Sábado, 16 de outubro de 2010

28º Semana Comum (Ano “C”), 4ª Semana do Saltério (Livro III), cor Litúrgica Verde

 

Hoje: Dia da Ciência e da Tecnologia, Dia Mundial da Alimentação, Dia Mundial do Pão, Dia do Anestesiologista, Dia do Instrutor de Auto-Escola.

 

Santos: Nossa Senhora da Graça (Padroeira principal da diocese de Parnaíba, PI), Zenaide, Jaime, Alexandre Saulo; Tarago, Probo e Andróico (mártires célebres no oriente, Séc. IV); Sármatas (357, Tebaida, mártir), Cainech (600, monge irlandês), Gomário (Bélgica), Bruno (965, Colônia, Alemanha), Alexandre Sauli  (1592)

 

Antífona: Senhor, se levardes em conta as nossas faltas, quem poderá subsistir?  Mas em vós encontra-se o perdão, Deus de Israel. (Sl 129, 3-4)

 

Oração: Ó Deus, sempre nos proceda e acompanhe a vossa graça para que estejamos sempre atentos ao bem que devemos fazer. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

 

I Leitura: Carta de São Paulo aos Efésios (Ef 1, 15-23)
Deus fez de Cristo a cabeça da Igreja

 

Irmãos, 15desde que soube da vossa fé no Senhor Jesus e do vosso amor para com todos os santos, 16não cesso de dar graças a vosso respeito, quando me lembro de vós em minhas orações. 17Que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai a quem pertence a glória, vos dê um espírito de sabedoria que vo-lo revele e faça verdadeiramente conhecer. 18Que ele abra o vosso coração à sua luz, para que saibais qual a esperança que o seu chamamento vos dá, qual a riqueza da glória que está na vossa herança com os santos, 19e que imenso poder ele exerceu em favor de nós que cremos, de acordo com a sua ação e força onipotente. 20Ele manifestou sua força em Cristo, quando o ressuscitou dos mortos e o fez sentar-se à sua direita nos céus, 21bem acima de toda a autoridade, poder, potência, soberania ou qualquer título que se possa nomear não somente neste mundo, mas ainda no mundo futuro. 22Sim, ele pôs tudo sob os seus pés e fez dele, que está acima de tudo, a Cabeça da igreja, 23que é o seu corpo, a plenitude daquele que possui a plenitude universal.  Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a I Leitura

Deus fez de Cristo a cabeça da Igreja

 

Não se pode deixar de confrontar esta passagem com as afirmações de um "novo cristianismo", que se pretende evangélico, mas não eclesial. Rejeita-se a Igreja tal como existe hoje, com suas estruturas e limitações. A Igreja é "o corpo de Cristo, plenitude daquele que tudo recapitula abundantemente". E, por outro lado, um corpo em processo de crescimento, "para chegar a constituir este Homem perfeito que realiza a plenitude do Cristo" (Ef 4,13). Portanto, um corpo sujeito às crises que caracterizam o desenvolvimento de qualquer ser vivo. Crises também trágicas, por vezes. Mas a plenitude de Cristo só se encontra aí, apesar de tantas limitações. [Missal Cotidiano ©Paulus, 1997]

 

 

Salmo: 8, 2-3a.4-5.6-7 (R/.7) 
Vós destes o domínio ao vosso filho sobre tudo o que criastes

 

2Ó Senhor nosso Deus, como é grande vosso nome por todo o universo! Desdobrastes nos céus vossa glória com grandeza, esplendor, majestade. 3aO perfeito louvor vos é dado pelos lábios dos mais pequeninos.

 

4Contemplando estes céus que plasmastes e formastes com dedos de artista; vendo a lua e estrelas brilhantes, 5perguntamos: "Senhor, que é o homem, para dele assim vos lembrardes e o tratardes com tanto carinho?"

 

6Pouco abaixo de Deus o fizestes, coroando-o de glória e esplendor; 7vós lhe destes poder sobre tudo, vossas obras aos pés lhe pusestes.

 

Evangelho: Lucas (Lc 12, 8-12)
Nessa hora, o Espírito Santo vos ensinará o que deveis dizer

 

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 8"Todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens, o Filho do Homem também dará testemunho dele diante dos anjos de Deus. 9Mas aquele que me renegar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus. 10Todo aquele que disser alguma coisa contra o Filho do Homem será perdoado. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado. 11Quando vos conduzirem diante das sinagogas, magistrados e autoridades, não fiqueis preocupados como ou com que vos defendereis, ou com o que direis. 12Pois, nessa hora, o Espírito Santo vos ensinará o que deveis dizer". Palavra da Salvação!

