Quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Santo Tomás de Aquino (Presbítero e Doutor) – Memória -  3ª Semana do Saltério - cor branca

 

 

Hoje: Dia do Portuário

 

Santos: Amadeu de Lausanne (monge, bispo), Antimo de Brantôme (abade), Flaviano de Cività Vecchia (mártir), Glastiano de Kinglassie (bispo), João de Réomé (abade), Juliano de Cuenca (bispo), Leônidas e Companheiros (mártires do Egito), Odo de Beauvais (monge, bispo), Paládio de Antioquia (eremita), Paulino de Aquiléia (bispo), Pedro Tomás (bispo, mártir), Ricardo de Vaucelles (abade), Tiago da Palestina (eremita), Tirso, Lêucio e Calínico (mártires de Apolônia, na Frígia), Antonio de Amandola (agostiniano, bem-aventurado), Bartolomeu Aiutamicristo (eremita, bem-aventurado), Carlos Magno (imperador, bem-aventurado), Jerônimo Lu e Lourenço Wang (mártires da China, bem-aventurados), Juliano Maunoir (jesuíta, bem-aventurado), Maria de Pisa (viúva, bem-aventurada), Ricardo, o sacristão (monge, bem-aventurado), Rogério de Todi (franciscano, bem-aventurado)

 

Antífona: Os sábios refulgirão como o esplendor do firmamento; e os que ensinaram a muitos a justiça brilharão como estrelas para sempre. (Dn 12,3)

 

Oração: Ó Deus, que tomastes Santo Tomás de Aquino um modelo admirável pela procura da santidade e amor à ciência sagrada, dai-nos compreender seus ensinamentos e seguir seus exemplos. Por nosso Senhor Jesus Cristo vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

Leitura: II Samuel (2Sm 7, 18-19.24-29)
Davi reza reconhecendo que foi escolhido por graça

 

Depois que Natã falara a Davi, o rei entrou no tabernáculo, 18foi assentar-se diante do Senhor e disse: "Quem sou eu, Senhor Deus, e o que é a minha família, para que me tenhas conduzido até aqui? 19Mas, como isto te parecia pouco, Senhor Deus, ainda fizeste promessas à casa do teu servo para um futuro distante. Porque esta é a lei do homem, Senhor Deus! 24Estabeleceste o teu povo, Israel, para que ele seja para sempre o teu povo; e tu, Senhor, te tornaste o seu Deus. 25Agora, Senhor Deus, cumpre para sempre a promessa que fizeste ao teu servo e sua casa, e faze como disseste! 26Então o teu nome será exaltado para sempre, e dirão: 'O Senhor todo-poderoso é o Deus de Israel'. E a casa do teu servo Davi permanecerá estável na tua presença. 27Pois tu, Senhor todo-poderoso, Deus de Israel, fizeste esta revelação ao teu servo: 'Eu te construirei uma casa.

 

Por isso o teu servo se animou a dirigir-te esta oração. 28Agora, Senhor Deus, tu és Deus e tuas palavras são verdadeiras. Pois que fizeste esta bela promessa ao teu servo, 29abençoa, então, a casa do teu servo, para que ela permaneça para sempre na tua presença. Porque és tu, Senhor Deus, que falaste, e é graças à tua bênção que a casa do teu servo será abençoada para sempre". Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a I Leitura

Quem sou eu, Senhor Deus, e o que é a minha família?

 

Em sua oração, inclui Davi todo o povo: neste sentido, faz pensar na oração sacerdotal de Jesus, no momento em que as promessas messiânicas atingem sua realização e o pastor dá a vida por seu rebanho. Em situação análoga estão os pastores, educadores, cristãos "empenhados", e qualquer que tenha recebido autoridade sobre outros. Quando rezam, não podem deixar de apresentar a Deus aqueles por quem são responsáveis, também quando não os podem "representar" oficialmente, mas por­que "na vida" (ao menos em parte) seus destinos são comuns.

