Segunda, 4 de janeiro de 2010

Semana da Epifania - Ano “C” - 2ª Semana do Saltério - cor Litúrgica Branca

 

 

Hoje: Dia da Abreugrafia e dia do Hemofílico

Santos: Dimas de Connor (bispo), Ermenoldo de Prüfening (abade) , Guerino de Sion (monge, bispo), João de Rivera (bispo), Macra de Rheims (virgem, mártir), Melchior, Gaspar e Baltazar (Reis Magos mencionados no Novo Testamento), Pedro de Cantuária (abade), Pedro Tomás (patriarca latino de Constantinopla, mártir), Rafaela do Sagrado Coração de Jesus (virgem, fundadora), Wiltrude de Bergen (viúva, abadessa), Carlos de Sezze (religioso franciscano, bem-aventurado), Frederico de Saint-Vanne (monge, bem-aventurado), Gertrudes van Oosten (virgem, bem-aventurada).

 

Antífona: Raiou para nós um dia de bênção: vinde, nações, e adorai o Senhor; grande luz desceu sobre a terra!

 

Oração: Nós vos pedimos, ó Deus, que o esplendor da vossa glória ilumine os nossos corações para que, passando pelas trevas deste mundo, cheguemos à pátria da luz que não se extingue. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

Leitura: I Carta de São João (1Jo 3, 22-4,6)
O Pai enviou o seu Filho como salvador do mundo

 

Caríssimos, 22qualquer coisa que pedimos, recebemos dele, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos o que é do seu agrado. 23Es-te é o seu mandamento: que creia­mos no nome do seu Filho, Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, de acordo com o mandamento que ele nos deu. 24Quem guarda os seus mandamentos permanece com Deus e Deus permanece com ele. Que ele permanece conosco, sabemo-lo pelo Espírito que ele nos deu.

 

4,1 Caríssimos, não acrediteis em qualquer espírito, mas examinai os espíritos para ver se são de Deus, pois muitos falsos profetas vieram ao mundo. 2Este é o critério para saber se uma inspiração vem de. Deus: todo espírito que leva a professar que Jesus Cristo veio na carne é de Deus; 3e todo espírito que não professa a fé em Jesus não é de Deus; é o espírito do anticristo. Ouvistes dizer que o anticristo virá; pois bem, ele já está no mundo.

 

4Filhinhos, vós sois de Deus e vós vencestes o anticristo..Pois convosco está quem é maior do que aquele que está no mundo. 5Os vossos adversários são do mundo; por isso, agem conforme o mundo, e o mundo lhes presta ouvidos. 6Nós somos de Deus. Quem conhece a Deus, escuta-nos; quem não é de Deus não nos escuta. Nisto reconhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a I Leitura

Examinai os espíritos para ver se são de Deus

 

As características de uma comunidade cristã são a fé em Jesus Cristo, o amor recíproco dos irmãos e a fidelidade aos preceitos de Deus. Por isso, sugere o apóstolo algumas atitudes fundamentais. Antes de tudo a oração, entendida não tanto como pedido de graças, quanto como empenho pessoal de realizar o que é ordenado (v. 22); depois, um propósito de fé autêntica em Cristo Jesus e de operosa caridade para com os irmãos (v. 23).

 

S. João reduz a atitude de fé a seu núcleo essencial: aceitar Jesus. "O centro vivo da fé é Jesus Cristo; só por meio dele podem os homens salvar-se, dele recebem o fundamento e a síntese de toda verdade". Ele é verdadeiramente "a chave, o centro, o fim do homem e também de toda a história humana" (GS 10). Crer em Jesus quer dizer confiar nele, abrir-se a ele até deixar-se transformar nele, aceitando-o por modelo de comportamento: "Dei-vos o exemplo, a fim de que, como eu vos fiz, também vós o façais" (Jo 13,15). Esta fé nele torna-se força dinâmica e criativa, capaz de testemunhar e de fazer Cristo e sua mensagem conhecidos e aceitos pelos homens. (Missal Cotidiano, ©Paulus, 1997)

 

 

Salmo: 2, 7-8.10-11 (R/.8a)

Eu te darei por tua herança os povos todos

 

7O decreto do Senhor promulga­rei, foi assim que me falou o Senhor Deus: "Tu és meu Filho, e eu hoje te gerei!" 8Podes pedir-me, e em resposta eu te darei por tua herança os povos todos e as nações, e há de ser a terra inteira o teu domínio.

 

10E agora, poderosos, entendei; soberanos, aprendei esta lição: 11Com temor servi a Deus, rendei-lhe glória e prestai-lhe homenagem com respeito!

