Quinta-feira, 15 de abril de 2010

2ª Semana da Páscoa, 2ª Semana do Saltério (Livro II),  cor  litúrgica Branca

 

Hoje: Dia do Desenhista e dia da Conservação do Solo

 

Santos: Basilissa e Anastácia (mártires de Roma), Crescêncio de Myra (mártir), Êutico de Ferentino (mártir), Huna da Alsácia (mãe de família), José de Veuster (também conhecido como Padre Damião de Molokai), Maron, Êutico e Vitorino (mártires de Roma), Máximo e Olimpíades (mártires de Córdova), Mundo de Argyle (abade), Ortário de Landelle (abade), Paterno de Vannes (bispo), Ruadan de Lothra (abade),Silvestre de Réome (abade), Teodoro e Pausilipo (mártires de Trácia), Laurentino Sossius (mártir, bem-aventurado), Nidger de Ausburgo (monge, bispo, bem-aventurado).

 

Antífona: Ó Deus, quando saístes à frente do vosso povo, abrindo-lhe o caminho e habitando entre eles, a terra estremeceu, fundiram-se os céus, aleluia! (Sl 67, 8s.20)

 

Oração: Concedei, ó Deus, que vejamos frutificar em toda a nossa vida as graças do mistério pascal, que instituístes na vossa misericórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na Unidade do Espírito Santo.

 

 

I Leitura: Atos (At 5, 27-33)     
 Nem o sinédrio ameaçava a missão dos apóstolos

 

Naqueles dias, os guardas 27levaram os apóstolos e os apresentaram ao sinédrio. O sumo sacerdote começou a interrogá-los, 28dizendo: "Nós tínhamos proibido expressamente que vós ensinásseis em nome de Jesus. Apesar disso, enchestes a cidade de Jerusalém com a vossa doutrina. E ainda nos quereis tornar responsáveis pela morte desse homem!"

 

29Então Pedro e os outros apóstolos responderam: "É preciso obedecer a Deus, antes que aos homens. 30O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, a quem vós matastes, pregando-o numa cruz. 31Deus, por seu poder, o exaltou, tornando-o guia supremo e salvador, para dar ao povo de Israel a conversão e o perdão dos seus pecados. 32E disso somos testemunhas, nós e o Espírito Santo, que Deus concedeu àqueles que lhe obedecem". 33Quando ouviram isto, ficaram furiosos e queriam matá-los. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a Leitura

Disso somos testemunhas, nós e o Espírito Santo

 

Os apóstolos, para fornecer a prova judicial de suas afirmações, são obrigados a citar duas testemunhas (Dt 19,15). Apresentam-se eles próprios como primeira testemunha; a outra é o Espírito Santo, Testificam o que viram e ouviram: são as testemunhas autorizadas da vida, da morte e da ressurreição de Jesus. Mas a visão dos acontecimentos mudou-se para eles em experiência religiosa, e a este título encontraram outra testemunha, o Espírito, dispensador das maravilhas vividas pelos cristãos; estes são outros tantos sinais de que Jesus continua sua obra messiânica entre os seus, melhor ainda que no passado.

 

O testemunho apostólico não é, pois, a simples atestação de um fato, mas, graças à presença do Espírito, é a interpretação religiosa do desígnio de Deus. Desta forma, o apóstolo continua a obra dos profetas. Também a Igreja, que no Espírito relê os acontecimentos contemporâneos, pode dar o mesmo testemunho e renovar a ação de graças pela salvação. [Extraído do COMENTÁRIO BIBLICO, Vol. 2,  ©Edições Loyola, 1999]

 

 

Salmo: 33 (34), 2 e 9.17-18.19-20 (R/.7a)
Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido

 

Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, seu louvor estará sempre em minha boca. Provai e vede quão suave é o Senhor! Feliz o homem que tem nele o seu refúgio!

 

Mas ele volta a sua face contra os maus, para da terra apagar sua lembrança. Clamam os justos, e o Senhor bondoso escuta e de todas as angústias os liberta.

 

Do coração atribulado ele está perto e conforta os de espírito abatido. Muitos males se abatem sobre os justos, mas o Senhor de todos eles os liberta.

 

 

Evangelho: João (Jo 3, 31-36)

O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão

 

31"Aquele que vem do alto está acima de todos. O que é da terra, pertence à terra e fala das coisas da terra. Aquele que vem do céu está acima de todos. 32Dá testemunho daquilo que viu e ouviu, mas ninguém aceita o seu testemunho. 33Quem aceita o seu testemunho atesta que Deus é verdadeiro. 

 

34De fato, aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus, porque Deus lhe dá o espírito sem medida. 35O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão. 36Aquele que acredita no Filho possui a vida eterna. Aquele, porém, que rejeita o Filho não verá a vida, pois a ira de Deus permanece sobre ele". Palavra da Salvação!

