Quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Primeira Semana do Tempo Comum, Ano Ímpar, 1ª Semana do Saltério, Livro III, cor Verde

 

Santos: Antônio Maria Pucci (presbítero), Arcádio da Mauritânia (mártir), Bento Biscop (abade), Cesária de Arles (abadessa), João de Ravena (bispo), Martinho de León (agostiniano), Probo de Verona (bispo), Satiro da Acaia (mártir), Tatiana de Roma (mártir), Tígrio e Eutrópio (mártires de Constantinopla), Vitoriano de Asan (abade), Zótico, Rogato, Modesto, Catulo e Companheiros (mártires da África), Bernardo de Corleone (capuchinho, bem-aventurado), João Gaspar Cratz, Manuel d'Abreu, Bartolomeu Alvarez e Vicente da Cunha (jesuítas, mártires do Vietnam, bem-aventurados), Margarida Bourgeoys (virgem, fundadora da Congregação das Irmãs de Nossa Senhora, bem-aventurada), Pedro Francisco Jamet (presbítero, bem-aventurado)

 

Antífona: Ergamos os nossos olhos para aquele que tem o céu como trono; a multidão dos anjos o adora, cantando a uma só voz: Eis aquele cujo poder é eterno.

 

Oração: Ó Deus, atendei como pai às preces do vosso povo; dai-nos a compreensão dos nossos deveres e a força de cumpri-los. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

Leitura: Hebreus (Hb 2, 14-18)

Cristo fez-se solidário com a realidade humana

 

14Visto que os filhos têm em comum a carne e o sangue, também Jesus participou da mesma condição, para assim destruir, com a sua morte, aquele que tinha o poder da morte, isto é, o diabo, 15e libertar os que, por medo da morte, estavam a vida toda sujeitos à escravidão. 16Pois, afinal, não veio ocupar-se com os anjos, mas com a descendência de Abraão. 17Por isso devia fazer-se em tudo semelhante aos irmãos, para se tornar um sumo sacerdote misericordioso e digno de confiança nas coisas referentes a Deus, a fim de expiar os pecados do povo. 18Pois, tendo ele próprio sofrido ao ser tentado, é capaz de socorrer os que agora sofrem a tentação. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a I Leitura

Devia fazer-se em tudo semelhante aos irmãos

 

Cristo é o sumo sacerdote para a expiação dos pecados. Esse “povo”, em favor do qual Cristo exerceu o sumo sacerdócio com sua morte e sua vitória sobre a morte, somos nós. Não estamos mais mortos, porque Cristo ressuscitou; já não somos fracos, porque Cristo é forte; já não tememos o inimigo, porque Cristo é o vencedor.

 

Entretanto, não podemos esquecer nossa triste experiência. A nossa história, talvez a que somente nós conhecemos, fala de fraqueza, infidelidade, covardia, capitulação diante do inimigo: fala de pecado. Existe um ele misterioso entre o poder de Cristo sobre o pecado e a nossa colaboração: a salvação, não apenas a final, mas também a da minha existência de hoje, está ligada ao mistério da mão de Cristo, continuamente estendida para nós, e à nossa vontade, que poderia também recusar-se a apertar essa mão salvadora. [MISSAL COTIDIANO, ©Paulus, 1997]

 

 

Salmo: 104 (105), 1-2.3-4.6-7.8-9 (R/.8a)

O Senhor se lembra sempre da aliança

 

1Dai graças ao Senhor, gritai seu nome, anunciai entre as nações seus grandes feitos! 2Cantai, entoai salmos para ele, publicai todas as suas maravilhas!

 

3Gloriai-vos em seu nome que é santo, exulte o coração que busca a Deus! 4Procurai o Senhor Deus e seu poder, buscai constantemente a sua face!


6Descendentes de Abraão, seu servidor, e filhos de Jacó, seu escolhido, 7ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus, vigoram suas leis em toda a terra.


8Ele sempre se recorda da aliança, promulgada a incontáveis gerações; 9da aliança que ele fez com Abraão, e do seu santo juramento a Isaac

 

Evangelho: Marcos (Mc 1, 29-39)

Curou muitas pessoas de diversas doenças

 

Naquele tempo, 29Jesus saiu da sinagoga e foi, com Tiago e João, para a casa de Simão e André. 30A sogra de Simão estava de cama, com febre, e eles logo contaram a Jesus. 31E ele se aproximou, segurou sua mão e ajudou-a a levantar-se. Então, a febre desapareceu; e ela começou a servi-los. 32À tarde, depois do pôr do sol, levaram a Jesus todos os doentes e os possuídos pelo demônio. 33A cidade inteira se reuniu em frente da casa.


