Sábado, 30 de outubro de 2010

30º do Tempo Comum (Ano “C”), 2ª Semana do Saltério (Livro III), cor Litúrgica Verde

 

 

Hoje: Dia do Comerciário

 

Santos: Afonso Rodríguez (presbítero), Arilda de Gloucestershire (virgem, mártir), Artemas de Listra (bispo), Astério de Amasea (bispo), Cláudio, Lupércio e Vitório (mártires), Dorotéia de Montau (viúva), Eutrópia da África (mártir), Geraldo de Potenza (bispo), Germano de Cápua (bispo), Herbert de Tours (monge, bispo), Juliano, Euno, Macário e Companheiros (mártires), Lucano de Lagny (mártir), Marcelo de Tangier (soldado romano, mártir), Máximo de Cumae (mártir), Saturnino de Cagliari (mártir), Serapião de Antioquia (bispo), Talaricano da Escócia (bispo), Teonesto de Altino (bispo, mártir), Zenóbio e Zenóbia (mártires), Ângelo de Acri (capuchinho, bem-aventurado), Bernardo de la Tour (monge, bem-aventurado), Benvinda Bolani (virgem, bem-aventurada), João Slade (estudante, mártir, bem-aventurado), Nantério de Saint-Mihiel (abade, bem-aventurado).

 

Antífona: Exulte o coração dos que buscam a Deus. Sim, buscai o Senhor e sua força, procurai sem cessar a sua face. (Sl 104, 3-4)

 

Oração: Deus eterno e todo-poderoso, aumentai em nós a fé, a esperança e a caridade e dai-nos amar o que ordenais para conseguirmos o que prometeis. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

 

Carta de São Paulo aos Filipenses (Fl 1, 18b-26)
Viver sinceramente a fé em Cristo

 

Irmãos, 18bde qualquer maneira, com segundas intenções ou com sinceridade, Cristo é anunciado. E eu me alegro com isso, e sempre me alegrarei. 19Pois eu sei que isso resultará na minha salvação graças à vossa oração e à assistência do Espírito de Jesus Cristo. 20Segundo a minha viva expectativa e a minha esperança, não terei de corar de vergonha. Se a minha firmeza continuar total, como sempre, então Cristo vai ser glorificado no meu corpo, seja pela minha vida, seja pela minha morte. 21Pois para mim, o viver é Cristo e o morrer é lucro. 22Entretanto, se o viver na carne significa que meu trabalho será frutuoso, neste caso, não sei o que escolher. 23Sinto-me atraído para os dois lados: tenho o desejo de partir, para estar com Cristo - o que para mim seria de longe o melhor-, 24mas para vós é mais necessário que eu continue minha vida neste mundo. 25Por isso, sei com certeza que vou ficar e continuar com vós todos, para que possais progredir e alegrar-vos na fé. 26Assim, com a minha volta para junto de vós, vai aumentar ainda a razão de vos gloriardes em Cristo Jesus.  Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a I Leitura

Para mim, o viver é Cristo e o morrer é lucro 

 

Há gente que vive hipnotizada pela morte; há outros que se preocupam.... com não se preocupar. Paulo encara esse acontecimento final, como toda a vida, à luz de Cristo. É um apaixonado por Cristo. Nomeia-o seis vezes em poucas linhas. A alternativa vida-morte depois. A primeira coisa que se deve procurar ininterruptamente é o relacionamento com esta Pessoa que dá sentido a todas as alternativas, é o critério de todas as decisões. O apostolado deve ser um relacionamento pessoal com Cristo. Nele as necessidades dos irmãos assumem sua verdadeira face. O olhar do apóstolo não é o do filantropo. Sempre se descobre em filigrana o perfil do Senhor. [Missal Cotidiano, Paulus 1997]

 

 

Salmo Responsorial: 41 (42), 2.3.5bcd (R/.3a)
Minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo!

 

2Assim como a corça suspira pelas águas correntes, suspira igualmente minh'alma por vós, ó meu Deus!

 

3Minha alma tem sede de Deus, e deseja o Deus vivo. Quando terei a alegria de ver a face de Deus?

 

5bPeregrino e feliz caminhando 5cpara a casa de Deus, 5dentre gritos, louvor e alegria da multidão jubilosa.

 

 

Evangelho: Lucas (Lc 14, 1.7-11)
Convite à humildade

 

1Aconteceu que, num dia de sábado, Jesus foi comer na casa de um dos chefes dos fariseus. E eles o observavam.

 

7Jesus notou como os convidados escolhiam os primeiros lugares. Então contou-lhes uma parábola: 8”Quando fores convidado para uma festa de casamento, não ocupes o primeiro lugar. Pode ser que tenha sido convidado alguém mais importante do que tu, 9e o dono da casa, que convidou os dois, venha te dizer: 'Dá o lugar a ele'. Então ficarás envergonhado e irás ocupar o último lugar. 10Mas, quando fores convidado, vai sentar-se no último lugar. Assim, quando chegar quem te convidou, te dirá: 'Amigo, vem mais para cima'. E isto vai ser uma honra para ti diante de todos os convidados. 11Porque quem se eleva será humilhado e quem se humilha será elevado".Palavra da Salvação!