 

Somos solidários com os homens do passado e do futuro, numa perspectiva de história da salvação, que percorremos como Davi com sentimento de humildade e reconhecimento, louvor e confiança no Deus que nos guia. Talvez devemos sentir ainda mais vivamente o papel da Igreja como força unificante da "casa de Deus" que é depois toda a humanidade, no momento em que "bendizemos" com a oração eucarística o Deus fiel às promessas, e dele recebemos, no Cristo, toda bênção: realidade já presente e, ao mesmo tempo, promessa de plenitude definitiva. [Extraído do MISSAL COTIDIANO,  ©Paulus, 1997]

 

 

Salmo: 131(132), 1-2.3-5.11.12.13-14 (+.Lc 1, 32b)

O Senhor vai dar-lhe o trono de seu pai, o rei Davi

 

Recordai-vos, ó Senhor, do rei Davi e de quanto vos foi ele dedicado; do juramento que ao Senhor havia feito e de seu voto ao pode­roso de Jacó.

 

"Não entrarei na minha tenda, minha casa, nem subirei à minha cama em que repouso, não deixarei adormecerem os meus olhos, nem cochilarem em descanso minhas pálpebras, até que eu ache um lugar para o Senhor, uma casa para o forte de Jacó!"

 

O Senhor fez a Davi um juramento, uma promessa que jamais renegará: "Um herdeiro que é fruto do teu ventre colocarei sobre o trono em teu lugar!

 

Se teus filhos conservarem minha aliança e os preceitos que lhes dei a conhecer, os filhos deles igualmente hão de sentar-se eternamente sobre o trono que te dei!"

 

Pois o Senhor quis para si Jerusalém e a desejou para que fosse sua morada: "Eis o lugar do meu repouso para sempre, eu fico aqui: este é o lugar que preferi!"

 

 

Evangelho do Dia: Marcos (Mc 4, 21-25)

Como receber e transmitir o ensinamento de Jesus

 

Naquele tempo, Jesus disse à multidão: 21"Quem é que traz uma lâmpada para colocá-la debaixo de um caixote ou debaixo da cama? Ao contrário, não a coloca num candeeiro? 22Assim, tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto, e tudo que está em segredo deverá ser descoberto. 23Se alguém tem ouvi­dos para ouvir, ouça". 24Jesus dizia ainda: "Prestai atenção no que ouvis: com a mesma medida com que medirdes, também vós se­reis medidos; e vos será dado ainda mais. 25Ao que tem alguma coisa, será dado ainda mais; do que não tem, será tirado até mesmo o que ele tem". Palavra da Salvação!

 

 

O ministério de Jesus na Galileia.  Leituras paralelas Lc 8.16-17; Mt 5, 15; 10,26; Lc 8.18; Mt 25,29.

 

 

 

Comentário o Evangelho

Onde colocar a luz

A pregação de Jesus não visava a um grupinho de privilegiados, membros de uma confraria esotérica, rodeada de mistérios. Pelo contrário, o Mestre desejava que sua mensagem fosse conhecida por todos, sem excluir ninguém. To­dos tinham esse direito, embora permanecendo livres de aceita-­la ou rejeitá-la.

 

O lugar da Palavra, na história humana, assemelha-se àquele ocupado por uma lâmpada, assim que é acesa. Seria insensatez acender uma lâmpada para, em seguida, esconde-­la debaixo de um caixote ou da cama. Será necessário encontrar um lugar estratégico, de forma que seus raios atinjam todos os cantos do ambiente, mesmo os mais escondidos. Assim acontece com a Palavra de Deus: não é privilégio de um punhado de pessoas. Antes, como a lâmpada, deverá ser colocada no lugar certo, para iluminar a todos.

 

Dando continuidade à missão de Jesus, compete aos discípulos descobrir qual é o lugar ideal para a proclamação da Palavra, a fim de que ela possa atingir o maior número de pessoas.

 

Daqui se deduz a necessidade de o discípulo de Jesus ser corajoso na proclamação do Reino. Em cada circunstância, deverá descobrir o lugar melhor para anunciá-lo. [O EVANGELHO DO DIA. Jaldemir Vitório. ©Paulina, 1998]

 

 

São Tomaz de Aquino

 

Quando criança de cinco anos, Tomás, ouvindo os monges beneditinos cantar os louvores a Deus, cheio de admiração, perguntou: "Quem é Deus?" Toda sua vida foi uma incomparável e insaciável procura do mistério de Deus!

 

Tomás nasceu em 1225 de uma nobre família do condado de Aquino, perto de Roma. Teve a oportunidade de receber toda a formação possível na época. Estudou, primeiro, no vizinho mosteiro de Monte Cassino e depois na Universidade de Nápoles, onde travou conhecimento com a Ordem Dominicana à qual quis filiar-se.