34Jesus curou muitas pessoas de diversas doenças e expulsou muitos demônios. E não deixava que os demônios falassem, pois sabiam quem ele era. 35De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus se levantou e foi rezar num lugar deserto. 36Simão e seus companheiros foram à procura de Jesus. 37Quando o encontraram, disseram: “Todos estão te procurando”. 38Jesus respondeu: “Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! Devo pregar também ali, pois foi para isso que eu vim”. 39E andava por toda a Galiléia, pregando em suas sinagogas e expulsando os demônios. Palavra da Salvação!

 

Leituras paralelas recomendadas: Mt 8,14-17.23; Lc 4,38-44

 

Comentário do Evangelho

E pôs-se a servi-los

 

O gesto da sogra de Pedro, após ter sido curada, chama a atenção para um aspecto, às vezes negligenciado por quem foi objeto da misericórdia de Jesus. Como retribuir o benefício recebido, de forma a manifestar gratidão? Colocando-se a serviço do próximo. Não existe maneira melhor de mostrar-se grato ao Senhor.


Seria pura ingratidão se alguém, que foi libertado ou curado de algum mal, levasse uma vida egoísta, pensando só em si mesmo. Os gestos de Jesus traziam a marca do amor, de alguém que estava voltado para as necessidades e carências do próximo. Por isso, estava sempre pronto a servir quem quer que fosse. As multidões procuravam-no, trazendo seus doentes e gente possuída pelo demônio. A ninguém ele despedia, sem antes libertá-los de seus males.


Esta disposição de Jesus é uma lição de vida. A sogra de Pedro parece tê-la aprendido. Assim que se viu livre da febre, a qual poderia vir a ser fatal, pôs-se a servir Jesus e os discípulos que o acompanhavam. Servi-los, significou vir ao encontro de suas necessidades de missionários, cansados por causa das suas peregrinações por cidades e aldeias. Significou matar-lhes a fome, providenciar-lhes repouso, fazê-los recuperar as forças para continuar a missão. Esta foi a maneira concreta que ela encontrou para retribuir a graça recebida. [O EVANGELHO NOSSO DE CADA DIA, Ano A,  ©Paulinas, 1997]

 

 

Oração da assembleia (Liturgia Diária, Paulus)

Abençoai, Senhor, os doentes, para que possam superar as dificuldades que enfrentam. Ouvi-nos, Senhor.

Fortalecei-nos, para sermos misericordiosos com os irmãos e dignos da vossa confiança.

Santificai nossa comunidade, para que, com o esforço de todos, cresça cada vez mais.

Tornai-nos atentos aos vossos chamados e perseverantes na missão.

Alegrai as famílias, para que, no conforto do lar, glorifiquem a vós e valorizem a vida.

(Outras intenções)

 

Oração sobre as Oferendas:

Possa agradar-vos, ó Deus, a oferenda do vosso povo; que ela nos obtenha a santificação e o que confiantes vos pedimos. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Antífona da comunhão:

Eu vim para que tenham a vida e a tenham cada vez mais, diz o Senhor. (Jo 10,10)

 

Depois da Comunhão:

Deus todo-poderoso, que refazeis as nossas forças pelos vossos sacramentos, nós suplicamos a graça de vos servir por uma vida que vos agrade. Por Cristo, nosso Senhor.

 

São Tomás de Córi

 

Este santo é especialmente reconhecido pela Igreja Católica já que restaurou os templos dos Santos Lugares em Jerusalém, depois do terrível destroço que fizeram ali os persas.

 

No ano 600 o rei persa Cosroes, pagão e inimigo da religião católica invadiu a Terra Santa na Palestina, e ajudado pelos judeus e samaritanos foi destruindo e queimando sistematicamente todo o católico: templos, casa religiosas, altares, etc. Mandou matar a milhares de cristãos em Jerusalém, a muitos outros os vendeu como escravos e, a outros, desterrou-os sem piedade. Um deles foi o Arcebispo de Jerusalém, São Zacarias, e foi São Modesto superior de um dos conventos da Terra Santa que Deus chamaria para reconstruir os templos. Heráclito, o novo governante, conseguiu afastar aos persas da cidade, situação que o santo aproveitou para começar o projeto de reconstrução, para o que contou com a ajuda de suas monges a recolher.

