Sábado, 27 de agosto de 2011

Santa Mônica (esposa e Mãe), Memória, 1ª do Saltério (Livro III), cor Litúrgica branca

 

Hoje: Dia Nacional do Psicólogo e dia do Corretor de Imóveis

 

Santos: Amadeu de Losanna (bispo), Antusa, a Grande (virgem, mártir), Cesário de Arles (bispo), Davi Lewis (presbítero, mártir), Dagano de Wales (mártir), Ebbo de Sens (monge, bispo), Etério de Lião (bispo), Eulália de Lentini (virgem, mártir), Gebardo de Constância (bispo), Guerino de Sião (bispo), Honorato, Fortunato, Orôncio e Sabiniano (mártires), João de Pavia (bispo), Licério de Counserans (bispo), Marcelino, Manea e seus três filhos: João Serapião, Pedro e Companheiros (mártires), Margarida de San Severino (viúva), Narno de Bérgamo (bispo, discípulo de São Barbabé), Pemão (eremita), Rufo e Carpóforo (mártires), Rufo de Cápua (bispo, mártir), Siagro de Autun (bispo).

 

Antífona: A mulher que teme a Deus será louvada; seus filhos a proclamam feliz e seu marido a elogia (Pr 31, 30.28)

 

Oração: Ó Deus, consolação dos que choram, que acolhestes, misericordioso, as lágrimas de santa Mônica pela conversão de seu filho, Agostino, dai-nos, pela intercessão de ambos, chorar os nossos pecados e alcançar o vosso perdão. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

I Leitura: Tessalonicenses (1Ts 4, 9-11)

No evangelho devemos progredir sempre

 

Irmãos, 9não é preciso escrever-vos a respeito do amor fraterno, pois já aprendestes de Deus mesmo a amar-vos uns aos outros. 10E o que já estais fazendo com todos os irmãos, em toda a Macedônia. Só podemos exortar-vos, irmãos, a progredirdes sempre mais. 11Procurai viver com tranqüilidade, dedicando-vos aos vossos afazeres e trabalhando com as próprias mãos, como recomendamos. Palavra do Senhor!

 

Comentando a I Leitura

Aprendestes de Deus mesmo a amar-vos uns aos outros

 

Paulo explica que a "santidade" é amor fraterno. Jesus queria exatamente dizer isto quando convidava seus discípulos a "amarem-se como ele os tinha amado" (Jo 15,12). O amor nasce de Deus. Uma comunidade que aceita este ensinamento é uma comunidade que aceita ser "instruída" por Deus. Essa comunidade sabe que é possível desde já a encarnação das bem-aventuranças. Reconhece sobretudo que, além daquilo que se diz ou se exprime, há a possibilidade de dar cunho universal ao humilde diálogo de cada dia. Mas como realizar essa santidade? Só atingindo o limite de doação aos outros realizado por Cristo. Isto significa que a comunidade deve trabalhar com todas as forças para diminuir o mal em si, em torno de si, e fazer crescer o bem e a paz. [Missal Cotidiano, © Paulus, 1997]

                                                                                     

 

Salmo: 97 (98), 1.7-8.9  (R/.9)

O Senhor julgará as nações com justiça

 

Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios! Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória.

 

Aplauda o mar com todo ser que nele vive, o mundo inteiro e toda gente! As montanhas e os rios batam palmas e exultem de alegria.

 

Na presença do Senhor, pois ele vem, vem julgar a terra inteira. Julgará o universo com justiça e as nações com equidade.

 

Evangelho: Mateus (Mt 25, 14-30)
Parábola dos talentos

 

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos esta parábola: 14"Um homem ia viajar para o estrangeiro. Chamou seus empregados e lhes entregou seus bens. 15A um deu cinco talentos, a outro deu dois e ao terceiro, um; a cada qual de acordo com a sua capacidade. Em seguida viajou. 16O empregado que havia recebido cinco talentos saiu logo, trabalhou com eles e lucrou outros cinco. 17Do mesmo modo, o que havia recebido dois lucrou outros dois. 18Mas aquele que havia recebido um só, saiu, cavou um buraco na terra e escondeu o dinheiro do seu patrão. 19Depois de muito tempo, o patrão voltou e foi acertar contas com os empregados.

