Quinta-feira, 27 de maio de 2010

Oitava Semana do Tempo Comum, 4ª do Saltério (Livro III),  cor Litúrgica Verde

 

 

Hoje: Dia do Profissional Liberal

 

Santos: Agostinho de Cantuária (bispo, monge romano, memória facultativa), Ranulfo, Nossa Senhora de Caravaggio (padroeira da diocese de Caxias do Sul, RS), Ranulfo, Júlio e dois companheiros (mártires), Eutrópio (Bispo de Orange), Bruno (bispo de Wurzburg, Alemanha), Restituta de Sora (Virgem e mártir), Júlio (e seus companheiros, mártires), João I (Papa e mártir), Melângela (ou Monacela, virgem), Benvenuto de Recanati (beato confessor franciscano, 1ª ordem).

 

Antífona: O Senhor se tornou o meu apoio, libertou-me da angústia e me salvou porque me ama. (Sl 17, 19-20)

 

Oração: Fazei, ó Deus, que os acontecimentos deste mundo decorram na paz que desejais e vossa Igreja vos possa servir, alegre e tranqüila. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

Leitura: I Pedro (1Pd 2,2-5.9-12)
Aproximai-vos do Senhor, pedra viva

 

Caríssimos, 2como criancinhas recém-nascidas, desejai o leite legítimo e puro, que vos fará crescer na salvação. 3Pois já provastes que o Senhor é bom. 4Aproximai-vos do Senhor, pedra viva, rejeitada pelos homens, mas escolhida e honrosa aos olhos de Deus. 5Do mesmo modo, também vós, como pedras vivas, formai um edifício espiritual, um sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo. 9Mas vós sois a raça escolhida, o sacerdócio do Reino, a nação santa, o povo que ele conquistou para proclamar as obras admiráveis daquele que vos chamou das trevas para a sua luz maravilhosa.

 

10Vós sois aqueles que “antes não eram povo, agora porém são Povo de Deus; os que não eram objeto de misericórdia, agora porém alcançaram misericórdia”.

 

11Amados, eu vos exorto como a estrangeiros e migrantes: afastai-vos das humanas paixões, que fazem guerra contra vós mesmos. 12Tende bom procedimento no meio dos gentios. Deste modo, mesmo vos caluniando, como se fôsseis malfeitores, eles poderão observar a vossa boa atuação e glorificar a Deus, no dia de sua visitação. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a I Leitura

Vós sois a raça escolhida

 

Todos os fiéis na Igreja participam, cada qual, segundo o próprio grau, do sacerdócio de Cristo, são construídos sobre ele como pedras vivas, são o “povo de Deus” no mundo, para a salvação do mundo. Afirma o Concílio que os batizados exercem “um culto espiritual, para que Deus seja glorificado e os homens salvos... Todas as suas obras, preces e iniciativas apostólicas, vida conjugal e familiar, trabalho cotidiano, descanso do corpo e da alma, se praticados no Espírito, e mesmo os incômodos da vida, se pacientemente suportados, tornam-s sacrifícios agradáveis a Deus, por Jesus Cristo, oferecidos ao Pai na celebração eucarística, juntamente com a oblação do corpo do Senhor”. O sacerdócio dos fiéis é recebido no batismo e continuará no céu. O sacerdócio ministerial (dos bispos e sacerdotes) é uma participação mais plena no sacerdócio de Cristo, mediante o sacramento da ordem, para formar e guiar o povo e efetuar a Eucaristia: cessará no céu. [MISSAL COTIDIANO, ©Paulus, 1997]

 

 

Salmo: 99 (100), 2.3.4.5 (R/.2c)

Com canto apresentai-vos diante do Senhor!

 

Aclamai o Senhor, ó terra inteira, servi ao Senhor com alegria, ide a ele cantando jubilosos!

Sabei que o Senhor, só ele, é Deus, Ele mesmo nos fez, e somos seus, nós somos seu povo e seu rebanho.

 

Entrai por suas portas dando graças, e em seus átrios com hinos de louvor; dai-lhe graças, seu nome bendizei!

