Quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

II Semana do Tempo Comum - Ano “C” (Ímpar) - 2ª Semana do Saltério (Livro III) - Cor Verde

 

Hoje: Dia do Farmacêutico

 

Santos do Dia: Mário (Séc.III, DC, mártir), Júlio, Germânico (156), Bassiano (413 DC, bispo, Itália), Canuto (1086, rei da Dinamarca, mártir), Wulstano (1095 DC, bispo, Inglaterra), Gumersindo (presbítero), Audifaz (mártir), Gerôncio (mártir), Germana (mártir), Pia (mártir)  

 

Antífona: Que toda a terra se prostre diante de vós, ó Deus, e cante louvores ao vosso nome. Deus altíssimo! (Sl 65,4)

 

Oração: Deus eterno e todo-poderoso, que governais o céu e a terra, escutai com bondade as preces do vosso povo e daí ao nosso tempo a vossa paz.  Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

Leitura: I Samuel (1 Sm 17, 32-33.37.40-51)
Davi se apresenta párea aceitar o desafio

 

 

Naqueles dias, 32Davi foi conduzido a Saul e lhe disse: "Ninguém desanime por causa desse filisteu! Eu, teu servo, lutarei contra ele". 33Mas Saul ponderou: "Não poderás enfrentar esse filisteu, pois tu és só ainda um jovem, e ele é um homem de guerra desde a sua mocidade".

 

37Davi respondeu: "O Senhor me livrou das garras do leão e das garras do urso. Ele me salvará também das mãos deste filisteu". Então Saul disse a Davi: "Vai, e que o Senhor esteja contigo".

 

40Em seguida, tomou o seu cajado, escolheu no regato cinco pedras bem lisas e colocou-as no seu alforje de pastor, que lhe servia de bolsa para guardar pedras. Depois, com a sua funda na mão, avançou contra o filisteu. 41Este, que se vinha aproximando mais e mais, precedido do seu escudeiro, 42quando pôde ver bem Davi, desprezou-o, porque era muito jovem, ruivo e de bela aparência. 43E lhe disse: "Sou por acaso um cão, para vires a mim com um cajado?" E o filisteu amaldiçoou Davi em nome de seus deuses. 44E acrescentou: "Vem, e eu darei a tua carne às aves do céu e aos animais da terra!"

 

45Davi respondeu: "Tu vens a mim com espada, lança e escudo; eu, porém, vou a ti em nome do Senhor todo-poderoso, o Deus dos exércitos de Israel que tu insultaste! 46Hoje mesmo, o Senhor te entregará em minhas mãos, e te abaterei e te cortarei a cabeça, e darei o teu cadáver e os cadáveres do exército dos filisteus às aves do céu e aos animais da terra, para que toda a terra saiba que há um Deus em Israel. 47E toda esta multidão de homens conhecerá que não é pela espada nem pela lança que o Senhor concede a vitória; porque o Senhor é o árbitro da guerra, e ele vos entregará em nossas mãos".

 

48Logo que o filisteu avançou e marchou em direção a Davi, este saiu das linhas de formação e correu ao encontro do filisteu. 49Davi meteu, então, a mão no alforje, apanhou uma pedra e arremessou-a com a funda, atingindo o filisteu na fronte com tanta força, que a pedra se encravou na sua testa e o gigante tombou com o rosto em terra. 50E assim Davi venceu o filisteu, ferindo-o de morte com uma funda e uma pedra. E, como não tinha espada na mão, 51correu para o filisteu, chegou junto dele, arrancou-lhe a espada da bainha e acabou de matá-lo, cortando-lhe a cabeça. Vendo morto o seu guerreiro mais valente, os filisteus fugiram. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a I Leitura

Davi venceu o filisteu, com uma funda e uma pedra

 

