Sexta-feira, 30 de julho de 2010

Décima Sétima Semana do Tempo Comum, 1ª do Saltério (Livro III),  cor Litúrgica Verde

 

 

Hoje: Memória Facultativa de São Pedro Crisólogo (Memória Facultativa); Dia Nacional do Cartaz

 

Santos: Pedro Crisólogo (bispo e doutor da Igreja), Everaldo Hanse, Leopoldo Mandic, Abel (o justo), Abdon e Sênen (principes persas que renunciaram ao poder terreno para reinar com Cristo); Máxima, Donatília e Segunda (condenadas à morte na África), Julita (mártir em Cesaréia da Capadócia).

 

Antífona: Deus habita em seu templo santo, reúne seus filhos em sua casa; é ele que dá força e poder a seu povo. (Sl 67, 6-7.36)

 

Oração do Dia: Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

Leitura: Jeremias (Jr 26, 1-9)

Todos  contra Jeremias na casa do Senhor

 

1No inicio do reinado de Joaquim, filho de Josias, rei de Judá, foi comunicada da parte do Senhor esta palavra, que dizia: 2"Assim fala o Senhor: Põe-te de pé no átrio da casa do Senhor e fala a todos os que vêm das cidades de Judá, para adorar o Senhor no templo, todas as palavras que eu te mandei dizer. Não retires uma só palavra; 3talvez eles as ouçam e voltem do mau caminho, e eu me arrependa da decisão de castigá-los por suas más obras.

 

4A eles então dirás: Isto diz o Senhor: Se não vos dispuserdes a viver segundo a lei que vos dei, 5a escutar as palavras dos meus servos, os profetas, que eu vos tenho enviado com solicitude e para vossa orientação, e que vós não tendes escutado, 6farei desta casa uma segunda Silo e farei desta uma cidade amaldiçoada por todos os povos da terra".

 

7Os sacerdotes e profetas, e todo o povo presente ouviram Jeremias dizer estas palavras na casa do Senhor. 8Quando Jeremias acabou de dizer tudo e que o Senhor lhe ordenara falasse a todo o povo, prenderam-no os sacerdotes, os profetas e o povo, dizendo: "Este homem tem que morrer! 9Por que dizes, em nome do Senhor, a profecia: 'Esta casa será como Silo, e esta cidade será devastada e vazia de habitantes'?" Todo o povo juntou-se contra Jeremias na casa do Senhor. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a 1ª Leitura

Todo o povo juntou-se contra Jeremias na casa do Senhor

 

Deus faz anunciar com força a seu povo que, se continuar a violar a aliança, descurando integrá-la na vida, será destruído o templo no qual pões uma falsa segurança, e sua cidade tornar-se-á sinal de maldição divina. Por isso, o profeta é ameaçado de morte, por haver falado contra o templo – que, ao contrário, queria honrar com a santidade de vida 0 (Jr.7, 1-11). Deu-se o mesmo com Jesus (Mt 26, 59-61). Mas um templo de pedra não conta absolutamente, se os seus frequentadores não são o autêntico templo de Deus, no qual é acolhida sua Palavra, ele é invocado como coração puro e lhe é oferecida uma existência íntegra. Somos sensíveis às exigências divinas? [Comentário Bíblico, Vol 3, Edições Loyola]]

 

 

 

Salmo: 68(69), 5.8-10.14 (R/.14c)
Respondei-me, ó Senhor, pelo vosso imenso amor

 

Mais numerosos que os cabelos da cabeça, são aqueles que me odeiam sem motivo; meus inimigos são mais fortes do que eu; contra mim eles se voltam com mentiras! Por acaso poderei restituir alguma coisa que de outros não roubei?

Por vossa causa é que sofri tantos insultos, e o meu rosto se cobriu de confusão; eu me tornei como um estranho a meus irmãos, como estrangeiro para os filhos de minha mãe. Pois meu zelo e meu amor por vossa casa me devoram como fogo abrasador; e os insultos de infiéis que vos ultrajam recaíram todos eles sobre mim!

 

Por isso elevo para vós minha oração, neste tempo favorável, Senhor Deus! Respondei-me pelo vosso imenso amor, pela vossa salvação que nunca falha!

 

 

Evangelho: Mateus (Mt 13, 54-58)
Não é ele o filho do carpinteiro?

