Quarta-feira, 28 de julho de 2010

Décima Sétima Semana do Tempo Comum, 1ª do Saltério (Livro III),  cor Litúrgica Verde

 

 

Hoje: Dia do Agricultor

 

Santos: Irineu (discípulo de S. Policarpo de Esmirna), Argemiro, Vicência, Leão II, Lúcia, Paulo I, Três Marias, Pápias, Bem-Aventurado Paulo Giustiniani (veneziano, monge, fundador da Ordem Companhia dos Eremitas de S. Romualdo)

 

Antífona: Deus habita em seu templo santo, reúne seus filhos em sua casa; é ele que dá força e poder a seu povo. (Sl 67, 6-7.36)

 

Oração do Dia: Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

Leitura: Jeremias (Jr 15, 10.16-21)
Se te converteres, converterei teu coração

 

10Ai de mim, minha mãe, que me geraste um homem de controvérsia, um homem em discórdia com toda a gente! Não emprestei com usura nem ninguém me emprestou, e contudo todos me almadiçoam. 16Quando encontrei tuas palavras, alimentei-me, elas se tornaram para mim uma delícia e a alegria do coração, o modo como invocar teu nome sobre mim, Senhor Deus dos exércitos.

 

17Não costumo freqüentar a roda dos folgazões e gabo-me disso; fiquei a sós, sob o influxo de tua presença e cheio de indignação. 18Por que se tomou eterna minha dor, por que não sara minha chaga maligna? Para mim te tomaste como miragem de um regato, como visão d'águas ilusórias. 19Ainda assim, isto diz-me o Senhor: "Se te converteres, converterei teu coração, para te sustentares em minha presença; se souberes separar o precioso do vil, falarás por minha boca; os outros voltarão para ti, e tu não voltarás para eles.

 

20Em favor deste povo, farei de ti uma muralha de bronze fortificada; combaterão contra ti, mas não prevalecerão, porque eu estou contigo para te salvar e te defender diz o Senhor. 21Eu te libertarei das mãos dos perversos e te salvarei dos prepotentes". Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a 1ª Leitura

Por que se tornou eterna minha dor? 

 

Jeremias exprime dramaticamente o conflito interior de todos aqueles que desempenham uma missão combatida por outros e pelas próprias dúvidas. É uma aflição desesperadora querer o bem e ser, por isto, combatido por aqueles em cujo favor se procura a salvação. Situação muito frequente hoje em dia. É o sofrimento de Jeremias e de quantos, como ele, devem anunciar a palavra de Deus, que não lisonjeia as paixões, não justifica as culpas. Jeremias, porém, não fica inerte, dialoga com Deus, interpela-o, ousa pedir-lhe contas. Tê-lo-á Deus enganado, como uma torrente em que se confiara? “Devia” malograr a missão confiada a ele por Deus? Devia ser amaldiçoado por uma obra de salvação? Que está fazendo Deus? Por que não o ampara melhor?... Desafogando a dúvida que o atormenta, Jeremias “!volta” mais completamente a Deus. Compreende que só a confiança incondicional é a “resposta” verdadeira, heroica, livre, que cumpre a missão; confiar em Deus é lealdade, é fé, liberdade provada e consciente. [Comentário Bíblico, Vol 3, Edições Loyola]]

 

 

Salmo: 58(59), 2-3.4-5a.10-11.17.18 (R/.17d)
Sois meu refúgio no dia da aflição

Libertai-me do inimigo, ó meu Deus, e protegei-me contra os meus perseguidores! Libertai-me dos obreiros da maldade, defendei-me desses homens sanguinários!

 

Eis que ficam espreitando a minha vida, poderosos armam tramas contra mim. Mas eu, Senhor, não cometi pecado ou crime.

 

Minha força é a vós que me dirijo, porque sois o meu refúgio e proteção, Deus clemente e compassivo, meu amor! Deus virá com seu amor ao meu encontro, e hei de ver meus inimigos humilhados.