 

 

Comentando o Evangelho

O amor pelos sofredores

 

Ao se deparar com um ser humano sofredor, Jesus deixava de lado os casuísmos legais e se antecipava para curá-lo. Até mesmo a Lei do repouso sabático era olvidada. Ele não se perguntava se era, ou não, sábado, quando tomava a decisão de curar alguém. Pouco lhe importava saber se era permitido ou proibido curar naquele dia. Seu único propósito era socorrer quem estava atribulado pelos sofrimentos e aliviá-lo.


É preciso entender em que se fundamenta a liberdade de Jesus diante da tradição religiosa. No caso do repouso sabático, ele o entende na perspectiva da intenção original de Deus, quando o instituiu. O Deuteronômio relaciona esse repouso com a escravidão egípcia: “Lembra-te (Israel) de tua escravidão no Egito, donde o Senhor te libertou, com mão forte e braço estendido. Por isso, o Senhor manda-te guardar o sábado.” Descansar no sábado era, pois, uma forma de preservar a dignidade humana contra o aviltamento da opressão e da escravidão. Era a celebração da libertação, obra da misericórdia divina.


Para Jesus, a cura do hidrópico encaixava-se perfeitamente bem no contexto do sábado. Aquele infeliz estava sendo libertado, pela bondade de Deus, de uma situação de escravidão, recuperando sua dignidade menosprezada. [O EVANGELHO NOSSO DE CADA DIA, Ano C,  ©Paulinas, 1996]

 

Para sua reflexão: Os fariseus são vistos por Lucas como representantes do pensamento do povo israelita. A lição de Jesus sobre o comportamento social, comparável à de Pr 25, 6-7, orienta-se para a humildade. (Bíblia dos Capuchinhos)

 

 

Samta Retistuta Kafka

 

 

 

No dia primeiro de maio de 1894, nasceu Helene, filha de Anton e Maria Kafka, na cidade de Brno, atual República Checa. Naquele tempo, a região chamava-se Moravia, e estava sob o governo do imperador austríaco Francisco José. Em 1896, a família Kafka transferiu-se para Viena, capital do Império Austro-Húngaro.


Helene concluiu os estudos e formou-se enfermeira, com o desejo de tornar-se religiosa. No início, conformou-se com a negativa dos pais, mas, ao completar vinte anos, ingressou na Congregação das Franciscanas da Caridade Cristã, agora com a bênção da família.


Como religiosa, adotou o nome de irmã Maria Retistuta, o primeiro em homenagem a sua mãe e o segundo a uma mártir do século I.


Mas logo recebeu o apelido carinhoso de "irmã Resoluta", pelo seu modo cordial e decidido e por sua segurança e competência como enfermeira de sala cirúrgica e anestesista. No hospital de Modling, em Viena, a religiosa tornou-se uma referência para os médicos, enfermeiras e, especialmente, para os doentes, aos quais soube comunicar com lucidez o amor pela vida, na alegria e na dor.


Foram muitos anos que serviu a Deus nos doentes, para os quais estava sempre disponível. Em março de 1938, Hitler mandou o exército ocupar a Áustria. Viena tornou-se uma das bases centrais do comando nazista alemão. Irmã Restituta colocou-se logo contrária a toda aquela loucura desumana. Não teve receio de mostrar que, sendo favorável à vida, não apoiaria, jamais, o nazismo de Hitler, fosse qual fosse o preço.


Por isso, quando os nazistas retiravam o crucifixo também das salas de cirurgia, ela, serenamente, o recolocava no lugar, de cabeça erguida, desafiando os nazistas. Como não se submetia e muito menos se "dobrava", os nazistas a eliminaram. Foi presa em 1942. E ela fez da prisão uma espécie de lugar de graça, para honrar o nome de sua consagração, ou seja, Restituta, aquela que foi restituída para Deus.


Irmã Resoluta esperou cinco meses na prisão para morrer. Em 30 de março de 1943, foi decapitada. Para as franciscanas, mandou uma mensagem: "Por Cristo eu vivi, por Cristo desejo morrer". E na frente dos assassinos nazistas, antes que o carrasco levantasse a mão que a mataria, irmã Restituta disse ao capelão: "Padre, faça-me na testa o sinal da cruz".


O papa João Paulo II, em 1998, elevou irmã Maria Restituta Kafka aos altares para ser reverenciada pela Igreja como bem-aventurada. A sua festa litúrgica foi marcada para o dia 30 de outubro, data em que foi decretada a sua sentença de morte.
[paulinas.org.br]

 

 

A fé é um pulo no escuro na certeza de sermos amparados pela mão

protetora de Deus. (Frei Anselmo Fracasso)