Sábado, 20 de março de 2010

Quarta Semana da Quaresma - 4ª Semana do Saltério (Livro III) - cor Litúrgica Roxa

 

 

Santos: Alexandra, Cláudia, Eufrásia, Matrona, Juliana, Eufêmia, Teodósia, Derfuta, e uma irmã de Derfuta (mártires de Amiso, na Paflagônia), Anastácio de São Sabas (arquimandrita, mártir), Arquipo de Colossos (considerado o primeiro bispo desta cidade, citado por São Paulo em Cl. 4,17), Benigno de Flay (abade), Clemente de Paris Schools (monge), Cutberto de Lindisfarne (bispo), Fotina, a Samaritana do Evangelho, José e Vítor, seus filhos, Sebastiao, oficial, Anatólio, Fócio, Fotilde e suas irmãs Parasceve e Ciríaca (mártires da Galiléia), Guilherme de Peñacorada (eremita), Herberto (eremita), Martinho de Braga (bispo),Nicetas de Bitínia (bispo), Paulo, Cirilo, Eugênio e Companheiros (mártires da Síria), Tétrico de Langres (bispo), Urbício de Metz (bispo), Wulfrano de Fontenelle (bispo), Ambrósio Sansedoni (dominicano, bem-aventurado), Everaldo de Mons (monge, bem-aventurado), Evangelista e Peregrino (agostinianos, bem-aventurados), Hipólito Galantini (bem-aventurado), João Batista Spagnuolo (carmelita, bem-aventurado), Marcos de Montegallo (franciscano, bem-aventurado), Maurício Csaky (dominicano, bem-aventurado), Remígio de Estrasburgo (bispo, bem-aventurado).

 

Antífona: As ondas da morte me cercavam, tragavam-me as torrentes infernais; na minha angústia chamei pelo Senhor, de seu templo ouviu a minha voz. (Sl 17, 5-7)

 

Oração do Dia: Ó Deus, na vossa misericórdia, dirigi os nossos corações, pois, sem o vosso auxílio, não vos podemos agradar. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na Unidade do Espírito Santo.

 

I Leitura: Jeremias (Jr 11, 18-20)

Das confissões de Jeremias

 

18Senhor, avisaste-me e eu entendi; fizeste-me saber as intrigas deles. 19Eu era como manso cordeiro levado ao sacrifício, e não sabia que tramavam contra mim: "Vamos cortar a árvore em toda a sua força, eliminá-lo do mundo dos vivos, para seu nome não ser mais lembrado". 20E tu, Senhor dos exércitos, que julgas com justiça e perscrutas os afetos do coração, concede que eu veja a vingança que tomarás contra eles, pois eu te confiei a minha causa. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a I Leitura

Eu era como manso cordeiro levado ao sacrifício

 

Em Jeremias, como em Cristo, há um aspecto trágico: o conhecimento do destino que lhe preparam os inimigos, sem possibilidade de evitá-lo. Não pode fazer outra coisa senão pôr-se nas mãos de Deus e esperar que este venha salvá-lo no cumprimento deste destino. O drama de sua vocação, como o de toda verdadeira vocação, é a necessária repercussão do mistério de Deus na vida do homem. Quem de Deus tem apenas uma idéia ou uma definição provavelmente nunca provará o drama do seu encontro e nunca terá de se despojar de si e "perder-se" (cf Mt 10,39) para identificar-se com a vontade de Deus. Deus, porém, mesmo em seu mistério fulgurante, não esmaga a liberdade do homem; dar-se-á somente àquele que tiver o direito de cativá-lo. Aqui está a razão de ser da obediência de Cristo na cruz, que a Eucaristia nos convida a alcançar. [MISSAL COTIDIANO. ©Paulus, 1997]

 

 

Salmo: 7, 2-3.9bc-10.11-12 (R/.2a)

Senhor meu Deus, em vós procuro o meu refúgio

 

2Senhor meu Deus, em vós procuro o meu refúgio: vinde salvar-me do inimigo, libertai-me! 3Não aconteça que agarrem minha vida como um leão que despedaça a sua presa, sem que ninguém venha salvar-me e libertar-me!

 

9bJulgai-me, Senhor Deus, como eu mereço 9ce segundo a inocência que há em mim! 10Ponde um fim à iniquidade dos perversos, e confirmai o vosso justo, ó Deus-justiça, vós que sondais os nossos rins e corações.

 

11O Deus vivo é um escudo protetor, e salva aqueles que têm reto coração. 12Deus é juiz, e ele julga com justiça, mas é um Deus que ameaça cada dia.

