Quinta Parte
DEUTERENÔMIO
A Aliança Corporificada

5.31. O Deuteronômio e o Novo Testamento

Os lugares comuns, que mais se acentuam no Deuteronômio são: a Libertação do Egito, as várias Sedições e Apostasias, verdadeiras Tentações pelas quais passou Israel no Deserto, e a insistente Promessa de "Felicidade" e "Bênçãos" na Terra Prometida, "terra onde flui o leite e o mel". Eram vinculados indestacavelmente ao cumprimento das exigências da Aliança, expressas pelos Mandamentos de Iahweh, a cuja obediência e fidelidade se comprometeu livremente, fiel que se manteve aos desejos dos Patriarcas, seus antepassados. É aqui em Deuteronômio que a "felicidade" é anunciada, pela modificação feita no Decálogo do Sinai (Ex 20,12), quando apresentado por Moisés em Moab (Dt 5,16):

Ex 20,12 (SINAI)

Dt 5,16 (MOAB)

DIFERENÇA

12 Honra teu pai e tua mãe,

16 Honra a teu pai e a tua mãe, como Iahweh, teu Deus, te ordenou,

 

para que se prolonguem os teus dias

para que se prolonguem os teus dias e para que te vá bem

"... e para que te vá bem..." - esta expressão com a conotação de "felicidade", como um acréscimo à vida longa, repetir-se-á durante a narrativa (Dt 5,16.29.33 / 6,18.24 / 8,3-5.16 etc.).

na terra que Iahweh, teu Deus, te dá.

na terra que Iahweh, teu Deus, te dá.

 

Essa "Teologia do Deuteronômio", da "felicidade" ou "bem estar", coroando toda a Obra da Aliança com a conquista de Canaã, vai se projetar em toda a Terra Prometida, como uma fruição abençoada na "terra onde flui o leite e o mel". Porém, tudo aquilo que Moisés advertiu, vai acontecer, num quadro de "Tentações" a Israel, para se desviar de Iahweh em busca de Glórias Humanas, perturbando a consumação histórica e a plenitude da "Promessa". Somente com Jesus, o Messias, o Ungido, o Cristo, é que essa Promessa vai se "cumprir", vinculando-se ainda aos Mandamentos, tal como Ele mesmo diz:

"17 Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir.18 Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.19 Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.20 Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus, jamais entrareis no reino dos céus." (Mt 5,17-20).

Essa consumação transparece na pregação dos primórdios e na narrativa dos Evangelhos, no mesmo esquema em "figura", da "felicidade" na "Terra Prometida". Enquanto essa "felicidade" será expressa com o termo neo testamentário de "Bem Aventurança", a "Terra Prometida" o será com o de "Reino dos Céus". E, o anúncio vai se concretizar quando, após o Batismo de João (At 10,37-38), ao partir para a Vida Pública, Jesus se liberta das Glórias Humanas no Deserto, resistindo às Tentações, tal como Israel nas várias sedições e apostasias superadas. Nessa Tentação, Jesus significativamente rejeita as insinuações que Lhe oferece Satanás, de Glória Humana, com parte das instruções de Moisés no Deserto (cfr. Dt 8,3 / Dt 6,16 / Dt 6,13):

"1 A seguir, foi Jesus levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo.2 E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome.3 Então, o tentador, aproximando-se, lhe disse: Se és Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães.4 Jesus, porém, respondeu: Está escrito: "Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus" [cfr. Dt 8,3].5 Então, o diabo o levou à Cidade Santa, colocou-o sobre o pináculo do templo6 e lhe disse: Se és Filho de Deus, atira-te abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem; e: Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra.7 Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: "Não tentarás o Senhor, teu Deus" [cfr. Dt 6,16].8 Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles9 e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.10 Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: "Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto"[cfr. Dt 6,13].11 Com isto, o deixou o diabo, e eis que vieram anjos e o serviram." (Mt 4,1-11 / Lc 4,1-13).

Após essa narrativa, os Evangelistas se bipartem: um, Mateus (Mt 4-7), vai evocar Moisés com as Leis da Aliança no "Monte" Sinai, e dispõe Jesus também num "Monte" (Mt 5,1), com as Bem Aventuranças e o Sermão da Montanha (Mt 5,1-7,28), regras de felicidade no Reino dos Céus, que Jesus proclama. Por sua vez, o outro, Lucas, apresenta as mesmas Bem Aventuranças num "lugar plano" (Lc 6,17) evocando a mesma Aliança então ratificada nas "Planícies de Moab" (Dt 28,69), dividindo-as em "Bênçãos e Maldições" (Lc 6,20-22 / Lc 6,22-26), tal com em Deuteronômio (Dt 28,1-14 / Dt 28,15-68), prosseguindo com as regras de bem viver de Cristo (Lc 6,27-49).