 

20O empregado que havia recebido cinco talentos entregou-lhe mais cinco, dizendo: 'Senhor, tu me entregaste cinco talentos. Aqui estão mais cinco que lucrei'. 21O patrão lhe disse: 'Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!' 22Chegou também o que havia recebido dois talentos, e disse: 'Senhor, tu me entregaste dois talentos. Aqui estão mais dois que lucrei'. 23O patrão lhe disse: 'Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!' 24Por fim, chegou aquele que havia recebido um talento, e disse: 'Senhor, sei que és um homem severo, pois colhes onde não plantaste e ceifas onde não semeaste. 25Por isso fiquei com medo e escondi o teu talento no chão. Aqui tens o que te pertence'. 26O patrão lhe respondeu: 'Servo mau e preguiçoso! Tu sabias que eu colho onde não plantei e que ceifo onde não semeei? 27Então devias ter depositado meu dinheiro no banco, para que, ao voltar, eu recebesse com juros o que me pertence'. 28Em seguida, o patrão ordenou: 'Tirai dele o talento e dai-o àquele que tem dez! 29Porque a todo aquele que tem será dado mais, e terá em abundância, mas daquele que não tem, até o que tem lhe será tirado. 30Quanto a este servo inútil, jogai-o lá fora, na escuridão. Ali haverá choro e ranger de dentes!'" Palavra da Salvação!

 

 

Leitura Paralela: Lc 19, 12-27.

 

 

Comentando o Evangelho

O senso de responsabilidade

 

A parábola evangélica alerta para o senso de responsabilidade que o discípulo deve ter, no trato com as coisas do Reino. Eis alguns elementos desta responsabilidade: Os dons recebidos de Deus não podem deixar de produzir frutos. O discípulo tem o dever de fazê-los frutificar, colocando a serviço do próximo todas as qualidades e carismas que possui. É irresponsável quem os usa apenas em benefício próprio, deixando de transformá-los em instrumento de manifestação de seu amor pelos semelhantes.


A responsabilidade não dá margem para a covardia e o medo, frutos de uma falsa imagem de Deus. Quem identifica Deus com alguém severo "que ceifa onde não semeou e colhe onde não plantou", tende a bloquear-se e a reduzir-se à inatividade. Esta deturpação da imagem de Deus não pode servir de álibi para quem quer justificar sua irresponsabilidade.


A responsabilidade exige do discípulo empenho e criatividade para fazer frutificar os talentos recebidos de Deus. Não lhe importa se são muitos ou poucos nem quais sejam estes talentos. Sejam eles quais forem, o discípulo buscará um meio de fazê-los frutificar. Isto deverá ser uma sua batalha diuturna. Também reconhecerá não existir outro caminho para a salvação, além do serviço amoroso e gratuito ao seu próximo. [O EVANGELHO NOSSO DE CADA DIA, Ano B, ©Paulinas, 1996]

 

 

Oração da assembleia (Liturgia Diária)

Para que nosso trabalho reverta em proveito do bem comum, rezemos Senhor, escutai a nossa prece.

Para que o amor fraterno que vivemos contagie a quem não sabe amar, rezemos.

Para que aprendamos que o destino da riqueza é sua circulação e não o acúmulo, rezemos.

Para que saibamos fazer frutificar nossos dons para o bem da comunidade, rezemos.

Para que os agricultores sejam favorecidos com colheitas, abundantes, rezemos.

(outras intenções)

 

Oração sobre as Oferendas:

Concedei, ó Deus, que este sacrifício em comemoração de santa Mônica nos alcance o vosso perdão e a salvação que esperamos.  Por Cristo, nosso Senhor.

 

Antífona da comunhão:

O reino dos céus pode ser comparado a um negociante de pérolas; quando encontra a mais preciosa, vende tudo o que tem para comprá-la. (Mt 13, 45-46)

 

Oração Depois da Comunhão:

Deus todo-poderoso, a força divina deste sacramento nos ilumine e afervore nesta festividade de santa Mônica, para que, animados sempre de santos propósitos, multipliquemos as boas obras. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Para sua reflexão: A responsabilidade é proporcional ao “talento” recebido para o serviço. Prêmio e castigo pela administração se orientam para o julgamento definitivo. O relato se concentra no serviço ao patrão, dono único do dinheiro, e não fala expressamente do serviço aos outros.  Ele reparte livremente e não de modo arbitrário seu dinheiro, levando em conta “a capacidade de cada um”. Só que também essa capacidade é dom. Um talento equivale a cerca de 35 quilos. O padrão se ausenta e tardará em voltar. Quando volta pede contas da administração, numa espécie de julgamento, no qual o patrão qualifica a conduta e retribui. Os dois primeiros são: cumpridor, ou seja, bom em seu oficio, e fiel ou fiável; o terceiro é malvado ou mau em seu ofício preguiçoso. O prêmio supera qualquer previsão: perto dele os milhões erram nada; de uma posse administrada passa-se à convivência com o patrão. O terceiro procura defender-se, pondo a culpa no patrão exigente. Realmente, o medo do risco paralisa, a inércia se afirma na preguiça.   (Bíblia do Peregrino)

