Quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Sétima Semana do Tempo Comum, Ano “A”, 3ª Semana do Saltério, Livro III, cor, Litúrgica Verde

 

 

Santos: Adélia (rainha, viúva), Betto de Auxerre (monge, bispo), Edilberto (rei), João Theristus (monge), Modesto de Trèves (bispo), Montano, Lúcio e Companheiros (mártires da África), Pretextato de Rouen (bispo, mártir), Primitiva (provável mártir de Roma), Sérgio da Capadócia (presbítero, mártir), Constâncio de Fabriano (presbítero, bem-aventurado), Ida de Hohenfels (monja, virgem, bem-aventurada), Marcos Marconi (monje, bem-aventurado), Roberto de Arbrissel (abade, bem-aventurado).

 

Antífona: Confiei, Senhor, na vossa misericórdia; meu coração exulta porque me salvais. Cantarei ao Senhor pelo bem que me fez. (Sl 12,6)

 

Oração: Concedei, ó Deus todo-poderoso, que, procurando conhecer sempre o que é reto, realizemos vossa vontade em nossas palavras e ações. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Leitura: Livro do Eclesiástico (Eclo 5,1-10)
Não te apoies em riquezas injustas

 

1Não confies nas tuas riquezas e não digas: 'Basta-me viver!' 2Não deixes que tua força te leve a seguir as paixões do coração. 3Não digas: 'Quem terá poder sobre mim?' ou: 'Quem me fará prestar contas das minhas ações?', pois o Senhor, com certeza, te castigará. 4Não digas: 'Pequei, e que de mal me aconteceu?', pois o Altíssimo é paciente. 5Não percas o temor por causa do perdão, cometendo pecado sobre pecado. 6Não digas: 'A misericórdia do Senhor é grande, ele me perdoará a multidão dos meus pecados!', 7pois dele procedem misericórdia e cólera, e sua ira se abate sobre os pecadores. 8Não demores em voltar para o Senhor, e não adies de um dia para outro, 9pois a sua cólera vem de repente e, no dia do castigo, serás aniquilado. 10Não te apoies em riquezas injustas pois elas de nada te valerão no dia da desgraça. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a I Leitura

Não demores em voltar para o Senhor

 

A concupiscência dos olhos, a concupiscência da carne e o orgulho da vida (cf. 1Jo 2,16), juntamente com a presunção de si e a falsa esperança do perdão, sempre foram o obstáculo intransponível para a aquisição de sabedoria. O espírito de pobreza, a humildade, o desprendimento de si, próprios da verdadeira conversão, são também o caminho da verdadeira sabedoria para cada fiel e para toda a comunidade eclesial. O pecado só é um dano quando acompanhado de presunção. A Escritura marca os corações endurecidos e presunçosos e, ao mesmo tempo, sobretudo após o evangelho, usa de grande benevolência com o pecador que acusa sua fraqueza. [MISSAL COTIDIANO, ©Paulus, 1997]

 

Salmo: 1,1-2.3.4.6 (R/. Sl 39[40],5a)
É feliz quem a Deus se confia!

 

1Feliz é todo aquele que não anda conforme os conselho dos perversos; que não entra no caminho dos malvados, nem junto aos zombadores vai sentar-se; 2mas encontra seu prazer na lei de Deus e a medita, dia e noite, sem cessar.

 

3Eis que ele é semelhante a uma árvore que à beira da torrente está plantada; ela sempre dá seus frutos a seu tempo, e jamais as suas folhas vão murchar. Eis que todo o que ele faz vai prosperar.

 

4Mas bem outra é a sorte dos perversos. Ao contrário, são iguais à palha seca espalhada e dispersada pelo vento. 6Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, mas a estrada dos malvados leva à morte.

 

 

Evangelho: Marcos (Mc 9, 41-50)

Vivei em paz uns com os outros

 

Naquele tempo, 41disse Jesus aos seus discípulos: “Quem vos der a beber um copo de água, porque sois de Cristo, não ficará sem receber a sua recompensa. 42E se alguém escandalizar um desses pequeninos que creem, melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço.


43Se tua mão te leva a pecar, corta-a! 44É melhor entrar na Vida sem uma das mãos, do que, tendo as duas, ir para o inferno, para o fogo que nunca se apaga. 45Se teu pé te leva a pecar, corta-o! 46É melhor entrar na Vida sem um dos pés, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno. 47Se teu olho te leva a pecar, arranca-o! É melhor entrar no Reino de Deus com um olho só, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno, 48‘onde o verme deles não morre, e o fogo não se apaga’. 49Pois todos hão de ser salgados pelo fogo. 50Coisa boa é o sal. Mas se o sal se tornar insosso, com que lhe restituireis o tempero? Tende, pois, sal em vós mesmos e vivei em paz uns com os outros”. Palavra da Salvação!

 

Leituras paralelas: Mt 5,27-30; 18,6-9; Lc 17,1-3

 

 

Comentando o Evangelho

O caminho da fé

 

Este relato gira ao redor do “escândalo”, que significa ser obstáculo ou tropeço no caminho de fé de alguém, em especial dos “pequenos” que podem ser aqueles que aprenderam a ser como crianças para entrar no Reino: os pobres, os humildes, os mais indefesos da comunidade.


