Segunda, 20 de setembro de 2010

Santos André e Paulo (Mártires), Memória 1ª Semana do Saltério (Livro III), cor Verde

 

 

Hoje: Dia do Engenheiro Químico e dia da Revolução Farroupilha

 

Santos: Fausta, André Kim Targon, Paulo Chong, Francisco Maria, Eustáqui, Evilásio, Prisca, Glicério (438), Carlos Cornay, Francisco de Posadas, Teófano Venard, Tomás Johnson, Carlos de Blois (confessor franciscano, ofs)

 

Antífona: Alegremo-nos todos no Senhor, celebrando este dia festivo em honra dos santos mártires. Conosco alegram-se os anjos e glorificam o Filho de Deus.

 

Oração: Ó Deus, criador e salvador de todas as raças, por vossa bondade, chamastes à fé a muitos irmãos na região da Coreia e os fizestes crescer pelo testemunho glorioso dos mártires André, Paulo e seus companheiros.  Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

.

 

 

Leitura: Provérbios (Pr 3, 27-34)
O Senhor abençoa quem age com amor e justiça

 

Meu filho, 27não recuses um favor a quem dele necessita, se tu podes fazê-lo. 28Não digas ao próximo: "Vai embora, volta amanhã, então te darei", quando podes dar logo! 29Não trames o mal contra o próximo, quando ele vive contigo cheio de confiança. 30Não abras processo contra alguém sem motivo, se não te fez mal algum! 31Não invejes o homem violento, e não escolhas nenhum de seus caminhos, 32porque o Senhor detesta o perverso, mas reserva sua amizade aos íntegros. 33Senhor amaldiçoa a casa do ímpio, mas abençoa a morada dos justos. 34Ele zomba dos zombadores, mas concede o seu favor aos humildes. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a I Leitura

O Senhor detesta o perverso

 

O tema proposto é muito rico: generosidade e humildade de coração. O mestre exorta o discípulo ao dever da beneficência, na medida das próprias possibilidades e sem dilações (vv 27-28). Próximo é o "outro" que precisa de ti. Uma vida de generosidade é vida de serenidade, disse precedentemente o autor (vv 21-26). Os preceitos deste trecho são tão válidos hoje e tão claros que nos trazem inquietação. Nada teremos que nos censurar a este respeito? Serão talvez pequenas coisas, mas não descuremos pouco, que tem seu valor. O caminho a percorrer é o do coração na mão Um coração bom, aberto a todos, reconciliado e sensível aos outros. [MISSAL COTIDIANO, ©Paulus, 1997]

 

 

Salmo Responsorial: 14(15), 2-3ab.3cd-4ab.5 (R/.1b) 

O justo habitará no monte santo do Senhor

 

2”Senhor quem entrará em vossa casa?” Aquele que caminha sem pecado e pratica a justiça fielmente; 3aque pensa a verdade no seu íntimo 3be não solta em calúnias sua língua.

 

3cQue em nada prejudica o seu irmão, 3dnem cobre de insultos seu vizinho; 4aque não dá valor algum ao homem ímpio, 4bmas honra os que respeitam o Senhor.

 

5Não empresta o seu dinheiro com usura, nem se deixa subornar contra o inocente. Jamais vacilará quem vive assim!

 

 

Evangelho: Lucas (Lc 8, 16-18)
A palavra de Deus nos ilumina

 

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 16"Ninguém acende uma lâmpada para cobri-la com uma vasilha ou colocá-la debaixo da cama; ao contrário, coloca-a no candeeiro, a fim de que todos os que entram, vejam a luz. 17Com efeito, tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto; e tudo o que está em segredo deverá tornar-se conhecido e claramente manifesto. 18Portanto, prestai atenção à maneira como vós ouvis! Pois a quem tem alguma coisa, será dado ainda mais; e àquele que não tem, será tirado até mesmo o que ele pensa ter". Palavra da Salvação!

 

Leituras paralelas: Mt 5, 15; Mc 4, 21-25

 

 

 

Comentando o Evangelho

A tentação do sectarismo

 

As exigências do Reino e as dificuldades inerentes à sua vivência podem levar a comunidade cristã a voltar-se para si mesma, tornando-se uma espécie de gueto fechado, sem contato com o mundo. Este modo de proceder contradiz a dinâmica do Reino, tornando a comunidade infiel ao projeto cristão. O destino do Reino é que seja testemunhado a toda a humanidade; seus benefícios devem atingir cada ser humano.

 

A parábola da lâmpada alerta para o comportamento que se exige da comunidade cristã. Como a luz é acesa e posta no candeeiro, do modo a espargir seus raios por toda a casa, igualmente os cristãos devem procurar a posição a partir da qual seu testemunho possa atingir o maior número de pessoas. Supõe-se que seja uma comunidade capaz de acolher a todos, sem distinção, integrando-os em seu meio. Uma comunidade missionária, disposta a ir a todos os recantos da Terra para levar a mensagem do Evangelho. Uma comunidade cujo testemunho de vida corresponda às exigências do Reino, de forma a apresentá-lo como projeto de vida para os que vagueiam nas trevas do erro. Em suma, uma comunidade em que a semente do Reino produz frutos.

 

Assim, recusando a tentação do sectarismo, a comunidade cristã assume seu papel de fazer a luz do Evangelho chegar a todos os rincões do mundo. [Evangelho Nosso de Cada Dia, Pe. Jaldemir Vitório, ©Paulinas, 1997]

 

Para sua reflexão: Lucas conclui aqui o discurso em parábolas, salientando três ideias: à condição atual de obscuridade, contrapõe-se o brilho futuro do Evangelho; daí a necessidade de fazer brilhar a luz da palavra de Jesus e a importância da atitude daquele que escuta.  (Bíblia dos Capuchinhos)

 

Santo André Kim, Paulo Chong e Companheiros

 

 

 

 

Foram canonizados por João Paulo II, durante sua viagem à Coréia, no dia 6 de maio de 1984. Nesta ocasião, os coreanos, e com eles toda a Igreja, celebraram o segundo centenário da implantação do cristianismo na Coréia. No transcurso desses 200 anos, a Igreja católica na Coréia foi regada pelo sangue de seus mártires, cristãos de todas as idades e classes sociais: crianças, adultos, homens, mulheres, sacerdotes, leigos, ricos e pobres. Assim falou João Paulo II, na ocasião: Observai: mediante esta liturgia de canonização, os bem-aventurados mártires coreanos são inscritos no catálogo dos santos da Igreja católica. Estes são verdadeiros filhos e filhas da vossa Nação, juntamente com numerosos missionários vindos de outras terras. São os vossos antepassados, pela descendência, língua e cultura. Ao mesmo tempo, são os vossos pais e as vossas mães na fé que eles testemunharam derramando o próprio sangue. (Apud José Leite, S.J., op. cit., Vol. II, p. 22). [O SANTO DO DIA, Dom Servilio Conti, ©Vozes, 1997]

 

Para mim, só contam as minhas vitórias sobre mim mesmo. (Anthony Quinn)