 

Naquele tempo, 54dirigindo-se para a sua terra, Jesus ensinava na sinagoga, de modo que ficavam admirados. E diziam: "De onde lhe vem essa sabedoria e esses milagres? 55Não é ele o filho do carpinteiro? Sua mãe não se chama Maria, e seus irmãos não são Tiago, José, Simão e Judas? 56E suas irmãs não moram conosco? Então, de onde lhe vem tudo isso?" 57E ficaram escandalizados por causa dele. Jesus, porém, disse: "Um profeta só não é estimado em sua própria pátria e em sua família!" 58E Jesus não fez ali muitos milagres, porque eles não tinham fé. Palavra do Senhor!

 

Leituras paralelas: Mc 6, 1-6; Lc 4, 16-30; Jo 4, 44

 

 

 

Comentando o Evangelho

O mestre sob suspeita

 

A sabedoria de Jesus deixou intrigada a população de Nazaré, onde ele vivera desde a infância: De onde lhe vinham tanta sabedoria e o poder de fazer milagres? Não era possível que o filho de um carpinteiro, bem conhecido no povoado, manifestasse uma sabedoria maior que a dos grandes mestres. Era inexplicável como alguém, cujos parentes nada tinham de especial, falasse com tamanha autoridade. Os concidadãos de Jesus suspeitavam dele, e não acreditavam de que estivesse falando e agindo por inspiração divina. Por este motivo, o Mestre tornou-se para eles motivo de escândalo.

 

A experiência de rejeição não chegou a desanimar Jesus. Ele se deu conta de estar vivendo uma situação semelhante à dos antigos profetas de Israel. Nenhum deles foi aceito e reconhecido pelo povo ao qual tinham sido enviados. Antes, todos foram desprezados e humilhados, quando não, assassinados de maneira perversa e desumana.


Jesus não perdeu tempo com quem se obstinava em não aceitá-lo. Por isso, não realizou em Nazaré muitos milagres. Seria perda de tempo, acarretaria ainda mais maledicência, acirraria os ânimos do povo. Por isso, seguiu em frente, buscando quem estivesse aberto para deixar-se tocar por sua mensagem. O fracasso não o abateu nem atenuou o ardor com que realizava a missão que o Pai lhe tinha confiado. [Evangelho Nosso de Cada Dia, Pe. Jaldemir Vitório, ©Paulinas, 1997]

 

Para sua reflexão: O povoado de Nazaré é para onde Jesus se dirige a fim de pregar na sinagoga e se encontra com a incompreensão e a rejeição. O que expôs em suas parábolas cumpre-se em seus cidadãos: “olhando, não veem e, escutando, não ouvem nem compreendem”. Sua imagem de profeta não compatível com a humildade de sua família nem com sua condição de artesão. É possível que suas mãos calejadas de trabalhador sejam agora instrumentos de Deus para curar e libertar? Admiram-se, perguntam, mas resistem a responder, porque tropeçam na humildade e pobreza do carpinteiro. Como vai Deus se revelar com seus sinais e prodígios em um pobre como Jesus que seus concidadãos conhecem bem.  

 

São Pedro Crisólogo

 

 

São Pedro, foi um dos oradores mais famosos da Igreja Católica, e foi educado pelo Bispo dessa cidade Cornélio, pelo qual conservou sempre uma grande veneração.

 

O Bispo Cornélio convenceu a São Pedro de que no domínio das próprias paixões e no rechaçar dos maus desejos reside a verdadeira grandeza, e que este é um meio seguro para conseguir as bênçãos de Deus.

 

São Pedro gozou da amizade do imperador Valentiniano e da mãe deste, Plácida, e por recomendação de ambos, foi nomeado Arcebispo de Ravena. Também gozou da amizade do Papa São Leão Magno. Quando passou a ser arcebispo de Ravena, havia nesta cidade um grande número de pagãos. Ele trabalhou com tanto entusiasmo para convertê-los, que quando ele faleceu já eram pouquíssimos os pagãos neste lugar. Seus sermões eram de grande agrado das pessoas e por isso lhe puseram o sobrenome de "crisólogo", que deseja dizer, que fala muito bem. Sua maneira de falar era concisa, sensível e prática. As pessoas se admiravam por suas exortações bastante breves, serem capazes de resumir as verdades mais importantes da fé.

 

Conservam dele, 176 sermões, muito bem preparados e cuidadosamente redigidos. Por sua grande sabedoria ao pregar e escrever, foi nomeado Doutor da Igreja, pelo Papa Benedito XIII. Recomendava muito a comunhão frequente e exortava a seus ouvintes a converterem à Sagrada Eucaristia em seu alimento de todas as semanas.

 

 

Todos os nossos dias estão nas Mãos de Deus cuja Providência não falha! (D. Bernardo Schuch)