Sábado, 15 de maio de 2010

Sexta Semana da Páscoa e 2ª do Saltério (Livro II), cor litúrgica Branca

 

 

Hoje: Dia do Assistente Social e Dia Internacional da Família

 

Santos: Joana; Nereu e Aquiles (mártires, memória facultativa), Pancrácio (mártir, memória facultativa), Epifânio (judeu da Palestina convertido, Bispo de Chipre, monge), Modoaldo (Bispo de Tréveris), Rictrudes (viúva), Germano (Patriarca de Constantinopla), Domingos da Calçada, Francisco Patrizzi, Gema de Solmona (Beata), Joana de Portugal (Beata), João Stone (beato, mártir), Inácio de Laconi (Confessor franciscano da 1ª Ordem).

 

Antífona: Povo resgatado por Deus, proclamai suas maravilhas: ele vos chamou das trevas à sua luz admirável, aleluia! (1Pd 2,9)

 

Oração: Ó Deus, inspirai aos nossos corações a prática das boas obras para que, buscando sempre o que é melhor, vivamos constantemente o mistério pascal. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

I Leitura: Atos (At 18, 23-28 )

Jesus é o Messias

 

23Paulo permaneceu algum tempo em Antioquia. Em seguida, partiu de novo, percorrendo sucessivamente as regiões da Galácia e da Frígia, fortalecendo todos os discípulos. 24Chegou a Éfeso um judeu chamado Apolo, natural de Alexandria. Era homem eloqüente, versado nas escrituras. 25Fora instruído no caminho do Senhor e, com muito entusiasmo, falava e ensinava com exatidão a respeito de Jesus, embora só conhecesse o batismo de João.

 

26Então, ele começou a falar com muita convicção na sinagoga. Ao escutá-lo, Priscila e Áquila tomaram-­no consigo e, com mais exatidão, expuseram-lhe o caminho de Deus. 27Como ele estava querendo passar para a Acaia, os irmãos apoiaram-no e escreveram aos discípulos para que o acolhessem bem. Pela graça de Deus, a presença de Apoio aí foi muito útil aos fiéis. 28Com efeito, ele refutava vigorosamente os judeus em público, demonstrando pelas escrituras que Jesus é o Messias. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a Leitura

Apolo demonstrava com as escrituras que Jesus é o messias 

 

O episódio de hoje é significativo, pela atitude de Áquila e Priscila em face de Apolo. Teriam podido opor-se a ele, combatê-lo, porquanto pregava ainda o batismo de João, de qualquer forma, não formava parte do grupo dos cristãos..., até mesmo lhes fazia concorrência com seu saber e vigor. Ao contrário, com muita franqueza chegam-se a Apolo e lhe expõem as lacunas de sua doutrina. O resultado desse comportamento límpido e honesto foi ganharem um irmão, em vez de fazerem um inimigo, e o espírito da comunidade se reforçou na comunhão e no ímpeto apostólico, em vez de se meter em vãs denúncias, nos ciúmes e na descortesia.

 

A passagem destaca indiretamente o importante papel dos leigos na evangelização. Leigo é Apolo, leigos são os dois cônjuges, como eram leigos os primeiros irmãos que, banidos da comunidade de Jerusalém pela perseguição, se tornam o primeiro fermento missionário da Igreja primitiva, fora da Palestina. [Extraído do MISSAL COTIDIANO  ©Paulus, 1997]

 

Salmo: 46 (47), 2-3.8-9.10 (R/.8a)

O Senhor é o grande rei de toda a terra

 

Povos todos do universo, batei palmas, gritai a Deus aclamações de alegria! Porque sublime é o Senhor, o Deus altíssimo, o soberano que domina toda a terra.

 

Porque Deus é o grande rei de toda a terra, ao som da harpa acompanhai os seus louvores! Deus reina sobre todas as nações, está sentado no seu trono glorioso.

Os chefes das nações se reuniram com o povo do Deus santo de Abraão, pois só Deus é realmente o altíssimo, e os poderosos desta terra lhe pertencem!