BIBLIOGRAFIA

  1. BALLARINI, P. Teodorico, OFM Cap. - Introdução à Bíblia. Dir. Geral: Vols. I a III/2, VOZES.

  2. PIROT, Louis et CLAMER, Albert, Sous la Direcion de - La Sainte Bible. Commentaire Exégétique et Théologique, Tomes I, II, III, IV, V, VII, VIII, IX, X, XI, XII., Paris.

  3. CHAMPLIN, Russell Norman - O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo, 3 vols., Millenium.

  4. MACHENZIE, John L., - Dicionário Bíblico, Edições Paulinas..

  5. BOVER, José Maria y O’CALLAGHAN, José - Nuevo Testamento Trilingüe, BAC, Madrid.

  6. RIENECKER Fritz /Cleon Rogers - Chave Lingüística do N. Testamento Grego, Vida Nova.

  7. KAISER, Walter C., Jr - Teologia do Antigo Testamento, Vida Nova.

  8. KIDNER, Derek - Gênesis, Introdução e Comentário. Mundo Cristão, Série Cultura Bíblica.

  9. FOHRER, Sellin - Introdução ao Antigo Testamento, 2 vols., Paulinas.

  10. ORCHARD, B. e outros - Verbum Dei, Comentario a la Sagrada Escritura, 4 vols., Herder.

  11. FEUILLET, Robert - Introdução à Bíblia, 5 vols., Herder (SP).

  12. SANTOS, Bento Silva, OSB - Teologia do Evangelho de São João -.

  13. DODD, C. H.. - A Interpretação do Quarto Evangelho, Paulinas

  14. MATEOS, Juan e Juan Barreto - O Evangelho de São João.

  15. BENOIT, P. & M. -E. Boismard - Synopse des Quatre Évangiles:

  16. Tome I - Textes

    Tome II - ["Como se formaram os Evangelhos"]

    Tome III - L’Évangile de Jean

  1. DE LA CROIX, Paul-Marie - O Antigo Testamento, Fonte de Vida Espiritual.

  2. DURRWELL, François-Xavier - O PAI: Deus em Seu Mistério.

  3. LÄPLE, Alfred - Bíblia, 4 vols., Paulinas.

  4. EGGER, Wilhelm - Metodologia do Novo Testamento.

  5. LATOURELLE, René - Jesus Existiu?

  6. DIVERSOS AUTORES - Mysterium Salutis, 27 vols., Vozes.

  7. AQUINO, São Tomás de - Suma Teológica, 3ª Parte, Questões 73 a 83.

  8. Catecismo da Igreja Católica - João Paulo II.

  9. VINCENT, Mons. A - Dicionário Bíblico, Edições Paulinas.

  10. DUFOUR, Xavier Léon, S. J (Direção de) mais 70 exegetas - Vocabulário de Teologia Bíblica

  11. VAN DEN BORN, A - Dicionário Enciclopédico da Bíblia, Ed. Vozes.

  12. COENEN, Lothar - Colin Brown - Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento, 4 volumes, Edições Vida Nova.

  13. J. D. DOUGLAS, e vários assistentes - O Novo Dicionário da Bíblia, Editor Organizador, 2 vols., Edições Vida Nova.

  14. BRIGHT, John - História de Israel, Edições Paulinas.
  15. MÁSPERO, Gáston C. G. - Historia de los Antiguos Pueblos de Oriente, Argonauta (Buenos Aires).

 Para o formato Netscape são necessárias 4 folhas A4 para imprimir este documento

|Volta|  |Índice Cap 5|  |Índice do Curso|


[Volta ao Índice Geral]  [Cadastro no Curso]  [Evangelho do Dia]  [Home]

CURSO DE BÍBLIA PELA INTERNET
- MUNDO CATÓLICO WEB SITE
  Copyright © 1997-2000 by J.Haical Haddad - Página criada em 15/05/00
Hosted by C.Ss.R.Redemptor, Visite a Editora Santuário