Quarta-feira, 7 de julho de 2010

Décima Quarta Semana do Tempo Comum, Ano Par, 2ª do Saltério (Livro III),  cor Verde

 

 

Santos: Vilibaldo (filho de S. Ricardo, rei dos ingleses), Ilídio, Félix de Nantes, Panteno (fundador a Escola de Alexandria), Alírio (bispo, Auvergne), Etelburga (Inglaterra), Edo (bispo de Winchester, Inglaterra), Odo (Espanha) Bento XI (mestre geral dos dominicanos e papa)

 

Antífona: Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. Vosso louvor se estenda, como o vosso nome, até os confins da terra; toda a justiça se encontra em vossas mãos. (Sl 47, 10-11)

 

Oração: O Deus, que, pela humilhação do vosso Filho, reerguestes o mundo decaído, enchei os vossos filhos e filhas de santa alegria, e dai aos que libertastes da escravidão do pecado o gozo das alegrias eternas.. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

 

Leitura: Profecia de Oséias (Os 10, 1-3.7-8.12) 

Semeai justiça entre vós e colhereis amor

 

1Israel era uma vinha exuberante e dava frutos para seu consumo; na medida de sua produção erguia os numerosos altares; na medida da fertilidade da terra, embelezava seus ídolos.

 

2Com o coração dividido, deve agora receber castigo; o Senhor mesmo derrubará seus altares, destruirá os seus simulacros. 3Decerto, dirão agora: "Não temos rei; não temos medo do Senhor. Que poderia o rei fazer por nós?" 7Samaria está liquidada, seu rei vai flutuando como palha em cima da água. 8Será desmantelada a idolatria dos lugares altos, pecado de Israel; ali crescerão espinhos e abrolhos sobre seus altares; então se dirá aos montes: "Cobri-nos!" e às colinas: "Caí sobre nós!"

 

12Semeai justiça entre vós, e colhereis amor; desbravai uma roça nova. E tempo de procurar o Senhor, até que ele venha e derrame a justiça em vós. Palavra do Senhor!

 

 

Comentando a 1ª Leitura

É tempo de procurar o Senhor

 

O profeta prevê o que ainda é ameaça: “Será desmantelada a idolatria dos lugares altos”. Vale dizer que tudo isso acontecerá sem remissão. Se o povo hebreu era pouco sensível às ameaças e devia experimentar diretamente os efeitos de sues pecados, ainda menos o é o mundo moderno. O mundo faz pouco caso de Deus, para construir seu próprio futuro; chega até a proclamar de diversos modelos a morte de Deus. Mas a história, antiga e recente, diz ser isto uma estupidez. Deus quer que o homem trabalhe na construção da cidade terrena; integra o seu plano.  Mas quer também que não esqueça a sábia palavra do Salmo: “Se o Senhor não edifica a casa, em vão se esforçam os que a constroem” (Sl 126, 1). Deveriam lembrar-se disto particularmente os jovens que se preparam para fundar uma nova família. Deus dará força a suas energias, Deus sustentará o seu amor, se lhe for dado o lugar que lhe compete à nova mesa. [[Missal Cotdiano, ©Paulus, 1997]

 

 

Salmo: 104(105), 2-3.4-5.6-7 (R/.4b) 
Buscai constantemente a face do Senhor!

 

Cantai, entoai salmos para ele, publicai todas as suas maravilhas! Gloriai-vos em seu nome que é santo, exulte o coração que busca a Deus!

 

Procurai o Senhor Deus e seu poder, buscai constantemente a sua face! Lembrai as maravilhas que ele fez, seus prodígios e as palavras de seus lábios!

 

Descendentes de Abraão, seu servidor, e filhos de Jacó, seu escolhido, ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus, vigoram suas leis em toda a terra.

Evangelho: Mateus (Mt 10, 1-7)
O Reino dos céus está próximo

 

Naquele tempo, 1Jesus chamou os doze discípulos e deu-lhes poder de expulsar os espíritos maus e de curar todo tipo de doença e enfermidade. 2Estes São os nomes dos doze apóstolos: primeiro, Simão chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João; 3Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; 4Simão, o Zelota, e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus.

 

5Jesus enviou estes doze, com as seguintes recomendações: "Não deveis ir aonde moram os pagãos, nem entrar nas cidades dos samaritanos! 6Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! 7Em vosso caminho, anunciai: 'O Reino dos Céus está próximo'" Palavra da Salvação!