 

O jovem Tomás, com 19 anos, a fim de realizar este desejo, teve que enfrentar oposição cerrada da família, especialmente da condessa sua mãe. Para subtrair-se a ela, viajou, às escondidas, para Roma, encerrando-se no mosteiro dominicano de Santa Sabina,  de  onde  pouco  depois  foi enviado a Paris.

 

Contudo, em sua viagem, foi detido por um pelotão de soldados, guiados por dois de seus irmãos, que serviam às tropas imperiais sediadas na Itália. Enviado ao lar paterno, no castelo de Roccaseca, Tomás ficou detido por ordem de sua mãe. Com isso esperava dissuadi-lo do serviço à Igreja. Os ambiciosos familiares o queriam destinar a um cargo político ou administrativo ou, pelo menos, a um rendoso ofício prelatício, ao passo que Tomás estava escolhendo uma ordem desconhecida, com o designativo de mendicante.

 

Toda a oposição resultou em vão. Apenas libertado, seguiu sua vocação. Esteve em Colônia para os estudos filosóficos e teológicos sob a direção do célebre mestre Alberto Magno. Passou depois para Paris, o maior centro de estudos superiores na Europa. Daí por diante sua vida foi inteiramente tomada pelo ensino e pela elaboração de suas obras filosóficas e teológicas.

 

"A curta vida de Santo Tomás (1225-1274) não foi de modo algum tranquila, como poderia fazer-nos pensar a magnitude de sua obra. Viajou continuamente e desempenhou várias funções: professor universitário, consultor da Ordem, pregador oficial. Em meio de tantas viagens e ocupações, lia, meditava e redigia suas obras. Sua Suma Teológica é uma das obras fundamentais do pensamento humano. Obra que marcou o rumo da orientação filosófico-teológica da Igreja durante meio milênio. Santo Tomás aparece assim como um dos grandes elaboradores do pensamento cristão. O esforço realizado pelos Santos Padres na incorporação da cultura clássica à mensagem cristã foi completado por Santo Tomás no campo filosófico, enxertando a filosofia de Aristóteles em seu sistema teológico".

 

A convite do papa, Tomás preparou liturgia, ofício e missa da solenidade do Corpo de Deus; resultou uma maravilhosa síntese de teologia eucarística e, ao mesmo tempo, um monumento de fé e de amor à presença de Cristo na Eucaristia.

Em 1274, Tomás foi convidado a participar do Segundo Concílio Ecumênico de Lião, mas a morte o surpreendeu em viagem, no dia 7 de março. Foi canonizado pelo Papa João XXII que, aos que objetavam que faltasse milagre no processo, respondeu: "Quantas as proposições teológicas que ele escreveu, tantos são os milagres que fez". Sua memória venera-se no dia 28 de janeiro, dia em que seu corpo foi trasladado para Tolosa, em 1369.

 

Exemplo de pureza de vida, de desapego das grandezas mundanas, de firmeza na vocação religiosa, de amor entranhado à oração e à contemplação, de fidelidade à Igreja, Santo Tomás, declarado Doutor Angélico, agigantou-se no firmamento do pensamento católico como as torres das catedrais góticas, a desafiar os tempos e a apontar para o mistério de Deus. [Extraído de O SANTO DO DIA de Dom Servilio Conti, páginas 53 e 54, Ó Editora Vozes, 1997]

 

 

Para sua reflexão: Marcos reuniu pequenas parábolas que demandam diferentes interpretações, conforme os contextos nos quais elas são utilizadas. O propósito é permitir que o leitor mais atento acolha a Palavra de Jesus, isto é, a sua mensagem, de maneira mais pessoal e mais profunda. Marcos aqui sugere que pensemos com muito mais cuidado sobre o significado da vida e da mensagem de Jesus para nós mesmos, antes de dividi-la com outros irmãos. Não dá para sairmos por ai, com ideias fundamentalistas sobre a Palavra; precisamos lê as Escrituras com mais cuidado, com mais discernimento, com mais meditação, antes de compartilhar os seus ensinamentos para o próximo. Como a Bíblia tem contribuído para o seu crescimento espiritual?

 

 

Escolhe entrar no mar pelos pequenos riachos. (Santo Tomás de Aquino(

 

 

 

As pessoas não sabem o que querem até você mostrar a elas. (Steve Jobs)