A vicia crista e é freqüentemente comparada com uma luta que devemos sustentar contra  o poder do mal, dentro e fora de nós. O cristão é chamado a combater pondo toda sua confiança no Senhor, "minha Rocha que adestra minhas mãos para a luta" (Salmo). É necessário conhecer com clareza o objetivo e coordenar com firmeza o trabalho em nossa vida espiritual. "Esse governo de nós mesmos custa esforço, hoje mais do que nunca. Dentro e fora de nós, a cada momento, encontramos dificuldades. E muitas vezes as dificuldades tem aspecto ambíguo, são atraentes e tentadoras. Não foi sem motivo que o Senhor inseriu na sublime oração do 'pai-nosso' a humilde súplica. 'Não nos deixeis cair em tentação', o que equivale a pedir que ele não permita que sejamos interiormente enganados pelas aparências de bem, ou que sejamos sufocados pelos obstáculos à verdadeira liberdade da reta consciência, ou ainda que, levados pelas lisonjas, acabemos cedendo à aquiescência e à experiência do mal" (Paulo VI). [MISSAL COTIDIANO, ©Paulus, 1997]

 

 

Salmo: 143(144), 1.2.9-10 (+ 1a)

Bendito seja o Senhor, meu rochedo

 

Bendito seja o Senhor, meu rochedo, que adestrou minhas mãos para a luta, e os meus dedos treinou para a guerra!

 

Ele é meu amor, meu refúgio, libertador, fortaleza e abrigo; é meu escudo: é nele que espero, ele submete as nações a meus pés.

 

Um canto novo, meu Deus, vou cantar-vos, nas dez cordas da harpa louvar-vos, a vós que dais a vitória aos reis e salvais vosso servo Davi.

 

 

Evangelho: Marcos (Mc 3, 1-6)

É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal?

 

Naquele tempo, 1Jesus entrou de novo na sinagoga. Havia ali um homem com a mão seca. 2Alguns o observavam para ver se haveria de curar em dia de sábado, para poderem acusá-lo. 3Jesus disse ao homem da mão seca: "Levanta-te e fica aqui no meio!" 4E perguntou-lhes: "É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal? Salvar uma vida ou deixá-la morrer?" Mas eles nada disseram. 5Jesus, então, olhou ao seu redor; cheio de ira e tristeza, porque eram duros de coração; e disse ao homem: "Estende a mão". Ele a estendeu e a mão ficou curada. 6Ao saírem, os fariseus com os partidários de Herodes, imediatamente tramaram, contra Jesus, a maneira como haveriam de matá-lo.Palavra da Salvação!

 

 

Cura num dia de sábado.  Leituras paralelas: Mt 12, 9-14; Lc 6, 6-11 

 

 

Comentário o Evangelho

Punição para o bem

 

É difícil de entender por que os fariseus e os herodianos combinaram uma maneira de matar Jesus, depois de tê-lo visto curar um homem cuja mão era seca. Se o indivíduo tivesse sido vitima de uma maldade, daria para compreender. Entretanto, havia recebido um beneficio e, mesmo assim, seu benfeitor foi visto com maus olhos. Por quê?

 

Tudo aconteceu por causa de um tipo de religião mal-equacionada. Religião em que certos princípios acabam se tornando tão absolutos que, diante deles, o direito à vida fica em segundo plano. Que isto acontecia com a religião de Israel não dá para entender! Ao longo da história deste povo, Deus sempre se manifestara como o Deus da vida e da libertação, jamais se mostrava indiferente ao que dizia respeito a estes dois componentes da existência humana. Seus mandamentos visavam garantir vida e liberdade para o povo. E se irava contra quem os desrespeitava.

 

Em sintonia com o Pai, o Filho foi também defensor intransigente da vida. Sempre que estava ameaçada, aí estava ele para recuperá-la. Mesmo sendo dia de sábado, não se recusava a agir, quando se tratava de fazer o bem.

 

Os fariseus não abriam mão de sua visão desumana da religião. E quando se defrontaram com Jesus curando em dia de sábado, não hesitaram em puni-lo com a morte, num flagrante contraste com o modo divino de agir.(O EVANGELHO DO DIA, Ano “A”. Jaldemir Vitório. ©Paulinas, 1997)  [O EVANGELHO DO DIA, Ano “A”. Jaldemir Vitório. ©Paulinas, 1997]

 

São Sebastião

 

São Sebastião morreu 50 anos mais tarde, na perseguição de Diocleciano. Sua figura de mártir cravado de flechas  foi imortalizada pelos artistas da Renascença.