 

O primeiro que reconstruiu foi o templo do Santo Sepulcro, e em seguida o do Getsemani ou o Horto das Oliveiras e a Casa da Última Ceia, ou Cenáculo.

 

O Arcebispo Zacarias tinha morrido no desterro, e o imperador Heráclito nomeou como sucessor de este a São Modesto. Nomeou-o Patriarca Arcebispo de Jerusalém, sendo uma eleição muito oportuna, porque então sim teve facilidade para dedicar-se a reconstruir as centenas de templos e demais lugares Santos destruídos pelos bárbaros. Modesto continuou incansável seu trabalho de reconstruir templos, conseguir contribuições e inspecionar os trabalhos nos diversos sítios.

 

Morreu em 18 de dezembro enquanto levava um valioso carregamento de ajuda para a restauração dos Santos lugares, foi envenenado por uns perversos para poder lhe roubar os tesouros que levava. [ACI DIGITAL]

 

 

Causa repulsa

 

Dom Aldo Pagotto, Arcebispo Metropolitano da Paraíba

 

Parlamentares aumentam em 61,3% os próprios salários. Ato lícito segundo leis corporativistas que eles mesmos elaboram e aprovam. Ato repulsivo, se analisado pelo viés ético da sensibilidade concidadã. Com efeito, tal atitude demonstra ausência de sensibilidade ante a situação da maioria do povo brasileiro em busca de melhores oportunidades para se qualificar e conquistar trabalho e renda condigna.

 

O ato parlamentar é “pra lamentar”, como se expressou ironicamente Dom Edmilson Cruz, Bispo Emérito de Limoeiro do Norte, de 86 anos. Convidado pelo Senado para receber a comenda “Direitos Humanos Dom Hélder Câmara”, recusou-se a recebê-la. Durante a cerimônia de entrega do prêmio, protestou veementemente contra o aumento abusivo. Sua honra está acima de certas lisonjas, aliás, nem sempre sinceras e autênticas.

 

Seguiu-se ao protesto do Bispo a mobilização de organizações sociais, deflagrando a campanha de coleta de assinaturas, cujo objetivo é a apresentação de um anteprojeto de lei de iniciativa popular, modificando os dispositivos da Constituição, vinculando eventuais aumentos de salário dos congressistas à variação do salário mínimo vigente.

 

Aqui vão algumas expressões (em forma abreviada) de Dom Edmilson: “a honrosa condecoração dos pais da pátria, como chamavam os Romanos: ‘Patres Conscripti’, faz-me refletir. Precatórios arrastam-se por décadas. Aposentados idosos com aposentadorias reduzidas. Salários mínimos crescendo em ritmo de lesma. Motoristas de ônibus do transporte urbano de Fortaleza, após três meses de reivindicações e greves, pedem aumento de 26% e conseguem pouco mais de 6%. Casos de pacientes que morrem de esperar tratamento de doença grave (câncer) marcado para um e até para dois anos após a consulta”.

 

“Neste momento o Congresso Nacional aprova o aumento de 61% de honorários de parlamentares. Em poucos minutos chegam à decisão que resulta em efeito cascata e se impõe ao povo brasileiro. Quem assim procede não é parlamentar, é para lamentar. Nelson Mandela eleito presidente da república reduziu em 50% o valor dos seus honorários”.

 

“A condecoração outorgada não representa a pessoa de Dom Helder Câmara. Desfigura-a. Só me resta a atitude de recusá-la! Ela é um atentado, uma afronta ao povo brasileiro, ao cidadão contribuinte, para o bem de todos com o suor de seu rosto e a dignidade do seu trabalho. Se eu aceitar, procedo contra os direitos humanos”.

 

“O aumento a ser ajustado deveria guardar a proporção de aumento do salário mínimo e aposentadoria e isto não acontece. O que acontece é um atentado contra os direitos humanos do nosso povo”.

 

À atitude insana dos deputados federais segue-se outro aumento de salários de deputados estaduais e vereadores, em efeito cascata. O site www.nossalei.com.br ilustra a mobilização de alguns segmentos sociais pleiteando o anteprojeto de lei a ser debatido e votado no Congresso Nacional.

 

A propósito, quais são os critérios para o reajuste de salários de parlamentares? O salário mínimo recebe reajustes acima da inflação?

 

Amar é acolher, é compreender, é fazer o outro crescer. (Zilda Arns Neumann)