Sexta-feira, 04 de março de 2011

São Casimiro – Ofício de Memória - 4ª Semana do Saltério - cor Litúrgica Branca

 

 

Hoje: Dia Mundial de Orações da Mulher

 

Santos: Adriano (bispo, mártir na Ilha de May), Arquelau, Casimiro, Cirilo e Fócio (mártires de Nicomédia), Basílio, Eugênio, Agatodoro, Elpídio, Etério, Efrém, Nestor e Arcádio, bispos em Chersoneso (mártires), Capitão (primeiro bispo de Lugo, mártir), Lúcio (papa, mártir), Romeu de Limoges (carmelita, bem-aventurado).

 

Antífona: Bendito o homem que espera no Senhor e põe no Senhor a sua confiança. É como árvore plantada junto ao rio, que estende suas raízes para as águas e não teme a chegada do calor. (Jr 17,7-8)

 

Oração: Ó Deus todo-poderoso, a quem servir é reinar, dai-nos, pela intercessão de são Casimiro, a graça de vos servir com retidão e santidade. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Leitura:I Eclesiástico (Eclo 44,1.9-13)

Nossos antepassados através das gerações

 

1Vamos fazer o elogio dos homens famosos, nossos antepassados através das gerações. 9Outros não deixaram lembrança alguma, desaparecendo como se não tivessem existido. Viveram como se não tivessem vivido, e seus filhos também, depois deles. 10Mas estes, ao contrário, são homens de misericórdia; seus gestos de bondade não serão esquecidos. 11Eles permanecem com seus descendentes; seus próprios netos são a sua melhor herança. 12A descendência deles mantém-se fiel às alianças, 13e, graças a eles, também os seus filhos. Sua descendência permanece para sempre, e sua glória jamais se apagará. Palavra do Senhor!

 

Comentando a I Leitura

Nossos pais são homens de misericórdia

 

Este elogia dos homens que foram grandes com Deus será retomado na epístola aos Hebreus (c.11) e permanece na memória que a Igreja faz dos mártires e Santos, que construíram sua história, a história mais profunda e verdadeira, a do homem com Deus. “Em seu dia natalício a Igreja proclama o mistério pascal realizado nos Santos que sofreram com Cristo e com ele são glorificados, e propõe aos fiéis o seu exemplo, que atrai todos ao Pai por meio de Cristo”. A luta pela oração, pela vitória sobre si mesmos, por uma ardente bondade, por um amor puro, pela fidelidade conjugal, pela virgindade, paz e a paciência é a verdadeira vitória da Igreja. Também da história de nossa vida, o que em verdade permanecerá na história de nosso amor com relação a Deus e aos irmãos. [MISSAL COTIDIANO, ©Paulus, 1997]

 

Salmo: 149, 1-2.3-4.5-6a.9b (R.4a)
O Senhor ama seu povo de verdade

 

1Cantai ao Senhor Deus um canto novo, e o seu louvor na assembleia dos fiéis! 2Alegre-se Israel em Quem o fez, e Sião se rejubile no seu Rei!

 

3Com danças glorifiquem o seu nome, toquem harpa e tambor em sua honra! 4Porque, de fato, o Senhor ama seu povo e coroa com vitória os seus humildes.

 

5Exultem os fiéis por sua glória, e cantando se levantem de seus leitos, 6acom louvores do Senhor em sua boca 9bEis a glória para todos os seus santos.

 

Evangelho do dia: Mateus (Mt 11, 11-26)

Perdoai tudo o que tiverdes contra alguém

 

Tendo sido aclamado pela multidão, 11Jesus entrou, no Templo, em Jerusalém, e observou tudo. Mas, como já era tarde, saiu para Betânia com os doze.

 

12No dia seguinte, quando saíam de Betânia, Jesus teve fome. 13De longe, ele viu uma figueira coberta de folhas e foi até lá ver se encontrava algum fruto. Quando chegou perto, encontrou somente folhas, pois não era tempo de figos. 14Então Jesus disse à figueira: 'Que ninguém mais coma de teus frutos.' E os discípulos escutaram o que ele disse.

 

15Chegaram a Jerusalém. Jesus entrou no Templo e começou a expulsar os que vendiam e os que compravam no Templo. Derrubou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos vendedores de pombas. 16Ele não deixava ninguém carregar nada através do Templo. 17E ensinava o povo, dizendo: 'Não está escrito: 'Minha casa será chamada casa de oração para todos os povos'? No entanto, vós fizestes dela uma toca de ladrões.' 18Os sumos sacerdotes e os mestres da Lei ouviram isso e começaram a procurar uma maneira de o matar. Mas tinham medo de Jesus, porque a multidão estava maravilhada com o ensinamento dele. 19Ao entardecer, Jesus e os discípulos saíram da cidade.

