Quinta-feira, 22 de abril de 2010

Terceira Semana da Páscoa, 2ª do Saltério (Livro II),  cor Litúrgica Branca

 

Hoje: Dia do Descobrimento do Brasil (510º ano), dia Internacional da Terra, dia da Comunidade Luso-Brasileira e dia da Aviação de Caça.

 

Santos: Sotero (papa, mártir), Caio (papa, mártir), Epipódio (mártir), Alexandre (mártir), Leônidas (mártir), Agapito I (papa), Teodoro de Sicélia (bispo), Oportuna (virgem e abadessa), Volfelmo (beato, abade), Francisco de Fabriano (beato, confessor franciscano da 1ª ordem), Bartolomeu de Cervere (beato, mártir), Miles

 

Antífona: Cantemos ao Senhor: ele se cobriu de glória. O Senhor é minha força e o meu cântico: foi para mim a salvação, aleluia! (Ex 15, 1-2)

 

Oração: Ó Deus eterno e onipotente, que nestes dias vos mostrais tão generoso, dai-nos sentir mais de perto o vosso amor paterno para que, libertados das trevas do erro, siga-nos com firmeza a luz da verdade. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na Unidade do Espírito Santo.

 

 

I Leitura: Atos (At 8, 26-40   

Aqui temos água

 

Naqueles dias, 26um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: "Prepara-te e vai para o sul, no caminho que desce de Jerusalém a Gaza. O caminho é deserto". Filipe levantou-se e foi. 27Nisso apareceu um eunuco etíope, ministro de Candace, rainha da Etiópia e administrador geral do seu tesouro, que tinha ido em peregrinação a Jerusalém. 28Ele estava voltando para casa e vinha sentado no seu carro, lendo o profeta Isaías. 29Então o Espírito disse a Filipe: "Aproxima-te desse carro e acompanha-o". 30Filipe correu, ouviu o eunuco ler o profeta Isaías e perguntou: "Tu compreendes o que estás lendo?" 31O eunuco respondeu: "Como posso, se ninguém me explica?" Então convidou Filipe a subir e a sentar-se junto a ele.

 

32A passagem da Escritura que o eunuco estava lendo era esta: "Ele foi levado como ovelha ao matadouro; e qual um cordeiro diante do seu tosquiador, ele emudeceu e não abriu a boca. 33Eles o humilharam e lhe negaram justiça; e seus descendentes, quem os poderá enumerar? Pois sua vida foi arrancada da terra". 34E o eunuco disse a Filipe: "Peço que me expliques de quem o profeta está dizendo isso. Ele fala de si mesmo ou se refere a algum outro?" 35Então Filipe começou a falar e, partindo dessa passagem da Escritura, anunciou Jesus ao eunuco. 36Eles prosseguiram o caminho e chegaram a um lugar onde havia água. Então o eunuco disse a Filipe: "Aqui temos água. O que impede que eu seja batizado?" [37]38O eunuco mandou parar o carro. Os dois desceram para a água e Filipe batizou o eunuco. 39Quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou Filipe. O eunuco não o viu mais e prosseguiu sua viagem, cheio de alegria. 40Filipe foi parar em Azoto. E, passando adiante, evangelizava todas as cidades até chegar a Cesaréia. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a Leitura

O que impede que eu seja batizado?

 

A Palavra escrita não basta, por si só para suscitar a fé no Senhor. O etíope lê e não compreende". Vem a palavra viva da Igreja (Filipe), que lê e interpreta. E a Igreja aprendeu do Ressuscitado a ler as Escrituras. Sua compreensão, porém, e a descoberta do mistério da ressurreição não são em si mesmas um fim, mas levam ao sacramento. Com a água do Batismo se encerra em Jerusalém o dia de Pentecostes. Com a água do batismo se encerra no deserto o encontro de Filipe com o etíope. E "cheio de alegria, prossegue o seu caminho" (versículo 39). 

