Segunda-feira, 19 de setembro de 2011

25ª Semana do Tempo Comum, Ano Impar,  1ª do Saltério (Livro III), cor Litúrgica verde

 

 

Hoje: Dia do Ortopedista

 

Santos: Januário (305, Bispo de Benevento), Sena (1648), Constância, Afonso de Orozco, Teodoro, Pomposa (853), Emília de Rodat, Nilo, Pelé, Pedro de Corpa (servo do Senhor, e companheiros, martirizados, franciscano da 1ª ordem)

 

Antífona: Eu sou a salvação do povo, diz o Senhor. Se clamar por mim em qualquer provação, eu o ouvirei e serei seu Deus para sempre.

 

Oração: Ó Pai, que resumistes toda a lei no amor a Deus e ao próximo, fazei que, observando o vosso mandamento, consigamos chegar um dia à vida eterna. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Esdras (Esd 1, 1-6)

Ciro, rei da pérsia, autoriza o regresso dos cativos

 

1No primeiro ano do reinado de Ciro, rei da Pérsia, para que se cumprisse a palavra do Senhor pronunciada pela boca de Jeremias, o Senhor moveu o espírito de Ciro, rei da Pérsia, que mandou publicar em todo o seu reino, de viva voz e por escrito, a seguinte proclamação: 2"Assim fala Ciro, rei da Pérsia: O Senhor, Deus do céu, me deu todos os remos da terra e me encarregou de lhe construir um templo em Jerusalém, na terra de Judá. 3Quem, dentre vós todos, pertence ao seu povo? Que o Senhor, seu Deus, esteja com ele, e que se ponha a caminho e suba a Jerusalém, e construa o templo do Senhor, Deus de Israel, o Deus que está em Jerusalém. 4E a todos os sobreviventes, onde quer que residam, as pessoas do lugar proporcionem prata, ouro, bens e animais, além de donativos espontâneos para o templo de Deus, que está em Jerusalém".

5Então se levantaram os chefes de família de Judá e de Benjamim, os sacerdotes e os levitas, todos aqueles que se sentiram inspirados por Deus para ir edificar o templo do Senhor, que está em Jerusalém. 6E todos os seus vizinhos lhes trouxeram toda espécie de ajuda em prata, ouro, bens, animais e objetos preciosos, sem falar em todas as doações espontâneas. Palavra do Senhor!

 

Comentário

Quem, dentre vós todos, pertence ao povo de Deus

 

Na história da salvação dá-se uma nova e radical tomada de consciência da aliança do Sinai. Deus em pessoa habita doravante em Sião para governar seu povo (v.3). A casa de Davi parece não ter mais nenhuma tarefa a cumprir. O templo não é mais, como o anterior, obra de Salomão, mas fruto da vontade do próprio Deus, expressa através do decreto de um rei pagão. Deus faz reconhecer sua vontade de misericórdia por intermédio de um não-crente. Não se limita a falar pelos canais privilegiados da Igreja visível ou pelos que se dizem “fieis”. O cristão deve estar disposto a captar a voz de Deus vinda do mundo. Fidelidade a Deus significa capacidade de silêncio e de oração, para se deixar guiar e conduzir por Deus segundo seus modos e caminhos. Para tornar alento, viver o hoje do evangelho e, a cada aurora, aceitar serenamente o novo dia. [MISSAL COTIDIANO ©Paulus, 1997]

 

 

Salmo: 125(126), 1-2ab.2cd-3.4-5.6 (R/. 3a)

Maravilhas fez conosco o Senhor!

 

Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, parecíamos sonhar; encheu-se de sorriso nossa boca, nossos lábios, de canções.

 

Entre os gentios se dizia: "Maravilhas fez com eles o Senhor!" Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de alegria!

 

Mudai a nossa sorte, ó Senhor, como torrentes no deserto. Os que lançam as sementes entre lágrimas, ceifarão com alegria.

Chorando de tristeza sairão, espalhando suas sementes; cantando de alegria voltarão, carregando os seus feixes!   

 

Evangelho: Lucas (Lc 8, 16-18)

Lâmpada à vista

 

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 16"Ninguém acende uma lâmpada para cobri-la com uma vasilha ou colocá-la debaixo da cama; ao contrário, coloca-a no candeeiro, a fim de que todos os que entram, vejam a luz. 17Com efeito, tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto; e tudo o que está em segredo deverá tornar-se conhecido e claramente manifesto. 18Portanto, prestai atenção à maneira como vós ouvis! Pois a quem tem alguma coisa, será dado ainda mais; e àquele que não tem, será tirado até mesmo o que ele pensa ter". Palavra da Salvação!