 

 

Evangelho: João (Jo 16, 23b-28)

O Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes

 

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 23b"Em verdade, em verdade vos digo, se pedirdes ao Pai alguma coisa em meu nome, ele vo-la dará. 24Até agora nada pedistes em meu nome; pedi e recebereis; para que a vossa alegria seja completa. 25Disse-vos estas coisas em linguagem figurativa. Vem a hora em que não vos falarei mais em figuras, mas claramente vos falarei do Pai. 26Naquele dia pedireis em meu nome, e não vos digo que vou pedir ao Pai por vós, 27pois o próprio Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes que eu vim da parte de Deus. 28Eu saí do Pai e vim ao mundo; e novamente parto do mundo e vou para o Pai". Palavra da Salvação!

 

 

Comentário o Evangelho

A volta para o Pai 

 

A existência de Jesus pode ser definida como uma longa caminhada cujo ponto de partida e de chegada é o Pai. Saiu de junto do Pai e veio ao mundo. Ao concluir sua missão, regressou para junto dele, e, com ele, está em perfeita comunhão.


Jesus veio da parte do Pai, na condição de enviado. Este é um dado fundamental de sua identidade e de sua ação. Caso contrário, toda a sua aspiração não teria sentido, e suas palavras cairiam no vazio. Suas palavras e seu testemunho tinham valor em vista de sua condição de Filho de Deus.


O mundo foi a meta da vinda de Jesus. Afinal, ele veio para salvar o mundo de seus pecados, fazendo jorrar vida abundante onde imperava a morte. Veio para fazer brilhar a luz da verdade libertadora onde imperavam as trevas do pecado.


Uma vez concluída a sua missão, o Filho de Deus deveria voltar para junto do Pai. Ele agiu como todo enviado em missão, que volta e presta contas a quem o enviou. Jesus tem consciência de ter cumprido fielmente a missão recebida. Por sua fidelidade, tornar-se-á o grande intercessor dos discípulos junto do Pai. Doravante, eles deverão dirigir-se ao Pai, invocando o nome de Jesus, para serem sempre atendidos. [O EVANGELHO NOSSO DE CADA DIA, Ano A, ©Paulinas, 1997]

 

Para sua reflexão: Quem pede e recebe fica satisfeito e contente; que o pedir não tenha limites, para que o receber complete a alegria. Um pai que ama seu filho não lhe nega o que pede razoavelmente. Pois bem, Deus Pai ama os que amam seu Filho, e lhes concede tudo o que pedem movidos pelo Espírito. (Bíblia do Peregrino)

 

Santa Joana de Lestonnac

Joana de Lestonnac (Bordéus, 27 de dezembro de 1556 — 2 de fevereiro de 1640) foi a fundadora da Companhia de Maria, uma ordem religiosa que tinha como missão educar as jovens da época. Nasceu num período em que a Igreja vivia grandes conflitos. Seu pai, Richard de Lestonnac, um católico fervoroso e membro do Parlamento de Bordéus, era conselheiro do rei da França; sua mãe, Jeanne Eyquem, de confissão calvinista, era irmã do filósofo humanista Michel de Montaigne (1533-1592). Casou-se em 1572 com Gaston de Montferrand, com o qual conviveu até 1602 e teve sete filhos. Quando viúva, após perder dois de seus filhos, Joana de Lestonnac entrou para o mosteiro cisterciense em Toulouse, mas por problemas de saúde não pode continuar na vida monástica. Voltou para Bordéus e mais tarde fundou a ordem religiosa Companhia de Maria com o objetivo de levar o catolicismo através do ensino educacional. A ordem que fundou recebeu aprovação pontifícia em 7 de abril de 1607. Em 19 de setembro de 1834 Joana de Lestonnac foi declarada venerável. Em 23 de setembro de 1900, ocorre a beatificação de Joana de Lestonnac. Foi canonizada pelo Papa Pio XII em 1949, sendo considerada pelos católicos como a padroeira das vítimas de abusos e das viúvas, além de protetora das famílias. Hoje a Companhia de Maria marca presença em 26 países, mantendo diversas instituições de ensino, inclusive no Brasil. (Wikepedia)

 

Fazer o bem sempre, fazer o bem a todos, o mal nunca, a ninguém. (São Luis Orione)