Pelo que indica o texto, o processo de fé de cada um dos crentes é um tesouro, é um dom outorgado por Deus que se deve cuidar e alimentar, e que ninguém tem o direito de colocar em perigo. Por isso, o evangelista afirma que quem se escandaliza “melhor que se lhe atasse ao pescoço uma pedra de moinho e fosse lançado ao mar”.


No mesmo sentido pode ser entendidos os ditos referentes à amputação de alguns membros do corpo, hipérbole que Jesus emprega para exortar seus discípulos a afastarem-se do pecado e da tentação, com o fim de preservar a fé e manterem-se no caminho do Reino.

 

O relato nos convida a renunciar a todo tipo de egoísmo e busca de poder e abraçar com fidelidade o caminho da fé, o qual se cultiva através da oração e do amor aos irmãos. [www.claretianos.com.br]

 

Oração da Assembleia (Liturgia Diária)

 

-Para que a Igreja seja sal e luz e motive vossa caminhada cristã, rezemos. Senhor, escutai-nos.

-Para que saibamos reconhecer nossos pecados e limitações, rezemos.

-Para que ajudemos na construção de um mundo justo e fraterno, rezemos.

-Para que os necessitados encontrem apoio na solidariedade do próximo, rezemos.

-Para que nossas famílias sejam exemplo de fé e harmonia, rezemos.

(Outras intenções)

 

Oração sobre as Oferendas:

Ao celebrar com reverência vossos mistérios, nós vos suplicamos, ó Deus, que os dons oferecidos em vossa honra sejam úteis à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Antífona da comunhão:

Senhor, de coração vos darei graças, as vossas maravilhas narrarei! Em vós exultarei de alegria, cantarei ao vosso nome, Deus altíssimo! (Sl 9,2-3)

 

Oração Depois da Comunhão:

Ó Deus todo-poderoso, concedei-nos alcançar a salvação eterna, cujo penhor recebemos neste sacramento. Por Cristo, nosso Senhor!  

 

São Sérgio

 

Celebramos neste dia a santidade de vida do monge Sérgio que chegou ao martírio devido seu grande amor a pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo. São Sérgio vivia no deserto enquanto os cristãos estavam sendo perseguidos e entregando a vida em sacrifício de louvor. Certa vez o Santo monge e intercessor foi movido pelo Espírito Santo para ir à Cesaréia, onde lá ele encontrou no centro da praça a imagem de Júpiter, que era considerado como o maior dos deuses entre os pagãos. Diante da imagem os sacerdotes pagãos acusavam os cristãos e os condenavam, com o motivo de serem eles os culpados da omissão dos deuses diante das necessidades do povo. Encorajado por Deus São Sérgio se levantou para denunciar as mentiras e anunciar no poder do Espírito Santo o Evangelho. Depois de fazer um lindo trabalho de Evangelização São Sérgio foi preso e no século IV partiu para a glória. Era o dia 24 de fevereiro. O corpo do mártir foi recolhido pelos cristãos e sepultado na casa de uma senhora piedosa. De lá foi transportado para a Espanha.

 

A justiça do Reino

Dom Paulo Mendes Peixoto, Bispo de São José do Rio Preto

 

A principal atenção do cristão deve estar firmada na realização do “Reino de Deus e sua justiça”. É o que proclamamos sempre que rezamos o Pai Nosso, quando dizemos: “Venha a nós o vosso Reino”. É Reino marcado por valores na defesa da vida.

 

Não é fácil falar em justiça nas realidades de hoje. Ela exige prática de solidariedade, atitudes de respeito para com a cultura, saber entender e conviver com o diferente, com capacidade de diálogo fraterno e atenção bem determinada na construção da paz.

Fazer alusão à justiça do Reino é falar da dignidade das pessoas. O Reino de Deus existe por causa do ser humano, de seu bem e de sua realização como pessoa. Por isto, a prática da justiça deve estar acima de qualquer outra preocupação na vida.

 

Temos aqui o perigo do dinheiro e das vãs intenções. Significa opção pelos tesouros terrenos ou pelos tesouros do céu, treva e luz, Deus ou dinheiro. Jesus afirma que não é possível servir a Deus e ao dinheiro ao mesmo tempo. Não ser escravo do dinheiro.

 

São incompatíveis Deus e acúmulo do dinheiro. O primeiro liberta e dá qualidade de vida. O dinheiro escraviza, divide as pessoas, causa violência e pode ocasionar a morte. Quem faz opção por Deus, por uma vida simples, tem garantida de felicidade.

 

Estamos numa sociedade que motiva, a todo custo, o consumo como fonte de felicidade. Isto faz as pessoas ficarem confusas diante da insistência da mídia. Até fazem opção por aquilo que não é o objetivo do Reino de Deus, e ficam frustradas.

 

A realidade é tão gritante que muitos ficam mergulhados no acúmulo, na ganância e numa vida sem sentido. Esses não necessitam acreditar na Providência de Deus. O que têm já constitui o seu próprio deus. A vida fica vazia.

 

Quando a bíblia fala “não fiquem preocupados com a vida”, não está sugerindo a preguiça, o desinteresse e a acomodação. O que pretende é mostrar a ação de Deus e que a confiança deve estar em suas mãos.

 

Aconteceu no dia 24 de fevereiro:

1888: Fundação do Instituto Pasteur no Rio de Janeiro

 

Tem-se dito que é importante amar a Deus... E é verdade. Mas, o mais

importante é que Deus nos ama. (Piet van Breemen)