Segunda-feira, 29 de agosto de 2011

São João Batista (Martírio), Ofício de Memória, 2ª Semana do Saltério, cor Vermelha

 

Hoje: Dia Nacional do Combate ao Fumo

 

Santos: Adelfo de Metz (bispo), Alberico de Ocri (monge, bem-aventurado), André (mártir), Basília de Esmirna (virgem), Cândida de Roma (virgem, mártir), Eutímio de Perúgia (mártir), Filipa Guidoni (abadessa, bem-aventurada), Ghebra Mikael (presbítero, mártir, bem-aventurado), Hipácio (mártir, Constantinopla), Joana Jugan (fundadora das Irmãzinhas dos Pobres, bem-aventurada), João Batista (paixão), Mederico de Autun (abade, 700aC), Nicéias (mártir), Paulo (mártir), Repósito (mártir), Ricardo Herst (mártir, bem-aventurado), Sabina de Roma (mártir, séc. V), Sabina de Troyes (virgem), Sator (mártir), Sebe (monge, rei, Inglaterra, séc. VII), Veleico de Kaiserswerth (abade) e Vital (mártir).

 

Antífona: Diante dos reis falo da vossa aliança, sem temer a vergonha. Encontro alegria em vossos preceitos, porque muito os amo. (Sl 118, 46-47)

 

Oração: Ó Deus, quisestes que São João Batista fosse o precursor do nascimento e da morte do vosso Filho; como ele tombou na luta pela justiça e a verdade, fazei-nos também lutar corajosamente para testemunhar a vossa palavra. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

 

Leitura: Jeremias (Jr 1, 17-19)

Estou contigo para defender-te

 

Naqueles dias, a palavra do Senhor foi-me dirigida: 17"Vamos, põe a roupa e o cinto, levanta-te e comunica-lhes tudo que eu te mandar dizer: não tenhas medo, senão, eu te farei tremer na presença deles. 18Com efeito, eu te transformarei hoje numa cidade fortificada, numa coluna de ferro, num muro de bronze, contra todo o mundo, frente aos reis de Judá e seus príncipes, aos sacerdotes e ao povo da terra; 19eles farão guerra contra ti, mas não prevalecerão, porque eu estou contigo para defender-te", diz o Senhor. Palavra do Senhor!

 

 

 

Comentando a Leitura

Quando a perseguição cerca por fora, surgem

por dentro os medos que paralisam

 

Quem veste longa túnica flutuante, a cinge (coloca o cinto) para o trabalho ou para a luta. Quando a perseguição cerca por fora, surgem por dentro os medos que paralisam; o profeta deve superá-los confiando em Deus. Se falhar na confiança, ficará invadido de medos que se multiplicam, como que atiçados por Deus. Três comparações expressivas: “praça-forte”, “coluna”, “muralha”: cairá a cidade, abrirão brecha na sua muralha, derrubarão suas colunas. O profeta resistirá: como? [Missal Cotidiano, ©Paulus, 1997]

 

 

 

Salmo: 70(71), 1-2.3-4a.5-6ab.15ab e 17  (R/.15a)

Minha boca anunciará vossa justiça

 

Eu procuro meu refúgio em vós, Senhor: que eu não seja envergonhado para sempre! Porque sois justo, defendei-me e libertai-me! Escutai a minha voz, vinde salvar-me.

 

Sede uma rocha protetora para mim, um abrigo bem seguro que me salve! Porque sois a minha força e meu amparo, o meu refúgio, proteção e segurança! Libertai-me, ó meu Deus, das mãos do ímpio.

 

Porque sois, ó Senhor Deus, minha esperança, em vós confio desde a minha juventude! Sois meu apoio desde antes que eu nascesse, desde o seio maternal, o meu amparo.

 

Minha boca anunciará todos os dias vossa justiça e vossas graças incontáveis. Vós me ensinastes desde a minha juventude, e até hoje canto as vossas maravilhas.

Evangelho: Marcos (Mc 6, 17-29)
Herodíades pede a cabeça de João Batista

 

Naquele tempo, 17Herodes tinha mandado prender João, e colocá-lo acorrentado na prisão. Fez isso por causa de Herodíades, mulher do seu irmão Filipe, com quem se tinha casado. 18João dizia a Herodes: "Não te é permitido ficar com a mulher do teu irmão". 19Por isso, Herodes o odiava e queria matá-lo, mas não podia. 20Com efeito, Herodes tinha medo de João, pois sabia que ele era justo e santo, e por isso o protegia. Gostava de ouvi-lo, embora ficasse embaraçado quando o escutava.