 

 

 

Comentando o Evangelho

A favor, ou contra Jesus

 

A comunidade cristã tem como tarefa testemunhar publicamente sua fé. Este testemunho acontece no seio de um mundo hostil, nem sempre disposto a acolher mensagem do Reino.


E o discípulo encontra-se, muitas vezes, em situações nas quais sua fé é posta em xeque. É, então, o momento de se decidir a favor ou contra Jesus. É sua vida que está em jogo: renegá-lo significa sobreviver, tomar partido em favor dele significa morrer.


Evidentemente, a decisão fica por conta do discípulo. Se tiver uma fé robusta e coragem suficiente para suportar as consequências de sua opção, será capaz de declarar sua fé. Se, pelo contrário, tiver uma fé inconsistente e um caráter frágil, negará sua condição de discípulo de Jesus, declarando não conhecê-lo.


A exortação do Mestre chama a atenção dos seus seguidores para as consequências mais radicais de sua decisão. Mais do que a vida física e a segurança material, na decisão está implicada sua sorte eterna. Quem se colocar a favor de Jesus nesta vida, pode estar certo de tê-lo a seu favor no momento do juízo divino. Quem o negar publicamente, não o terá como defensor, quando for julgado por Deus.


Nos momentos difíceis, o discípulo deve contar com a ajuda do Espírito Santo. É ele quem lhe dará forças para proclamar, com destemor, sua fé. [O EVANGELHO NOSSO DE CADA DIA, Ano B,  ©Paulinas, 1996]

 

 

Santa Margarida Maria Alacoque

 

 

 

 

Na bonita região francesa de Borgonha, Margarida Maria nasceu em 22 de julho de 1647, na modesta família Alacoque. Teve uma juventude difícil, ao lado dos pais, que, pelo excesso de afeto, traçaram a meta de vida da filha, calcada sobre as próprias ambições mundanas.

Recebeu toda formação cultural e religiosa, desde a infância, das monjas clarissas. Depois vieram as dificuldades: primeiro, o pai faleceu. Logo em seguida, contraiu uma doença não identificada, que a manteve na cama por um longo período. Como nada na medicina curava o seu mal, Margarida, então, prometeu a Nossa Senhora entregar todos os seus dias a serviço de Deus caso recuperasse a saúde. Para sua própria surpresa, logo retornou à sua vida normal. Convencida da intervenção da Providência Divina em favor de sua vida terrena, aos vinte e quatro anos de idade entrou para a Ordem da Visitação, fundada por são Francisco de Sales.


Tomou o nome de Margarida Maria e fez o seu noviciado, um tempo de iluminação e sofrimento. Rezando e contemplando Jesus eucarístico passou a dialogar com o próprio Cristo, que lhe expôs o coração dilacerado e fez revelações sobre a necessidade de mais amor e devoção à eucaristia.


Essas experiências místicas foram severamente contestadas pelos religiosos e religiosas da sua época. A pobre monja foi testada e provada de todas as maneiras possíveis, várias vezes, para comprovar suas narrativas. A humanidade, na época, estava assolada pela peste e tremia diante da eminência da morte. O coração do povo era levado a um "Deus duro do castigo". Mas as visões e mensagens de Margarida Maria não, pois apontavam para o "Deus do amor e da salvação", o que gerava uma forte oposição.


O padre jesuíta Cláudio de la Colombière, porém, respeitado estudioso das manifestações dos sinais de Deus, verificou que a mensagem que ela transmitia era verdadeira. Com o seu apoio e orientação espiritual, as experiências místicas de Margarida Maria começaram a ser vistas de outra maneira. Aos poucos, essa mensagem era assimilada por todos os conventos da Visitação, assim como pelo clero. O culto ao Sagrado Coração de Jesus começou a ser difundido também entre os fiéis. Até que ela própria, antes de morrer, pôde ver muitos de seus críticos cultuando e propagando a devoção do Sagrado Coração. E foi assim que, depois de algum tempo, a mensagem estava espalhada por todo o mundo católico.


Faleceu com apenas quarenta e três anos de idade, no dia 17 de outubro de 1690, em Paray-le-Monial, na sua França. Foi canonizada, em 1920, pelo papa Bento XV. Santa Margarida Maria Alacoque teve a data de sua festa litúrgica antecipada por um dia para não coincidir com a de santo Inácio de Antioquia.
[www.paulinas.org.br (16/10/2008)]

 

A terra produz o suficiente para satisfazer as necessidades de todos; porém, não a cobiça de todos. (Mahatma Gandhi)