Sexta-feira, 16 de julho de 2010

Nossa Senhora do Carmo, Festa, 2ª do Saltério (Livro III),  cor Litúrgica Branca

 

 

Hoje: Dia do Comerciante

 

Santos: Nossa Senhora do Carmo (ou N.Srª do Monte Carmelo), Maria Madalena Postel, Vitalino, Hilarino, Atenogênio (bispo de Sebaste, na Armênia), Sisenando (Córdova), Bartolomeu dos Mártires

 

Antífona: Salve, ó santa mãe de Deus, vós destes à luz o rei, que governa o céu e a terra pelos séculos eternos.

 

Oração: Venha, ó Deus, em nosso auxílio a gloriosa intercessão de Nossa Senhora do Carmo para que possamos, sob sua proteção, subir ao monte que é Cristo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

I Leitura: Zacarias (Zc 2, 14-17)
Eis que venho habitar no meio de ti, Sião

 

14"Rejubila, alegra-te, cidade de Sião, eis que venho para habitar no meio de ti, diz o Senhor. 15Muitas nações se aproximarão do Senhor, naquele dia, e serão o seu povo. Habitarei no meio de ti, e saberás que o Senhor dos exércitos me enviou a ti. 16O Senhor entrará em posse de Judá, como sua porção na terra santa, e escolherá de novo Jerusalém. 17Emudeça todo mortal diante do Senhor, ele acaba de levantar-se de sua santa habitação". Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a 1ª Leitura

Ele acaba de levantar-se de sua santa habitação

 

O livro de Zacarias é o mais longo dentre os profetas menores. Suas profecias são a respeito da vinda do Salvador e do estabelecimento de novos moradores na terra. O Senhor vem morar com a comunidade no Templo. A incorporação dos pagãos não tira de Judá e Jerusalém seu lugar privilegiado: “porção escolhida”. “Emudeça todo mortal diante do Senhor...” é como o grito de um arauto impondo silêncio ao chegar o soberano.

 

 

Cântico: Lc 1, 46-47.48-49.50-51.52-53.54-55 (R/.49)

O poderoso fez por mim maravilhas, e santo é o seu nome

 

A minha alma engrandece ao Senhor, e se alegrou o meu espírito em Deus, meu salvador. 

 

Pois ele viu a pequenez de sua serva, desde agora as gerações hão de chamar-me bendita. O poderoso fez maravilhas, santo é seu nome.

 

Seu amor, de geração em geração, chega a todos que o respeitam. Demonstrou o poder de seu braço, dispersou os orgulhosos.

 

Derrubou os poderosos de seus tronos e os humildes exaltou. De bens saciou os famintos e despediu, sem nada, os ricos.

 

Acolheu Israel, seu servidor, fiel ao seu amor, como havia prometido aos nossos pais, em favor de Abraão e de seus filhos para sempre.

 

Evangelho: Mt 12, 46-50

Os verdadeiros parentes de Jesus

 

Naquele tempo, 46enquanto Jesus estava falando às multidões, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. 47Alguém disse a Jesus: "Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem falar contigo". 48Jesus perguntou àquele que tinha falado: "Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?" 49E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: "Eis minha mãe e meus irmãos. 50Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe". Palavra da Salvação!

 

Comentando o Evangelho

Ruptura dramática

 

O serviço ao Reino exigiu de Jesus uma ruptura dramática dos laços familiares, difícil de ser entendida pela sociedade da época. O sentido da solidariedade era muito agudo no mundo bíblico. E a solidariedade, no interno da família, era indispensável para a sobrevivência, seja no nível humano seja no nível social. A perda do referencial familiar redundava na perda da identidade social. Portanto, a ruptura dos laços familiares eram uma espécie de suicídio. É bem provável que tal atitude fosse raríssima, ou até mesmo inexistente, no ambiente bíblico.

 
A interrogação de Jesus: "Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?" deve ter causado um sobressalto nos ouvintes. Para poder entendê-la corretamente, era preciso pensar como ele. Afinal, ele dava mostras de não ser um tresloucado.