 

21Finalmente, chegou o dia oportuno. Era o aniversário de Herodes, e ele fez um grande banquete para os grandes da corte, os oficiais e os cidadãos importantes da Galiléia. 22A filha de Herodíades entrou e dançou, agradando a Herodes e seus convidados. Então o rei disse à moça: "Pede-me o que quiseres e eu te darei". 23E lhe jurou dizendo: "Eu te darei qualquer coisa que me pedires, ainda que seja a metade do meu reino". 24Ela saiu e perguntou à mãe: "O que vou pedir?" A mãe respondeu: "A cabeça de João Batista". 25E, voltando depressa para junto do rei, pediu: "Quero que me dês agora, num prato, a cabeça de João Batista".

 

26O rei ficou muito triste, mas não pôde recusar. Ele tinha feito o juramento diante dos convidados. 27Imediatamente, o rei mandou que um soldado fosse buscar a cabeça de João. O soldado saiu, degolou-o na prisão, 28trouxe a cabeça num prato e a deu à moça. Ela a entregou à sua mãe. 29Ao saberem disso, os discípulos de João foram lá, levaram o cadáver e o sepultaram. Palavra da Salvação!

 

 

Leituras Paralelas: Mt 14, 3-12; Lc 3, 19-20

 

 

Comentando o Evangelho

Um exemplo de liberdade

 

O relato do destino trágico de João Batista serve de lição para os discípulos de Jesus, no exercício da missão. A liberdade, que o Precursor demonstrou, deverá ser imitada por quem está a serviço do Reino, e se defronta com tiranos e prepotentes, que intimidam e querem calar quem lhes denuncia as mazelas.

 

Prevalecendo-se de sua condição, Herodes seduziu a mulher do irmão para se casar com ela. João Batista não teve medo de enfrentá-lo, e dizer-lhe não ser permitido conservar como esposa, quem não lhe pertencia. Sua condição real não lhe dava o direito de praticar tamanha arbitrariedade.

 

O profeta João sabia exatamente com quem estava falando. Ele um “ze ninguém", questionando uma autoridade estabelecida pelo imperador, com direitos quase absolutos sobre os cidadãos. Por isso, não lhe parecia errado atropelar o direito sagrado de seu irmão, de ter uma esposa.

 

Por outro lado, todos conheciam muito bem o espírito violento da família de Herodes. Mesmo assim, João não hesitou em denunciá-lo publicamente.

 

Quiçá não contasse com a ira de Herodíades, atingida também pela denúncia. Foi ela quem instigou Herodes a consumar sua maldade: decapitar a quem mandara colocar na prisão, por ter-lhe lançado em rosto o seu pecado.  O testemunho de João Batista inspira a quem se tornou discípulo da verdade. [O EVANGELHO NOSSO DE CADA DIA, Ano B, ©Paulinas, 1996]

 

Oração da assembleia (Liturgia Diária)

Pela Igreja peregrina, para que Deus continue lhe enviando profetas corajosos, rezemos. Senhor, escutai nosso prece.

Pelos povos do mundo, para que, rejeitando a violência e a mentira, se abram a Cristo, rezemos.

Pelos perseguidos por causa da verdade, para que tenham a força que animou João Batista, rezemos.

Pelos mártires da América Latina, para que sejam sementes de novos e fiéis cristãos, rezemos.

Pelas vítimas da violência e da injustiça, para que sejam testemunhas contra os abusos de poder, rezemos.

(preces espontâneas)

 

Oração sobre as Oferendas:

Ó Deus, pela oferenda que vos apresentamos, dai-nos aquela retidão dos vossos caminhas que são João Batista, voz que chama no deserto, ensinou e confirmou com seu sangue. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Antífona da comunhão:

João Batista dizia a seus discípulos: É preciso que ele cresça e que eu diminua. (Jo 3,27.30)

 

Oração Depois da Comunhão:

Alegrando-nos na festa de São Bartolomeu, recebemos, ó Pai, o penhor da salvação. Por Cristo, nosso Senhor.

 

 

 

Martírio de São João Batista

 

John Nascimento

Conhecemos a história da degolação de João Batista

através de Herodes Antipas, de Salomé e de Herodíades.

 

SALOMÉ

 

Há no Novo Testamento duas mulheres com o nome de Salomé.

 

ü  Esposa de Zebedeu e mãe dos Apóstolos Tiago e João.

ü  Filha de Herodíades (filha de Aristóbulo) e de Herodes Filipe.

 

O seu nome não é mencionado nos Evangelhos, mas foi a sua dança que levou Herodes Antipas a prometer-lhe o que ela quisesse nem que fosse metade do seu reino e donde nasceu a execução de João Baptista que estava na prisão "por causa de Herodíades, mulher de Filipe, seu irmão, pois João dizia-lhe: Não a podes ter contigo". (Mt  14,3-4, cf. Mc 6,14-29).