 

Evangelho: Mateus (Mt 4, 12-17.23-25)

Jesus percorria a Galiléia proclamando o evangelho do reino

 

Naquele tempo, 12ao saber que João tinha si­do preso, Jesus voltou para a Galiléia. 13Deixou Nazaré e foi morar em Cafarnaum, que fica às margens do mar da Galiléia, 14no território de Zabulon e Neftali, para se cumprir o que foi dito pelo profeta Isaias: 15”Terra de Zabulon, terra de Neftali, caminho do mar, região do outro lado do rio Jordão, Galiléia dos pagãos! 16O povo que vivia nas trevas viu uma grande luz; e para os que viviam na região escura da morte brilhou uma luz". 17Daiem diante, Jesus começou a pregar, dizendo: "Convertei-vos, porque o rei nodos céus está próximo”.

 

23Jesus andava por toda a Galiléia, ensinando em suas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando todo tipo de doença e enfermidade do povo. 24E sua fama espalhou-se por toda a Síria. Levavam-lhe todos os doentes, que sofriam diversas enfermidades e tormentos: endemoninhados, epiléticos e paralíticos. E Jesus os curava. 25Numerosas multidões o seguiam, vindas da Galiléia, da Decápole, de Jerusalém, da Judéia, e da região além do Jordão. Palavra da Salvação!

 

 

Contexto: O ministério de Jesus.  Leitura paralelas: Mc 1, 14-15; Lc 4, 14-15; Lc 5, 1-11; Lc 44, 6, 17-18.

O evangelho de hoje é sempre válido para a Segunda-feira, do Tempo do Natal dos Anos A, B e C.

 

 

Comentário o Evangelho

Desponta a salvação

 

O texto do profeta Isaías é importante para compreender os primórdios da pregação de Jesus, na Galiléia. Por que o Mestre escolheu esta região mal-afamada para dar início a seu ministério, e não Jerusalém, a capital religiosa do país?


A Galiléia era tida como terra de pagãos. Daí a expressão: “Galiléia dos pagãos”, como era conhecida. Isto se deveu a um fato histórico. Quando os assírios conquistaram o Reino de Israel, deportaram a população, substituindo-a com povos estrangeiros, de cinco diversas procedências, todos eles sem nenhuma vinculação com a fé mosaica. Este episódio levou os judeus a olharem com muito desprezo para os habitantes desta região, mesmo quando, posteriormente, só havia aí população judaica.


Mas, porque Jesus viera para “buscar e salvar o que estava perdido”, escolheu exatamente a Galiléia como ambiente privilegiado para a sua ação missionária.


O profeta havia anunciado: para o povo que jazia nas trevas, brilharia uma grande luz. Afinal, a profecia se cumpriu na pessoa de Jesus. Superando os preconceitos contra os galileus, ele pôs-se a anunciar-lhes a chegada do Reino, e, com ele, a salvação de Deus. O estigma do passado ficou, assim, definitivamente superado. Eles foram os primeiros chamados a se converterem para o Reino de Deus que, em Jesus, se fez presente na história humana. (O EVANGELHO DO DIA. Jaldemir Vitório. ©Paulinas)

 

Santa Ângela de Foligno

Nascimento: Foligno, na Itália, em 1248. Ângela tinha conforto, dinheiro e se entregava às compras, ao luxo de maneira excessiva. Aos 37 anos de idade uma tragédia aconteceu em seu frívolo dia-a-dia. O marido e os filhos foram mortos seguidamente. Angustiadíssima pela grande dor sonhou com São Francisco de Assis que lhe encorajou a percorrer o caminho da perfeição. Como resultado, entrou na Ordem terceira de São Francisco e mais tarde fez os votos religiosos. É uma das primeiras escritoras místicas. Em um de seus livros "Visões e Instruções" narra o que passou em sua alma - experiências místicas - desde o momento de sua conversão. Em pouco tempo Ângela atraiu a um bom número de homens e mulheres que a procuravam para aconselhamento e aprimoramento espiritual. A santa acabou criando uma comunidade de irmãs na missão de trabalhar pelos mais necessitados. Sobre seu sepulcro, na Igreja de Foligno, muitos milagres aconteceram, Um de seus livros mais conhecidos: "Theologia Crucis" é uma belíssima meditação da Paixão de Cristo. Faleceu em 4 de Janeiro de 1309, aos 61 anos de idade. Ela é padroeira dos consumistas e dos apegados.

 

Na plenitude da felicidade, cada dia é uma vida inteira. (Goethe)

 

Se o horário oficial é o de Brasília, por que a gente tem que trabalhar na segunda e na sexta? (Anônimo)