 

 

Santa Mônica

 

Casou-se com Patrício, um homem de caráter difícil, propício à ira, mas teve o consolo de ver o seu batismo um ano antes que morresse. Foi mãe de Santo Agostinho. Igual dificuldade teve, por incrível que pareça, com seu filho mais rebelde, futuro Santo Agostinho. Depois de dezesseis anos de reza e lágrimas, teve a felicidade não só de ver a conversão de seu filho, mas de vê-lo desprezar as alegrias terrenas para servir somente a Deus. Hoje podemos saber de sua existência graças a esse seu filho, que tão docemente a mencionou nas suas Confissões. Santa Mônica morreu, aos 55 anos, no ano de 387.

 

 

Jornada Mundial da Juventude no Brasil: Rio 2013

Dom Anuar Battisti, Arcebispo de Maringá - PR

 

O nosso querido Brasil já foi sede de muitos mundiais, da moda, da gastronomia, das artes, esportivos, importantes congressos científicos internacionais, enfim a nossa querida pátria já foi palco de grandes eventos que colocaram o nosso país em evidência.

Agora, o Brasil se prepara para receber, em 2013, a Jornada Mundial da Juventude, em 2014 a Copa do Mundo e em 2016 os Jogos Olímpicos. Recordo que em 1997, o papa João Paulo II celebrou o Segundo Encontro Mundial das Famílias no Rio de Janeiro, com dois milhões de pessoas.

 

Quando domingo passado o papa Bento XVI anunciou oficialmente que a Jornada Mundial da Juventude de 2013 será no Rio de Janeiro, todos os jovens que lá estavam e quem acompanhava ao vivo não deixou de se emocionar com essa bela e desafiante notícia.

 

Com certeza é uma bela notícia, mas soma-se uma grande responsabilidade em preparar não só o espaço físico, mas de maneira especial, preparar os corações dos jovens e adultos de todo o Brasil para acolher e conviver durante dez dias, com jovens de todas as latitudes.

 

A jornada não se reduz a um fim de semana. Os jovens estarão chegando ao menos 10 dias antes e serão hospedados e recebidos nas dioceses do Brasil. Terão como missão evangelizar, das mais variadas formas, como também conhecer as realidades da juventude brasileira. Esse intercâmbio é parte integrante da jornada.

 

A nossa arquidiocese certamente vai acolher uma delegação de algum país  este mundo de Deus. O que sabemos agora é que em fevereiro de 2013, receberemos a Cruz da Jornada que percorreu todas as dioceses nos países onde aconteceram as jornadas. Nos dias que ela permanecer conosco terá uma programação especial envolvendo o maior número possível de jovens e adultos por onde a cruz passar.

 

E aqui aproveito para destacar os 10 conselhos que Bento XVI transmitiu aos jovens em Madrid, durante a JMJ na Espanha:

 

   1. Conversar com Deus;

   2. Contar-lhe as penas e alegrias;

   3. Não desconfiar de Cristo;

   4. Estar alegres: querer ser santos;

   5. Deus: tema de conversa com os amigos;

   6. No Domingo, ir à Missa;

   7. Demonstrar que Deus não é triste;

   8. Conhecer a fé;

   9. Ajudar: ser útil;

  10. Ler a Bíblia:

 

"O segredo para ter um ‘coração que entenda’ é edificar um coração capaz de escutar. Isto é possível meditando sem cessar a palavra de Deus e permanecendo enraizados nela, mediante o esforço de conhecê-la sempre melhor. Queridos jovens, exorto-vos a adquirir intimidade com a Bíblia, a tê-la à mão, para que seja para vós como uma bússola que indica o caminho a seguir. Lendo-a, aprender eis a conhecer Cristo. São Jerônimo observa a este respeito: ‘O desconhecimento das Escrituras é o desconhecimento de Cristo’". ( Papa Bento XVI ) [Fonte: CNBB]

 

Uma catequese que não leva a transformar a vida e a sociedade

não pode ser uma verdadeira catequese. (Dom Eugênio Rixen)