Quarta-feira, 29 de setembro de 2010

MIGUEL, GABRIEL E RAFAEL (Arcanjos), Oficio Festivo, 2ª do Saltério (Livro III), cor Branca

 

Hoje: Dia do Petróleo e dia do Paraquedista e Dia do Anunciante

 

Santos: Miguel, Gabriel, Rafael, Ripsima, Ciríaco (Corino), Bem-Aventurado Josão de Montmirail (1217), Bem-Aventurado Ricardo Rolle (1349), René Goupil, Bernardino de Feltre (confessor franciscano, 1ª ordem)

 

Antífona: Bendizei ao Senhor, mensageiros de Deus, heróis poderosos que cumpris suas ordens, sempre atentos à sua palavra. (Sl 102,20)

 

Oração: Ó Deus, que organizais de modo admirável o serviço dos anjos e dos homens, fazei sejamos protegidos na terra por aqueles que vos servem nos céus. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

Leitura: Daniel (Dn 7, 9-10.13-14)

Sua veste era branca como neve

 

9Eu continuava olhando até que foram colocados uns tronos, e um ancião de muitos dias aí tomou lugar. Sua veste era branca como neve e os cabelos da cabeça, como lã pura; seu trono eram chamas de fogo e as rodas do trono, como fogo em brasa. 10Derramava-se aí um rio de fogo que nascia diante dele; serviam-no milhares de milhares e milhões de milhões assistiam-no ao trono; foi instalado o tribunal e os livros foram abertos. 13Continuei insistindo na visão noturna, e eis que, entre as nuvens do céu, vinha um como filho do homem, aproximando-se do ancião de muitos dias, e foi conduzido à sua presença. 14Foram-lhe dados poder, glória e realeza, e todos os povos, nações e línguas o serviam: seu poder é um poder eterno que não lhe será tirado, e seu reino, um reino que não se dissolverá. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a Leitura

As visões de Daniel

 

Nesta passagem, o gênero muda de narrações sobre Daniel e seus três companheiros para visões apocalípticas relatadas na primeira pessoa e atribuídas a Daniel. Nessa série de quatro visões a respeito do decorrer da história universal, Daniel não é intérprete de mistérios, mas o destinatário de revelações secretas. Por intermédio de visões simbólicas e revelações diretas, Daniel toma conhecimento de atos divinos que ocorrerão em breve. Pela intercessão de anjos, é revelado que, no futuro próximo, Deus julgará e destruirá Antíoco IV Epífanes. [COMENTÁRIO BÍBLICO, ©Edições Loyola, 1999] 

 

 

Salmo: 137 (138), 1-2a.2bc-3.4-5 (R/.1c)

Perante os vossos anjos vou cantar-vos, ó Senhor!

 

1Ó Senhor, de coração eu vos dou graças, porque ouvistes as palavras dos meus lábios! Perante os vossos anjos vou cantar-vos, 2e ante o vosso templo vou prostrar-me. 

 

Eu agradeço vosso amor, vossa verdade, porque fizestes muito mais que prometestes; 3naquele dia em que gritei, vós me escutastes e aumentastes o vigor de minha alma. 

 

4Os reis de toda a terra hão de louvar-vos, quando ouvirem, ó Senhor, vossa promessa. 5Hão de cantar vossos caminhos e dirão: "Como a glória do Senhor é grandiosa!"

 

 

Evangelho: João (Jo 1, 47-51)

Tu és o filho de Deus, tu és rei de Israel

 

Naquele tempo, 47Jesus viu Natanael que vinha para ele e comentou: "Aí vem um israelita de verdade, um homem sem falsidade". 48Natanael perguntou: "De onde me conheces?" Jesus respondeu: "Antes que Filipe te chamasse, enquanto estavas debaixo da figueira, eu te vi". 49Natanael respondeu: "Rabi, tu és o filho de Deus, tu és o rei de Israel". 50Jesus disse: Tu crês porque te disse: Eu te vi debaixo da figueira? Coisas maiores que esta verás!" 51 E Jesus continuou: "Em verdade, em verdade, eu vos digo, vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem". Palavra da Salvação!

 

Leituras paralelas do contexto desta passagem: Mt 4, 18-22; Mc 1, 16-20; 3, 13-19; Lc 5, 1-11; 6, 12-16; At 1, 13

 

 

 

 

Comentando o Evangelho

O Messias encontrado

 

A experiência vocacional de Filipe é fonte de inspiração para o discipulado cristão. Tudo começa com um encontro pessoal com Jesus, seguido de uma ordem: "Segue-me!" O caminho do Mestre e do novo discípulo cruzam-se, fazendo a vida de Filipe passar por uma radical transformação. Seu caminho, doravante, será o mesmo de Jesus. Sua vida estará associada à do Mestre.

 

Filipe é atraído por Jesus por tratar-se daquele "de quem escreveram Moisés na Lei, e os profetas". O seguimento concretizou-se por um motivo verdadeiro. Ele não se deixou encantar apenas pela simpatia ou pela bondade de Jesus, nem pelo seu espírito de liderança e capacidade de expressar-se com autoridade, nem por vantagens que poderia tirar desta amizade. No Jesus de Nazaré Filipe reconheceu a manifestação da fidelidade de Deus à sua Palavra. Embora, no futuro, o novo discípulo devesse dar um novo enfoque a seu conceito acerca do messianismo, já era suficiente sua consciência inicial a respeito de Jesus.