 

Sim, é bom o Senhor e nosso Deus, sua bondade perdura para sempre, seu amor é fiel eternamente!

 

 

Evangelho: Marcos (Mc 10, 46-52)

Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!

 

Naquele tempo, 46Jesus saiu de Jericó, junto com seus discípulos e uma grande multidão. O filho de Timeu, Bartimeu, cego e mendigo, estava sentado à beira do caminho. 47Quando ouviu dizer que Jesus, o Nazareno, estava passando, começou a gritar: “Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!”.

 

48Muitos o repreendiam para que se calasse. Mas ele gritava mais ainda: “Filho de Davi, tem piedade de mim!” 49Então Jesus parou e disse: “Chamai-o”. Eles o chamaram e disseram: “Coragem, levanta-te, Jesus te chama!” 50O cego jogou o manto, deu um pulo e foi até Jesus. 51Então Jesus lhe perguntou: “Que queres que eu te faça?” O cego respondeu: “Mestre, que eu veja!” 52Jesus disse: “Vai, a tua fé te curou”. No mesmo instante, ele recuperou a vista e seguia Jesus pelo caminho. Palavra da Salvação.

 

 

 

Comentário o Evangelho

O cego de Jericó

 

O cego, condenando por sua doença e reprimido pelo povo, percebe o que os outros não vêm. Ouve mencionar Jesus de Nazaré, invoca o “filho de Davi”. A sua fé, embora imperfeita, é um órgão mais penetrante: “não tendo olhos vê”. Por ela receberá de Jesus o dom da visão recuperada. Nele cumprem-se as profecias: “verão a glória do Senhor... abrir-se-ão os olhos dos cegos”. Jesus, que o mandara “chamar”. Um itinerário exemplar, de fé e iluminação, chamado de seguimento. O seu grito é uma confissão, messiânica. Jesus é um descendente legítimo de Davi, anunciado e esperado. O povo o repreende porque grita, pelo que grita. Jesus aceita a confissão, além de confirmá-la como brotada da fé. [Bíblia do Peregrino]

 

 

São Agostinho de Cantuária

 

 

 

 

Santo Agostinho de Cantuária viveu no século VI. Juntamente com 40 monges, em 597, São Gregório Magno enviou-os como missionários à Inglaterra. Chegados a Lerins, ficaram de tal modo intimidados com o que se dizia dos saxões que pediram ao Papa que mudasse os planos. São Gregório, para incentivar Santo Agostinho, nomeou-o abade e deu-lhe cartas de recomendação. Pouco tempo depois, nomeou-o bispo. Ao contrário do que imaginavam, foram bem recebidos pelo rei Etelberto. Receberam como residência a cidade de Cantuária ou Canterbury, de onde surgiria a célebre abadia de São Pedro e São Paulo que será, mais tarde, de Santo Agostinho. Etelberto fez-se batizar e com ele muitas outras pessoas se converteram ao cristianismo. Santo Agostinho foi nomeado então arcebispo primaz da Inglaterra, consolidando assim o cristianismo nessa nação. Morreu no ano de 1605. [Os santos de Cada Dia, José Benedito Alves, Paulinas, 1997]

 

Para sua reflexão: A cura do cego é o último milagre de Jesus no evangelho de Marcos. O povo que estava às escuras está próximo de ver a luz da ressurreição. Perante o grito de alguém que é cego, mendigo, situado à margem do caminho, que pede misericórdia e que grita apesar de todos quererem silenciá-lo, Jesus se detém e o manda chamar. A fé está a ponto de fazer outros milagres. O cego, ao abandonar o manto, deixa atrás de si uma “velha” vida para assumir uma nova no seguimento de Jesus. Quem estava à margem do caminho, agora segue Jesus, que é o “caminho”. Aos primeiros cristãos, identificavam-nos como os seguidores do “caminho”. (Novo Testamento, Edição de Estudos, Ave-Maria)

 

Não é louvo quem corre atrás de uma esperança, porque a

esperança é o fim de nossa própria vida. (Menotti Del Picchia)