 

Eu, então, hei de cantar vosso poder, e de manhã celebrarei vossa bondade, porque fostes para mim o meu abrigo, e meu refúgio no dia da aflição. Minha força, cantarei vossos louvores, porque sois o meu refúgio e proteção, Deus clemente e compassivo, meu amor!

 

Minha força, cantarei vossos louvores, porque sois o meu refúgio e proteção, Deus clemente e compassivo, meu amor!

 

 

Evangelho: Mateus (Mt 13, 44-46)
O tesouro e a pérola

 

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 44"O Reino dos Céus é como um tesouro escondido no campo. Um homem o encontra e o mantém escondido. Cheio de alegria, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquele campo.

 

45O Reino dos Céus também é como um comprador que procura pérolas preciosas. 46Quando encontra uma pérola de grande valor, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquela pérola". Palavra da Salvação!

 

 

 

Comentando o Evangelho

Decisão radical

 

A relação do discípulo com o Reino deve ser de exclusividade. Em sua vida, nada pode apresentar-se como concorrente desse Reino, pois este tem a primazia em tudo, deve ser o ponto de referência para tudo, o eixo de sua existência. E tudo isto se explica como adesão e serviço total ao Reino.


Jesus comparou a radicalidade desta opção com o gesto de um homem que, ao descobrir um tesouro escondido num campo, cheio de alegria vendeu quanto possuía e adquiriu aquele campo. Essa descoberta levou-o a redimensionar o valor de suas propriedades. A posse do tesouro justificava desfazer-se de tudo o mais.


Outro ponto de comparação foi a atitude de um comerciante de pérolas preciosas: ao encontrar uma de grande valor, decidiu desfazer-se de todos os seus bens, só para adquiri-la. A posse da pérola levou-o a dar uma reviravolta em sua vida: todas as demais pérolas que possuía, bem como outras eventuais propriedades, pouco valor tinham para ele. A posse da pérola preciosa era suficiente para fazê-lo feliz.

 

O mesmo se passa com o Reino. Ele constitui a alegria do discípulo, embora tivera de renunciar ao que antes lhe parecia precioso. Por causa do Reino, o discípulo é capaz de tomar decisões radicais.  [Evangelho Nosso de Cada Dia, Pe. Jaldemir Vitório, ©Paulinas, 1997]

 

Para sua reflexão: As duas parábolas exaltam o valor do reinado de Deus, ao qual é preciso sacrificar todos os outros valores. O homem que descobriu o tesouro descobriu o que não procurava, enquanto que aquele que procurava pérolas encontrou o que não se atrevia a imaginar. Não se entra no Reino de Deus mediante os próprios méritos, mas é um dom que se oferece e que pede uma resposta. Aos afortunados que acharam tesouros é colocado diante deles o trabalho de toda uma vida, o trabalho de ir subordinando tudo (vender todos seus bens, diz Jesus) por causa do reino. O reino se transforma no único valor absoluto para aquele que o descobre; é a maior riqueza para o seguidor de Jesus. (Novo Testamento, Ed. Estudos, Ave-Maria)

 

Santo Inocêncio

 

 

Eleito Papa em 401 e teve um pontificado de 16 anos, operoso e bastante difícil, durante o qual Roma foi invadida e saqueada pelos bárbaros visigodos. Santo Inocêncio teve ainda lutas acesas contra as heresias do tempo e precisou defender São João Crisóstomo, que fora injustamente despojado do Patriarcado de Constantinopla. Suas intervenções doutrinárias, se referem à liturgia sacramental, a reconciliação unção dos enfermos, ao batismo, à indissolubilidade do matrimônio. Com humaníssima sensibilidade ele sabia confortar a todos nos sofrimentos. Um dos trechos da carta que escreveu a são Jerônimo, recomendava-lhe paternalmente como deveria proceder. Foi sepultado no cemitério de Ponciano na via Portuense.

 

O homem comum é exigente com os outros; o homem superior é exigente consigo mesmo. (Marco Aurélio)