 

 

Leitura paralela: Mc 4, 21-22; Mt 5, 15; Lc 11, 33; Jo 8, 12+; Mc 4, 24-25

 

 

 

Comentário o Evangelho

A tentação do sectarismo

 

As exigências do Reino e as dificuldades inerentes à sua vivência podem levar a comunidade cristã a voltar-se para si mesma, tornando-se uma espécie de gueto fechado, sem contato com o mundo. Este modo de proceder contradiz a dinâmica do Reino, tornando a comunidade infiel ao projeto cristão. O destino do Reino é que seja testemunhado a toda a humanidade; seus benefícios devem atingir cada ser humano.


A parábola da lâmpada alerta para o comportamento que se exige da comunidade cristã. Como a luz é acesa e posta no candeeiro, do modo a espargir seus raios por toda a casa, igualmente os cristãos devem procurar a posição a partir da qual seu testemunho possa atingir o maior número de pessoas. Supõe-se que seja uma comunidade capaz de acolher a todos, sem distinção, integrando-os em seu meio. Uma comunidade missionária, disposta a ir a todos os recantos da Terra para levar a mensagem do Evangelho. Uma comunidade cujo testemunho de vida corresponda às exigências do Reino, de forma a apresentá-lo como projeto de vida para os que vagueiam nas trevas do erro. Em suma, uma comunidade em que a semente do Reino produz frutos. Assim, recusando a tentação do sectarismo, a comunidade cristã assume seu papel de fazer a luz do Evangelho chegar a todos os rincões do mundo. [O EVANGELHO DO DIA. Jaldemir Vitório. ©Paulinas, 1998]

 

Preces da assembleia (Liturgia Diária)

Iluminai, Senhor, a vida dos que se comprometem com o reino de Deus. Senhor, escutai a nossa prece.

Protegei os que sofrem ameaças por anunciarem a palavra de Jesus.

Ajudai, ao longo desta semana, a ser luz na sociedade.

Abençoai as famílias de nossa comunidade.

Concedei a alegria eterna a todos os falecidos que se doarem em favor da comunidade.

(outras intenções)

 

 

Oração sobre as Oferendas:

Acolhei, ó Deus, nós vos pedimos, as oferendas do vosso povo, para que possamos conseguir por este sacramento o que proclamamos pela fé. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Antífona da comunhão:

Eu sou o bom pastor: conheço minhas ovelhas e minhas ovelhas me conhecem, diz o Senhor. (Jo 10,14)

 

Oração Depois da Comunhão:

Ó Deus, auxiliai sempre os que alimentais com o vosso sacramento para que possamos colher os frutos da redenção na liturgia e na vida. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Para sua reflexão: Lucas conclui aqui o discurso em parábolas, salientando três ideias: à condição atual de obscuridade, contrapõe-se o brilho futuro do Evangelho; daí a necessidade de fazer brilhar a luz da palavra de Jesus e a importância da atitude daquele que escuta.  (Bíblia dos Capuchinhos)

 

São Januário

 