 

Leituras paralelas: Mc 3, 13-19; Lc 6, 12-16; Jo 1, 40-49; At 1,13

 

 

Comentando o Evangelho

O novo Israel

 

O número doze, relativo aos primeiros apóstolos, não é casual. Ele se reveste de uma rica simbologia, cara ao mundo judaico, por evocar as antigas doze tribos de Israel, e chamar a atenção para o novo Israel que estava para nascer.


Os doze apóstolos seriam o germe do Israel escatológico, sem qualquer limite de raça, povo, língua, cultura ou nação. Deixando de lado a Lei mosaica, doravante este novo povo pautaria sua vida pelos valores do Reino dos Céus, explicitados no Sermão da Montanha.
O novo Israel nasceu sob o signo do serviço à vida. Ao ser chamado, foi-lhe dada como tarefa: expulsar os espíritos impuros e curar toda sorte de doença e enfermidade. Por conseguinte, deveria eliminar tudo quanto põe em risco a vida, ou a debilita, de forma que a humanidade seja reabilitada.


Essa nova humanidade era constituída por pessoas com os caracteres mais diversos. Quanta diferença entre Pedro e Judas Iscariotes, entre Filipe e Tomé! Mesmo assim foram convocados para formar uma comunidade solidária e fraterna, em torno do Mestre, pronta a entregar-se ao serviço da evangelização da humanidade.


Jesus sabia muito bem o que queria, quando constituiu seu grupo de auxiliares diretos. [Evangelho Nosso de Cada Dia, Pe. Jaldemir Vitório, ©Paulinas, 1997]

 

Para sua reflexão: Apóstolo significa “enviado”, representante. O número 12 corresponde ao número das tribos de Israel pondo em relevo a continuidade e a diversidade do novo com o antigo Povo de Deus. São quatro as listas dos nomes dos Apóstolos, com algumas divergências na ordem de sucessão e na identificação de um ou outro nome. Enviar está na raiz da palavra “apóstolo”. Jesus faz dos Doze os seus enviados oficiais, com poderes iguais aos seus. Tal como Ele foi enviado pelo Pai. A restrição relativa aos samaritanos faz-se eco da separação profunda que existia entre eles e os judeus; tinham templo próprio no monte Garizim e, desde a queda da Samaria em 721 a.C. eram vistos como semi-pagãos. Jesus pôs em causa tal separação que foi suprimida depois da sua ressurreição. Por fim, no v.10 os rabinos tinham o direito de viver das ofertas dos seus discípulos, uma espécie de salário. (Bíblia dos Capuchinhos). Você considera-se um apóstolo do Senhor? O que está fazendo de útil para o Reino? Evangelizando sua família, seus irmãos do trabalho, seus vizinhos! Sentiu a responsabilidade de ser “enviado” de Jesus!

 

Santa Maria Goretti

 

 

 

São Vilibaldo (Guilhebaldo, ou ainda Willibrord), era filho de São Ricardo, rei dos saxões. Segundo a tradição, sua mãe, Winna, era irmã de São Bonifácio, apóstolo da Alemanha. São Vilibaldo foi educado na abadia de Waldreim. Acompanhou o pai e o irmão Vinebaldo numa peregrinação à Roma. Seu pai, que não queria tal ideal para filho, antes de são Vibaldo partir para Roma, morreu em Lucca, Itália. De Roma, São Vilibaldo partiu para a Terra Santa e ali permaneceu sete anos. Por volta de 728, retornou à Itália, entrando para um mosteiro beneditino, mosteiro de Monte Cassino, onde exerceu o cargo de porteiro. Em 738 foi enviado à Roma, a serviço da Ordem, onde se encontrou com Bonifácio, o apóstolo da Alemanha. Seu tio, são Bonifácio, o apóstolo da Alemanha convidou-o para trabalhar com ele, como sacerdote. Este o levou consigo para a Alemanha, onde foi ordenado Sacerdote, e 15 anos mais tarde sagrou-o bispo de Eichstadt. Fundou um mosteiro ao estilo do de Monte-Cassino e presidiu a vários concílios alemães. Morreu provavelmente no ano 790.

 

Sê bom. Mas ao coração, prudência e cautela ajunta. Quem

todo mel se unta, os ursos lamberão. (Mário Quintana)