 

Ela era a mulher de Filipe, o tetrarca e, depois da morte dele casou com Aristóbulo, o filho de Herodes de Cálcis. Nasceu provavelmente no ano 10, de modo que seria ainda muito jovem quando dançou para Herodes.  Na altura em que casou com Filipe devia haver entre eles uma diferença de cerca de 30 anos.

 

HERODÍADES

 

Era neta de Herodes o Grande, e tornou-se mais conhecida pela sua atitude sórdida de pedir a cabeça de João Baptista. Tanto seu pai Aristóbulo como sua avó Mariana I foram assassinados por ordem de Herodes, respectivamente no ano 6 a.C. e no ano 29. Herodíades, segundo a descrição dos Evangelhos (que é um pouco diferente da opinião de Josefo), casou com Herodes Filipe, filho de Herodes o Grande e de Mariana I, neta de Simão, sumo sacerdote.

 

Tiveram um filha chamada Salomé.

 

Este Herodes Filipe era um homem sem ambições que não tomava parte na vida pública. Herodíades encontrou-se com Herodes Antipas em Roma no ano 28 e apaixonaram-se um pelo outro, de modo que cada um deles se divorciou e juntaram-se. Esta escandalosa união foi detestada por Judeus e Galileus e muito censurada por João Batista. Herodes mandou João Batista para a prisão mas não teve coragem de o mandar executar.

 

Herodíades, todavia, desejosa de vingança, e, através da dança de sua filha que encantou Herodes no dia dos seus anos, pediu a cabeça de João Batista num prato: Dá-me, aqui, num prato, a cabeça de João Batista.(Mt 14,8).

 

A ambição de Herodíades foi responsável pela ruína de seu marido. Invejosa pela dignidade real concedida a seu irmão Agripa I por Calígula no ano 37, ela persuadiu Herodes a ir para Roma e pedir o título de rei. Agripa enviou membros do seu governo para atribuir responsabilidades de deslealdade contra Herodes. Ele não as conseguiu refutar e foi exilado para Lyon, na Gália. Herodíades, como irmã favorita de Calígula, foi dispensada de acompanhar seu marido para o exílio; mas ela, num gesto nobre, resolveu acompanhá-lo livremente. A partir daí não foram mais mencionados na História.

 

Herodes Antipas.

 

Tetrarca da Galiléia e da Perea (de 4 a.C. a 39).

 

Era o segundo filho sobrevivente de Herodes o Grande. E foi quem mandou prender João Batista e que, por pedido de Herodíades, esposa de seu irmão, o mandou executar:

 

Por aquele tempo a fama de Jesus chegou aos ouvidos de Herodes, o tetrarca.[...] Herodes, com efeito, depois de prender João, algemara-o e metera-o na prisão, por causa de Herodíades, mulher de Filipe, seu irmão, pois dizia-lhe: Não a podes ter contigo. (Mt 14,1-4).

 

Jesus chamou-lhe raposa quando foi avisado pelos Fariseus que ele O queria matar:

 

Parte, vai-Te daqui, porque Herodes quer matar-Te. Respondeu-lhes : " Ide dizer a essa raposa: Agora estou a expulsar demônios e a realizar curas hoje e amanhã. (Lc. 13,31-32).

 

Herodes Antipas é normalmente classificado como ocioso, vicioso e extravagante. Todo o processo da condenação de Jesus se passa com Herodes Antipas. Casou e divorciou-se da filha de Aretas, rei da Arábia. E mais tarde casou com Herodíades, mulher de seu irmão Filipe, o tetrarca da Itureia.  Herodes Antipas mandou construir o castelo e a cidade de Tiberias, sua capital, a Noroeste do Mar da Galiléia.

 

Dia Nacional de Combate ao Fumo - Lei Nº 7.488, 11/06/1986 

O tabagismo é principal causa de muitas doenças pulmonares, como a bronquite crônica, o enfisema pulmonar e o câncer de pulmão. Está associado ainda a doenças cardiovasculares e a tumores em vários outros locais.

Com o objetivo de conscientizar a população sobre o assunto e diminuir os riscos desses tipos de doenças, o governo aprovou, em 1986, a Lei Federal nº 7488, que estabeleceu o dia 29 de agosto como Dia Nacional de Combate ao Fumo, criando assim, o compromisso de elaborar campanhas de combate ao tabagismo. Essa iniciativa também é praticada em todo mundo no dia 31 de Maio, conhecido como Dia Mundial sem o Tabaco, que movimenta todos países na luta contra o vício.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, no Brasil, cerca de 30% da população adulta é fumante. Além disso, estima-se que ocorram, a cada ano, 125.000 mortes no país por doenças associadas ao fumo. Fonte: UFGNet; Soleis

 

Jamais poderemos amar perfeitamente ao próximo se não existe em

nós um grande amor a Deus. (Santa Teresa d´Ávila)