 

Sebastião prestou seu serviço militar em Milão e, por sua fidelidade e valor, foi nomeado capitão da primeira coorte da guarda pretoriana, isto é, do próprio imperador. Aproveitava desta sua posição para melhor proteger e confortar os cristãos, quando denunciados ou condenados à morte.

 

Identificado ele mesmo como cristão e denunciado ao imperador Diocleciano, foi detido e forçado a abjurar sua fé. O imperador, que muito estimava Sebastião, recorreu tanto a promessas como a ameaças para conseguir do seu alto oficial que abandonasse a fé. Todas as argumentações e tentativas de Diocleciano esbarraram numa vontade inflexível do militar.

 

Destituído então de sua função de oficial, foi entregue a um pelotão de soldados que o despiram, amarraram a uma árvore, alvejaram-no com flechas e o abandonaram, julgando-o morto. Alta noite, chegou Irene, mulher do mártir Cástulo, ao lugar da execução para retirar o corpo do mártir e dar-lhe a sepultura. Com grande admiração, encontrou-o ainda com vida. Sem demora, tomou providências para que o mártir fosse levado para sua casa onde tratou dele com muito desvelo.

 

Apenas restabelecido, Sebastião, cheio de coragem, procurou o imperador para reprovar sua iniqüidade praticada contra pessoas inocentes como eram os cristãos. Outra vez condenado à morte, veio a falecer entre os tormentos de pauladas e boladas de chumbo. Era o ano de 303.

 

Seu culto é muito antigo e bastante popular (é padroeiro de inúmeras igrejas e capelas esparramadas pelo Brasil, inclusive da cidade do Rio de Janeiro). Os pormenores de seu martírio, porém, só chegaram até nós por uma fonte bastante tardia.

 

Sobre o lugar de sua sepultura foi levantada uma maravilhosa basílica que perpetua sua memória e propõe seu exemplo de herói.

 

O grande bispo de Milão, Santo Ambrósio, em memorável discurso, teceu os melhores elogios a este santo.

 

Dia do Farmacêutico

O farmacêutico estuda os remédios, cosméticos e alimentos industrializados de modo a garantir sua eficácia e segurança na produção e utilização pelo consumidor. Pode atuar na pesquisa, produção e distribuição dos mesmos, sendo obrigatório o registro no Conselho Regional de Farmácia.

 

No Brasil, a atividade profissional está sob a jurisdição do Conselho Federal de Farmácia, que regulamenta seu exercício, com base na Lei 3.820, assinada em 11 de novembro de 1960, pelo Presidente Juscelino Kubitschek.

 

O profissional de farmácia deve testar as substâncias, sejam as utilizadas em remédios, alimentos ou em artigos de perfumaria, para saber de que modo reagem no organismo humano. A ele cabe também registrar as novas drogas e verificar se, porventura, os produtos chegam contaminados, alterados ou fora dos padrões ao consumidor final. No setor farmacêutico, pode atuar na indústria ou no comércio. Na primeira, pesquisa e testa princípios ativos (que serão usados em medicamentos) e a aplicação de novas drogas. Na segunda, controla a venda de remédios nas farmácias, drogarias, hospitais e postos de saúde. Há ainda a farmácia de manipulação, onde administra a preparação de remédios e fórmulas individualizadas, conforme prescrição médica. Em cosmetologia, formula cosméticos e produtos higiênicos, além de controlar sua qualidade. E no setor alimentício, pode implantar novos métodos de processamento de alimentos em indústrias, bem como fiscalizar com que rigor são produzidos. [IBGE]

 

Pessimista é aquela pessoa que reclama do barulho enquanto a

oportunidade bate à porta. (Michel Levine)

 

Não há nada impossível, porque os sonhos de ontem são as esperanças

 de hoje e podem converter-se em realidade amanhã (Anônimo)