 

Não há caminho de salvação que não passe por estas três etapas: escuta da palavra anunciada pela Igreja, batismo, alegria da vida renovada. A autenticidade de uma etapa condiciona a possibilidade dos outros momentos. [Extraído do MISSAL COTIDIANO  ©Paulus, 1997]

 

Salmo: 65(66), 8-9. 16-17. 20 (R/. 1)

Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira

 

Nações, glorificai ao nosso Deus, anunciai em alta voz o seu louvor! É ele quem dá vida à nossa vida, e não permite que vacilem nossos pés.

 

Todos vós que a Deus temeis, vinde escutar: vou contar-vos todo bem que ele me fez! Quando a ele o meu grito se elevou, já havia gratidão em minha boca!

 

Bendito seja o Senhor Deus que me escutou, não rejeitou minha oração e meu clamor, nem afastou, longe de mim o seu amor!

 

Evangelho: João (Jo 6, 44-51)

Eu sou o pão vivo descido do céu

 

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 44"Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o atrai. E eu o ressuscitarei no último dia. 45Está escrito nos profetas: 'Todos serão discípulos de Deus'. Ora, todo aquele que escutou o Pai e por ele foi instruído, vem a mim. 46Não que alguém já tenha visto o Pai. Só aquele que vem de junto de Deus viu o Pai.

 

47Em verdade, em verdade vos digo, quem crê, possui a vida eterna. 48Eu sou o pão da vida. 49Os vossos pais comeram o maná no deserto e, no entanto, morreram. 50Eis aqui o pão que desce do céu: quem dele comer, nunca morrerá. 51Eu sou o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo". Palavra da Salvação!

 

Comentário o Evangelho

O ensinamento do Pai

 

É o Pai quem tem a iniciativa na dinâmica da fé dos cristãos. No seu amor, elege o ser humano para ser objeto de sua revelação, e o convida a aderir ao Filho Jesus. Só vai a Jesus quem é escolhido e impelido pelo Pai. Só se entrega a Jesus quem se deixa guiar pelo Pai. E tudo quanto o Pai realiza está em função de guiar a humanidade para o Filho. O ato de fé no Senhor Jesus é, portanto, indício de obediência ao ensinamento do Pai e de submissão à sua vontade.


A incredulidade configura-se como rebeldia contra o Pai. Não se trata de mera oposição a Jesus, numa atitude sem maiores conseqüências. Nem, tampouco, pode ser considerada como uma fatalidade na vida das pessoas, numa espécie de anulação de sua liberdade.


No ato de fé, está implicada a liberdade humana. Instruído pelo Pai, cabe ao ser humano acolher ou não a instrução recebida. Se a acolhe, sem dúvida será capaz de reconhecer em Jesus o enviado do Pai. Se a rejeita, não somente se tornará um adversário do Filho, mas também do Pai. Não é possível acolher a moção do Pai, mas fechar-se para o Filho. Ou seja, não dá para ficar no meio do caminho. Quem recebeu o ensinamento do Pai, necessariamente, irá a Jesus. [O EVANGELHO NOSSO DE CADA DIA, Ano A,  ©Paulinas, 1997]

São Sotero

 

 

Foi Papa de 166 a 175, quando Marco Aurélio era imperador romano (161-180). Sobre ele são Dionísio escreveu: "Derramaste tua beneficência sobre os irmãos, enviando a muitas igrejas esmolas e socorrendo a todos os pobres, especialmente os que trabalhavam nas minas. Em todas as partes renovas a generosa caridade dos teus antecessores, socorrendo os que padecem por Cristo". Escreveu uma carta para encorajar os perseguidos de Corinto, como um pai amoroso. Exemplo de santidade, ensinou a redimensionar nossos problemas e a nunca perder a fé em Deus.

 

Para sua reflexão: Jesus é aquele Deus que alimenta seu povo como o fez no passado por meio de Moisés. O primeiro pão foi temporário e perecível. O pão de Jesus produz vida eterna. Este alimento está ligado ao sacrifício de Jesus que derrama seu sangue pelos seus. (Novo Testamento, Editora Ave-Maria)

 

O perdão, o amor e paz são requisitos necessários para toda a espécie de cura. (Segismundo Paulik)