 

20Na manhã seguinte, quando passavam, Jesus e os discípulos viram que a figueira tinha secado até a raiz. 21Pedro lembrou-se e disse a Jesus: 'Olha, Mestre: a figueira que amaldiçoaste secou.' 22Jesus lhes disse: 'Tende fé em Deus. 23Em verdade vos digo, se alguém disser a esta montanha: 'Levanta-te e atira-te no mar', e não duvidar no seu coração, mas acreditar que isso vai acontecer, assim acontecerá. 24Por isso vos digo, tudo o que pedirdes na oração, acreditai que já o recebestes, e assim será. 25Quando estiverdes rezando, perdoai tudo o que tiverdes contra alguém, para que vosso Pai que está nos céus também perdoe os vossos pecados.' Palavra da Salvação!

 

Leituras Paralelas: A figueira estéril Mt 21,18-20; Mt 21,12-17; Purificação do templo: Lc 19,45-48; Jo 2,13-18; A figueira seca: Mt 21,18-22; Jo 14,13-14

 

Comentário o Evangelho

O templo profanado

 

O comércio no templo deu margem para que a corrupção tomasse conta dele.  Jesus interpretou o fato como uma forma de profanação, embora a classe sacerdotal e o pessoal ligado ao culto fossem coniventes com a situação implantada. Criou-se um perigoso conluio entre religião e comércio, a ponto de se operar uma sacralização deste em desprestígio daquela. Os comerciantes, é obvio, ambicionavam o lucro, esquecendo-se de que sua presença no lugar sagrado só deveria visar a facilitação da vida dos peregrinos. A casa de Deus transformou-se num polo de exploração. De outra parte, o comércio acentuava ainda mais a distinção entre ricos e pobres. Os primeiros possuíam dinheiro suficiente para comprar animais de grande porte para oferecer em sacrifício, e trocavam grandes somas de dinheiro com os cambistas. Quanto aos pobres, pouco tinham para adquirir o suficiente para a própria oferta.

 

Sendo assim, os verdadeiros fundamentos da religião acabavam sendo olvidados. Antes de mais nada, a vida de oração baseada numa fé sólida, que dá ao orante a certeza de ser atendido. A fé abre o coração para Deus, impedindo a pessoa de confiar na posse dos bens. Pelo contrário, perdão e a reconciliação deixavam de fazer parte das disposições de quem se aproximava de Deus, no templo convertido em um antro de ladrões. O ambiente dispersivo impedia que o peregrino se conscientizasse do dever de buscar a comunhão com o próximo, antes de voltar-se para Deus. [O EVANGELHO DO DIA, Ano B. Jaldemir Vitório. ©Paulinas, 1996]

 

Oração da assembleia: (Liturgia Diária)

-A fim de que nossos templos sejam lugares de experiência de Deus, e não de alienação, rezemos: Senhor, atendei a nossa prece!

-A fim de que saibamos reconhecer a preservar os legítimos valores dos antepassados, rezemos.

-A fim de que as famílias se preocupem em promover boas obras para as futuras gerações, rezemos.

-A fim de que construamos uma sociedade plena de humanidade e justiça, rezemos.

-A fim de que o exemplo de são Casimiro nos motive a assumir o projeto do reino, rezemos.

Preces espontâneas

 

Oração sobre as Oferendas:

Ó Pai, imploramos a vossa clemência, ao apresentarmos estas oferendas ao vosso altar na comemoração do vosso santo. Que elas vos deem toda glória e derramem sobre nós a riqueza de vossa graça. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Antífona da comunhão:

Como o Pai me amou, eu também vos amei, diz o Senhor; permanecei no meu amor. (Jo 15,9)

 

Oração Depois da Comunhão:

Senhor nosso Deus, os divinos mistérios de que participamos na comemoração dos vossos santos realizem em nós a salvação e a paz eterna. Por Cristo, nosso Senhor.

 

São Casimiro

 

O Santo que comemoramos hoje foi proclamado padroeiro da juventude Lituânia. O nome de Casimiro, o qual possui como significado do nome: comandar, tornou-se profecia, pois com o auxílio do Espírito Santo e da Virgem Maria comandou todo o seu pensar, falar e agir para Cristo e os irmãos. Casimiro era filho do rei da Polônia, nasceu com o título de grão-duque da Lituânia, sua terra natal, isto no ano de 1458. De família real e católica, Casimiro poderia se envolver em perigos políticos, por isso renunciou o direito ao trono, acolhendo assim a voz do Papa sobre a situação. Aceitou o dom do celibato como seu estado de vida e, com a ajuda da mãe e rainha, começou a receber forte educação espiritual do cônego de Cracóvia. São Casimiro, com dezessete anos e, debilitado pelo excesso de penitência, começou a ajudar o pai no governo da Lituânia, usando sempre a força da oração, prudência e tudo permeado pelo seu amor profundo ao Santíssimo Sacramento e a Nossa Senhora. Admirado pelos súditos e amado pelo povo foi vítima de tuberculose que o vitimou no ano 1484, mas não tirou dele o Prêmio Eterno.

 

Aconteceu no dia 4 de março:

1319: O Papa João XXII autoriza a criação da Ordem de Cavalaria de Nosso Senhor Jesus Cristo, que substitui os Templários, ordem extinta pelo Papa Clemente V em 1311.

 

Amor e ódio são os dois mais poderosos afetos da vontade humana. (Pe. Antônio Vieira)