 

Evangelho: João (Jo 7, 40-53)

Jesus porque é palavra de vida eterna

 

Naquele tempo, 40ao ouvirem as palavras de Jesus, algumas pessoas da multidão diziam: "Este é, verdadeiramente, o profeta". 41Outros diziam: "Ele é o messias". Mas alguns objetavam: "Porventura o messias virá da Galiléia? 42Não diz a escritura que o messias será da descendência de Davi e virá de Belém, povoado de onde era Davi?" 43Assim, houve divisão no meio do povo por causa de Jesus. 44Alguns queriam prendê-lo, mas ninguém pós as mãos nele.

 

45Então, os guardas do templo voltaram para os sumos sacerdotes e os fariseus, e estes lhes perguntaram: "Por que não o trouxestes?" 46Os guardas responderam: "Ninguém jamais falou como este homem". 47Então os fariseus disseram-lhes: "Também vós vos deixastes enganar? 48Por acaso algum dos chefes ou dos fariseus acreditou nele? 49Mas esta gente que não conhece a lei é maldita!"

 

50Nicodemos, porém, um dos fariseus, aquele que se tinha encontrado com Jesus anteriormente, disse: 51"Será que a nossa lei julga alguém, antes de o ouvir e saber o que ele fez?" 52Eles responderam: "Também tu és galileu, porventura? Vai estudar e verás que da Galiléia não surge profeta". 53E cada um voltou para sua casa. Palavra da Salvação!

 

 

Comentário do Evangelho

Um profeta galileu?

O fato de Jesus ter vindo da Galiléia criava dificuldade para ser aceito como Messias. Conforme uma antiga tradição, o Messias viria de Belém, cidade de Davi, pois Deus havia prometido a esse rei que, para sempre, um de seus descendentes haveria de sentar-se no trono de Jerusalém. Esta esperança messiânica de caráter político-militar estava bem viva na mente do povo, principalmente no momento em que o peso da dominação romana se fazia sentir.

 

Pelo que se percebe, as autoridades de Jerusalém ignoravam a verdadeira origem de Jesus. E não pareciam muito interessadas em conhecê-la. O motivo verdadeiro da resistência contra ele girava em torno da sua pregação. Os guardas, enviados para prendê-lo, voltaram admirados com o que ouviram de sua boca. A multidão, também, ficava boquiaberta ao ouvi-lo, a ponto de irritar as autoridades. Até mesmo o fariseu Nicodemos, que exercia um cargo de liderança entre os judeus, ficara tão fascinado com o Mestre, a ponto de se tornar discípulo dele, mas às escondidas. Será ele quem tomará, discretamente, a defesa de Jesus, sugerindo que, antes de condená-lo, seria preciso ouvi-lo para saber o que realmente estava fazendo.

 

A insistência na origem de Jesus ocultava o motivo verdadeiro de sua rejeição. Sem mudar de mentalidade, seus perseguidores haveriam de rejeitá-lo, mesmo sendo declaradamente de Belém. Seu modo de ser rompia todos os esquemas messiânicos da época. [O EVANGELHO NOSSO DE CADA DIA, Jaldemir Vitório, ©Paulinas]

 

Para sua reflexão: Jesus é profeta, mas não um a mais na série; é Messias, mas não como o imaginam os judeus. Ninguém fala como Jesus porque ele é a Palavra de vida eterna. Saber escutar é um dom, alcançado por poucos. O preconceito de muitos afeta outro sentido: a visão! É difícil chamar o outro de irmão com base no preconceito. Mas há um sentido na vida; um referencial absoluto, porquanto somos apenas o relativo: a Palavra do verdadeiro Messias, que aviva todos os nossos sentidos com base na fé.

 

São Cutberto

 

Monge beneditino foi um dos que missionários enviados para difundir o evangelho nas ilhas britânicas. Os mosteiros ingleses se transformaram em viveiros de cultura e espiritualidade que mais tarde espalhariam pelo Continente. Foi discípulo de são Beda, o Venerável que representa, segundo Dawson, o mais alto grau de cultura intelectual no Ocidente". Dele também foi colaborador e secretário. Após a morte de são Beda, escreveu sobre sua vida "A Vida de Beda" que após nove séculos passou a ser publicada e lida.

 

 

A felicidade não é uma estação onde chegamos, mas uma maneira de viajar. (Bergson)

 

Antes de começar a criticar os defeitos dos outros, enumere ao menos 10 dos teus. (Abraham Lincoln)