. (Santo Ambrósio)