Mc 4, 2-9: A parábola do Semeador

2Ensinava-lhes muitas coisas em parábolas.  Em seu ensinamento, Jesus dizia: 3“Escutai: O semeador saiu a semear. 4Ao semear, uma parte caiu à beira do caminho. Vieram os pássaros e a comeram. 5Outra parte caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra, e logo germinou porque a terra não era profunda. 6Mas, quando o sol se levantou, ficou queimada e, como não tinha raízes, secou. 7Outra parte caiu no meio dos espinhos; os espinhos cresceram, sufocaram-na e ela não deu fruto. 8Outra parte, finalmente, caiu em terra boa e, depois de crescer e se desenvolver, deu fruto; alguns grãos renderam trinta, outros sessenta e outros cem”. 9E Jesus dizia: “Quem tiver ouvidos para ouvir, que ouça!”

 

Lc 8, 4-8: A parábola do semeador.

4Havia-se reunido uma grande multidão, pessoas que vinham a ele de várias cidades. Ele lhes falou, então, através de parábola: 5“O semeador saiu a semear a sua semente. Ao semear, uma parte caiu à beira do caminho. Foi pisoteada e as aves do céu a comeram. 6Outra caiu sobre as pedras e, depois de nascer, secou por falta de umidade. 7Outra parte caiu em meio aos espinhos; os espinhos cresceram com ela e a sufocaram. 8Outra parte caiu em terra boa e, nascendo, deu fruto cem por um”. Dizendo isso, Jesus falou com voz forte: “Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça”.

 

Lc 8, 9-10: A razão das parábolas.

9Os discípulos lhe perguntaram o significado daquela parábola. 10E ele respondeu: “A vós foi dado conhecer os mistérios do reino de Deus; aos outros, só em parábolas, de maneira que, olhando, não enxerguem e, ouvindo, não compreendam.

 

Lc 8, 11-15: Explicação da parábola.

11Este é o sentido da parábola: A semente é a palavra de Deus. 12Os que estão à beira do caminho são os que ouvem, mas em seguida vem o diabo e lhes tira do coração a palavra, para que não creiam nem se salvem. 13Os que estão sobre as pedras são os que ouvem e recebem a palavra com alegria, mas não têm raízes; creem por algum tempo e no momento da tentação desistem. 14O que cai entre espinhos são aqueles que ouvem a palavra. Mas depois acabam se afogando nos cuidados, na riqueza e nos prazeres da vida, e não chegam a amadurecer. 15O que cai em terra boa são aqueles que, ouvindo com coração generoso e bom, retêm a palavra e dão fruto na perseverança.

 

Parábola

É o desenvolvimento de uma comparação de dois termos, resultando numa narrativa. Por exemplo, a comparação “A palavra de Deus é como a semente” foi desenvolvida na parábola do semeador. A parábola é uma historieta inventada, mas baseada em fatos corriqueiros da vida. Como na comparação, assim também na parábola os termos devem ser tomados no sentido próprio. Na parábola, porém, o confronto não se verifica entre dois termos, e sim entre duas situações. É desse confronto que se deve tirar o ensinamento, fim principal da parábola.

 

Parábolas de Jesus:

- Administrador infiel: Lc 16,1-13.

- Amigo importuno: Lc 11,5-8.

- Avarento insensato: Lc 12,16-21.

- Bodas do filho do rei: Mt 22,1-14.

- Bom Pastor: Jo 10,1-16.

- Bom samaritano: Lc 10,30-37.

- Casa sobre rocha: Mt 7,24-27; Lc 6,47-49.

- Cem moedas de prata: Lc 19,11-26.

- Dez virgens: Mt 25,1-13.

- Dois devedores: Lc 7,41s.

- Fariseu e o cobrador de impostos: Lc 18,9-14.

- Fermento: Mt 13,33; Lc 13,20s.

- Figueira estéril: Lc 13,6-9.

- Filho fingido: Mt 21,28-32.

- Filho pródigo: Lc 15,11-32.

- Grande ceia: Lc 14,16-24.

- Grão de mostarda: Mt 13,31s; Mc 4,30-32; Lc 13,18-21.

- Grão de trigo: Jo 12,24.

- Joio entre o trigo: Mt 13,24-30.36-43.

- Juiz iníquo: Lc 18,1-8.

- Lavradores homicidas: Mt 21,33-46; Mc 12,1-12; Lc 20,9-19.

- Moeda perdida: Lc 15,8-10.

- Ovelha extraviada: Mt 18,12-14; Lc 15,1-7.

- Pai de família: Mt 13,52.

- Pérola preciosa: Mt 13,45s.

- Rede de pesca: Mt 13,47-50.

- Rei que vai guerrear: Lc 14,31-33.

- Rico avarento e o pobre Lázaro: Lc 16,19-31.

- Roupa velha: Mt 9,16; Mc 2,21; Lc 5,36.

- Semeador: Mt 13,1-9.18-23; Mc 4,3-20; Lc 8,4-15.

- Semente que cresce: Mc 4,26-29.

- Servo cruel: Mt 18,23-35.

- Servos inúteis: Lc 17,7-10.

- Servos vigilantes: Mt 24,42-51; Lc 12,35-48.

- Talentos: Mt 25,14-30.

- Tesouro no campo: Mt 13,44.

- Torre a ser construída: Lc 14,28-30.

- Trabalhadores na vinha: Mt 20,1-16.

- Videira e ramos: Jo 15,1-8.

- Vinho novo: Mt 9,17; Mc 2,22; Lc 5,37-39.

 

Fonte: Bíblia Sagrada em CD-ROM, Vozes/SEAFOX, 1996