 

 

Comentário o Evangelho

O testemunho de Jesus

 

Jesus apresentou-se como testemunha do Pai, uma vez que suas palavras reportam-se a tudo quanto dele viu e ouviu. Entender a identidade e a missão de Jesus é de suma importância no processo da fé. Por isso, Nicodemos devia ser bem instruído. Sua relação com o Mestre dependeria do peso que este discípulo iria dar às palavras de Jesus. E estas teriam mais valor se realmente o Filho falasse a partir de seu contato imediato com o Pai. Caso contrário, não passariam de meras palavras humanas.


Jesus, porém, apresenta-se como superior a todos os demais seres humanos, por ter experimentado a intimidade do Pai. Sua linguagem toca as verdades mais sublimes, porque “quem é da Terra, pertence à Terra e fala com um ser terreno”.


No entanto, a rejeição faz parte de sua missão, pois “ninguém aceita o seu testemunho”, mesmo sendo veraz. O Filho age, movido pelo Espírito que o Pai lhe conferiu abundantemente. O Espírito sugere-lhe as palavras que deve proclamar, de modo a garantir a fidelidade ao projeto de Deus, sem deturpações. De sua boca sai a Palavra de Deus capaz de tocar o coração humano e movê-lo à conversão. Seu domínio se estende sobre todas as coisas, já que tudo lhe foi entregue, por obra do amor do Pai.


Diante dos discípulos apresentam-se dois caminhos: o da fé que leva à vida eterna, e o da incredulidade que submete o ser humano à ira de Deus. Diante deles, Nicodemos viu-se obrigado a tomar uma decisão. [O EVANGELHO NOSSO DE CADA DIA, Ano A, ©Paulinas, 1997]

 

Para sua reflexão: O cristão tem a obrigação de dar testemunho dos dons recebidos de Deus. Existe uma estreita correspondência entre o escutar e o receber esse testemunho. Até é dom do Pai que vem por Jesus e se recebe com o Espírito. Deus faz tudo em todos. Crer e não crer são atitudes que configuram a vida inteira, com vida eterna ou como fracasso definitivo.

 

Cesar de Bus

 

Cesar de Bus, que desejava seguir a carreira militar, estava quase embarcando para atender ao chamado de seu irmão, capitão a serviço do rei Carlos IX, da França, quando foi impedido por uma enfermidade que o atingiu de maneira fulminante. Foi essa ocasião que o aproximou do bispo de Cavaillon, cidadezinha da Provença, onde ele tinha nascido em 3 de fevereiro 1544.

Os jesuítas de Avignon, um humilde capelão e uma camponesa, que o assistiam durante a convalescença, com as suas palavras e os seus exemplos o reconduziram para a religião cristã, da qual ele havia se afastado. Não perdeu tempo: tão logo se curou, trocou de vida e se pôs a estudar para tornar-se sacerdote. Enquanto se preparava, começou a percorrer os sítios e fazendas ensinando o catecismo. Fundou, com o auxilio de um primo, Romillon, centros de instrução religiosa nos cantos mais escondidos e esquecidos, nos quais começou a experimentar novos métodos de ensino da doutrina às crianças do meio rural.


Cesar de Bus tornou-se sacerdote aos trinta e oito anos de idade e já reunia em torno de si muitos jovens, formando, com a ajuda dos bispos e dos sacerdotes da região, uma numerosa comunidade, que tomou o nome de Congregação dos Padres da Doutrina Cristã, ou Doutrinários, os quais, por não terem pronunciado os votos, viviam todos juntos. Foi neste ponto que surgiu a divergência entre os dois fundadores: Cesar de Bus queria que eles pronunciassem finalmente os votos e Romillon queria que se mantivessem apenas padres. Assim, esse último se transferiu para a casa de Aix-en-Provance, enquanto Cesar permaneceu na sede de Avignon.

Depois de um longo período de sofrimento causado por uma enfermidade, Cesar de Bus morreu no dia 15 de abril de 1607. Foi beatificado, em 1975, pelo papa Paulo VI, que autorizou sua celebração litúrgica para o dia do seu trânsito.
[paulinas.org.br]

 

Dia da Conservação do Solo

 

A data de 15 de Abril foi escolhida para o Dia da Conservação do Solo em homenagem ao nascimento do americano Hugh Hammond Bennett (15/04/1881- 07/07/1960), considerado o pai da conservação dos solos nos Estados Unidos, o primeiro responsável pelo Serviço de Conservação de Solos daquele país. Suas experiências estudando solos e agricultura, nacional e internacionalmente, fizeram dele um conservacionista dedicado. Também pela capacidade de comunicação de seus textos, muito conquistou para a causa mundial da conservação. [IBGE]

 

 

A tristeza é um tipo de ferrugem da alma. (Samuel Johnson)