 

O passo seguinte consistiu em comunicar a Natanael sua experiência, quando procurou convencê-lo da veracidade messiânica de Jesus de Nazaré, o filho de José. Seu esforço visou conduzir Natanael até o Mestre ("ir e ver") para que fizesse uma experiência pessoal, e, só depois, poder decidir-se a segui-lo.

 

A preocupação de levar outras pessoas a Jesus prova a autenticidade do "sim" de Filipe. [O EVANGELHO NOSSO DE CADA DIA, Ano B, ©Paulinas, 1996]

 

São Miguel, São Rafael e São Gabriel

A liturgia une hoje numa só comemoração três arcanjos, seguidamente nomeados nas Sagradas Escrituras. São eles: Miguel, Gabriel e Rafael.

 

Vejamos brevemente a posição deles na Bíblia e a veneração que lhes tributa a Igreja. O primeiro arcanjo é São Miguel, que significa em hebraico "quem e igual a Deus". Segundo a Bíblia, ele é um dos sete espíritos assistentes ao trono do Altíssimo, portanto, um dos grandes príncipes do céu e ministro de Deus.

 

O profeta Daniel é o primeiro hagiógrafo que nomeia este arcanjo e o chama de príncipe protetor dos judeus, enquanto depositário das grandes profecias e revelações do Antigo Testamento.

 

Sendo a Igreja o povo eleito por excelência, herdeira definitiva das revelações e mistérios divinos, ela se atribui a honra de considerá-lo também protetor especial dos Filhos de Deus, regenerados pelo sangue do Divino Cordeiro. Outra importante passagem relativa a este arcanjo é a do Apocalipse (12,7). O apóstolo São João assim descreve uma rebelião havida: "Houve uma batalha no céu. Miguel e seus anjos tiveram que combater o dragão. O dragão e seus anjos travaram combate, mas não prevaleceram. E já não houve lugar no céu para eles. Foi, então, precipitado o grande dragão, a primitiva serpente, chamado Demônio ou Satanás, o sedutor do mundo inteiro. Foi precipitado na terra e com ele os seus anjos".

 

Última passagem alusiva a este arcanjo se encontra na carta de Judas, em que mais uma vez Miguel é protetor dos justos.

 

O segundo arcanjo é Gabriel. E citado duas vezes nas profecias de Daniel, como portador de revelações por parte de Deus.

 

Mas a figura deste arcanjo refulge numa luz toda especial no Evangelho de São Lucas, onde Gabriel, que significa "homem de Deus", é o grande mensageiro do maior evento realizado na história: o nascimento de São João Batista, e sobretudo a Encarnação do Verbo no seio puríssimo da Virgem Maria.

 

A narração desta segunda aparição em São Lucas (1 ,26s) é de beleza insuperável. Ele cumprimenta Maria com suas palavras: "Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo". . . em seguida se desenrola o maravilhoso diálogo entre o anjo e Maria, concluindo com as palavras do arcanjo: "O Espírito Santo descerá sobre ti e a força do Altíssimo te envolverá com sua sombra. Por isso o Santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus". Ao que Maria respondeu: "Eis aqui a serva do Senhor, seja feito em mim conforme a tua palavra". Naquele momento, o Verbo de Deus se fez homem e habitou entre nós. Lendas judias contam que Gabriel foi um dos anjos que sepultaram Moisés. O próprio fundador do islamismo, Maomé, declara ter recebido do arcanjo Gabriel os suratas, isto é, os capítulos das revelações no Corão.

 

O terceiro arcanjo proposto hoje à nossa veneração é Rafael. A tradição bíblica reconhece em Rafael um dos sete espíritos que assistem ao trono de Deus. Dele, porém, se fala explicitamente uma só vez na Bíblia, isto é, no Livro de Tobias e figura como o arcanjo protetor e guia do jovem Tobias, enviado pelo pai para uma longa e perigosa viagem. O nome Rafael significa "Deus curou" e se adapta perfeitamente ao piedoso ofício desenvolvido por Rafael, restituindo a vista ao piedoso e velho Tobias. Também esta narração bíblica é de beleza incomparável, contendo preciosos ensinamentos morais e religiosos.

 

A Igreja Católica, guiada pelo Espírito Santo, herdou do Antigo Testamento a devoção e veneração a estes três arcanjos e considera-os poderosos intercessores dos eleitos ao trono do Altíssimo. [O SANTO DO DIA, Dom Servilio Conti, ©Vozes, 1997]

 

Para sua reflexão: Natanael deveria pertencer ao grupo dos doze Apóstolos; por isso se costuma identificar com Bartolomeu, que é referido às listas dos Sinóticos, sempre a seguir a Felipe. “Tu és o Filho de Deus...”: desde a primeira hora, evidencia-se a intenção do Evangelista de apresentar confissões de fé em Jesus. A isso conduz todo o seu Evangelho. “Por meio dos Filhos do Homem”: é a forma de apresentar Jesus como Mediador entre o Céu e a terra, ficando o Céu aberto à humanidade, numa alusão à escada, pela qual os anjos subiam e desciam, na visão de Jacó. (Bíblia dos Capuchinhos)

 

 

 

 

 

 

 

Sem Deus, nenhum bom pensamento existe. (Sêneca)