A opção de Jesus decorria da centralidade do Reino de Deus em sua vida. O Mestre estabelecia laços tão profundos entre os que aderiam a ele, a ponto de transformá-los numa grande família. Desta forma, os discípulos podiam considerar-se perfeitamente irmãos, irmãs e mães. Era assim que Jesus se sentia quando estava com eles. Também era assim que deveriam sentir-se quando se reuniam em comunidade, pois pertenciam, agora, com Jesus, a uma nova família. Os laços de sangue ficavam em segundo lugar
. [Evangelho Nosso de Cada Dia, Pe. Jaldemir Vitório, ©Paulinas, 1997]

 

Leituras paralelas: Mc 3, 31-35; Lc 8, 19-21

 

Para sua reflexão: Não são só discípulos e apóstolos, mas também sua nova família e unida, porque ele será o centro e vinculo. O termo “irmãos” abrange, em linguagem bíblica, também os  parentes. Quanto à mãe, ninguém como Maria cumpriu a vontade do Pai: sua maternidade se identifica com um deixar fazer: “Que a sua palavra se cumpra em mim...” (Lc 1, 38) [Bíblia do Peregrino]

 

Nossa Senhora do Carmo

Hoje é a grande festa da Ordem dos Carmelitas e da grande família dos devotos de Nossa Senhora do Carmo. O monte Carmelo era célebre no Antigo Testamento pela sua rica vegetação, mas, sobretudo, porque foi teatro de grandes acontecimentos ao tempo do profeta Elias. Fugindo do ímpio rei Acab, Elias escondeu-se numa gruta do monte Carmelo e de lá viu a nuvenzinha da qual devia chover abundante água sobre a terra árida. Pela oração de Elias, no monte Carmelo caiu fogo do céu sobre seu holocausto, como prova evidente que Deus estava com ele e não com os falsos profetas (1Rs 18,1-40).

 

Segundo uma antiquíssima tradição, lá se formou um mosteiro de profetas à espera  da vinda  do  Messias.   Verdade  é  que  no  monte  Carmelo  vivia  uma comunidade de eremitas que, pelo cruzado  Bertoldo,  por  volta  do  ano 1150, foi transformada em Ordem religiosa melhor adaptada aos costumes do Ocidente. Fugindo às perseguições dos sarracenos, os monges emigraram mais tarde para a Europa.

Na noite de 15 para 16 de julho de 1225 a Santíssima Virgem ordenou ao Papa Honório III que aprovasse sua Ordem. Como as perseguições não deixassem de molestar esses religiosos, São Simão Stock, seu sexto superior geral, implorou da Santíssima Virgem um sinal particular de sua proteção. Em 16 de julho de 1251, a Virgem Maria lhe indicou o escapulário como insígnia especial de seu amor maternal. Daí o nome de Festa do Escapulário dado à solenidade deste dia.

O escapulário é uma veste comum a muitas congregações religiosas mas particularmente distintiva da Ordem dos Carmelitas. Impõe-se hoje também um escapulário de formato pequeno a pessoas do mundo para lhes permitir que participem das grandes graças que a ele estão ligadas; entre outras, o privilégio sabatino.

Em sua bula chamada Sabatina, o Papa João XXII afirma que aqueles que usarem o escapulário serão depressa libertados das penas do purgatório no sábado que se seguir à sua morte. As vantagens do privilégio sabatino foram ainda confirmadas pela Sagrada Congregação das Indulgências, em 14 de julho de 1908.

A devoção a Nossa Senhora do Carmo é das mais antigas e espalhadas pelo mundo, sobretudo nos meios de origem espanhola. [O SANTO DO DIA, Dom Servilio Conti, ©Vozes, 1997]

Oração de Nossa Senhora do Carmo

Senhora do Carmo, Rainha dos Anjos, canal das mais ternas mercês de Deus para com os homens. Refúgio e Advogada dos pecadores, com confiança eu me prostro diante de vós suplicando-vos que obtenhais ... (pede-se a graça). Em reconhecimento, solenemente prometo recorrer a vós em todas as minhas dificuldades, sofrimentos e tentações, e farei tudo que ao meu alcance estiver, a fim de induzir outros a amar-vos, reverenciar-vos e invocar-vos em todas as suas necessidades. Agradeço-vos as inúmeras bênçãos que tenho recebido de vossa mercê e poderosa intercessão. Continuai a ser meu escudo nos perigos, minha guia na vida e minha consolação na hora da morte. Amém. Nossa Senhora do Carmo, advogada dos pecadores mais abandonados, rogai pela alma do pecador mais abandonado textos na Internet , via web, depende de prévia autorização.

 

Amizade é ajuda recíproca para o mútuo aperfeiçoamento. (Frei Anselmo Fracasso)