San Gennaro (São Januário) era bispo de Benevento, cidade da região de Campânia, quando se iniciou a última perseguição que sofreu a Igreja antes da paz de Constantino: a do imperador romano, Diocleciano. Quando se dirigia à prisão para visitar os cristãos detidos, foi reconhecido e preso pelos soldados do governador de Campânia. São Januário, bispo de Benevento como relata os historiadores fora condenado às feras no anfiteatro de Pozzuoli juntamente com os companheiros de fé. Por causa do atraso de um juiz, não foi lançado às feras e sim decapitado. Os cristãos recolheram um pouco de seu sangue em uma ampola para ser colocada diante de seu túmulo, como era costume fazer com os cristãos martirizados da época. Um século mais tarde, no ano 432, pela ocasião do translado das relíquias do santo, de Pozzuoli para Nápoles, uma senhora entregou ao bispo João não uma, mas duas ampolas contendo o sangue coagulado de San Gennaro. Como garantia da afirmação da mulher o sangue se liquefez diante dos olhos do bispo e de grande multidão de fiéis, readquirindo a aparência de um sangue novo. Portanto, a devoção a São Januário é conhecida no mundo inteiro pela liquefação de seu sangue, três vezes por ano: no sábado que precede o 1º domingo de maio, no dia 19 de setembro que é a festa do santo e em 16 de dezembro, aniversário da erupção do Vesúvio em 1631. O prodígio é atestado desde 1389 e consiste em que o sangue de São Januário passa do estado sólido para o líquido, perdendo no peso e aumentando no volume. Desde 1608 encontram-se na Capela do Tesouro, em cumprimento da promessa feita pelos napolitanos em 1527, por ocasião de uma peste, que assolou a região, mas Nápoles foi preservada por intercessão doe são Januário. Também em duas outras ocasiões San Gennaro protegeu a cidade na erupção do Vesúvio em 1631 e da cólera da região em 1884. Existem cerca de 5 mil processos, que confirmam o fenômeno, inclusive a declaração de Montesquieu, que assistiu duas destas liquefações em 1728. Em 1902, o conteúdo das ampolas foi submetido a exame eletroscópio diante de testemunhas e do cientista Sperindeo o qual declarou que não havia dúvida de que se tratava de sangue humano, que uma vez coalhado, nunca poderia perde o estado sólido. São 600 anos de fé que acompanham o mistério dos milagres do sangue do padroeiro de Nápoles. Seus restos mortais estiveram primeiramente nas Catacumbas de São Januário, onde há documentos arqueológicos de devoção antiquíssima e singular, entre eles, a pintura de São Januário que data do século quinto. No século nono, as relíquias foram levadas para Benevento, cidade onde tinha sido bispo, e só em 1497 as relíquias foram para a Catedral de Nápoles onde se encontra até hoje. [O SANTO DO DIA, Dom Servilio Conti, ©Vozes, 1997]

 

Jovens, acolhamos a visita de Jesus e sua Mãe!

Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, SP

 

Jovens, vamos dar as boas-vindas à cruz missionária e ao ícone de Nossa Senhora, da Jornada Mundial da Juventude (JMJ). A partir de hoje, esses sinais, entregues pelo Beato João Paulo II aos jovens, vão percorrer todas as dioceses do Brasil, e também as capitais dos países do Cone Sul da América, até chegarem no Rio de Janeiro, em julho de 2013.

 

Alegremo-nos todos! Na cruz peregrina, acolhamos o próprio Jesus que vem ao nosso encontro e visita os jovens e as comunidades do Brasil; no ícone, acolhamos a visita cheia de graça de Nossa Senhora. Ela acompanha Jesus e nunca falta lá, onde os discípulos de Jesus estão reunidos em seu nome!

 

BOTE FÉ nesse encontro! A Igreja nos convida ao encontro com Jesus e com o próprio Deus. Ele vem nos procurar. Como andava ao encontro das pessoas na Galiléia, Samaria e Judéia, assim Jesus agora vem ao nosso encontro. Milhões de jovens, no mundo inteiro, já acolheram o Cristo através de sua cruz! Agora chegou a vez dos jovens brasileiros!

 

BOTEFÉ em Jesus Cristo, Filho de Deus Salvador! A preparação da JMJ Rio-2013 é uma ocasião singular para renovar nossa vida cristã, para aprofundar as razões da nossa fé cristã! Somos discípulos missionários de Jesus Cristo, comprometidos com ele; com São Paulo, podemos dizer: “nós nos gloriamos na cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo”! Nele está a nossa salvação, vida e ressurreição!”

 

BOTEFÉ na Jornada Mundial da Juventude de 2013, no Rio de Janeiro! Desde o anúncio da Jornada, pelo papa Bento XVI, ela está sendo uma bênção para a Igreja no Brasil! A passagem da cruz pelas muitas cidades da Terra de Santa Cruz será ocasião para uma verdadeira missão popular, que terá o próprio Jesus como missionário, acompanhado de sua Mãe!

 

BOTEFÉ na juventude! Jovens, a Igreja quer bem a vocês! O Papa confia em vocês! E vocês estarão no centro da cena nesses próximos 2 anos em todo o Brasil. Jesus quer bem a vocês e vem ao seu encontro! Vamos acolhê-lo com alegria e muita fé! O mundo inteiro estará com o olhar voltado para os jovens do Brasil!

 

BOTEFÉ na Igreja e sua missão! O lema da JMJ Rio-2013 – “Ide, pois, fazer discípulos meus todos os povos!” - escolhido pelo Papa Bento XVI, indica a missão de todos nós, também dos jovens! Não estaremos sozinhos: Jesus nos acompanha todos os dias, até o fim dos tempos! E sua Mãe, a Senhora da Visitação, nos conforta e abençoa! [CNBB]

 

Aquele que tem caridade no coração, tem sempre qualquer coisa para dar. (Santo Agostinho